JBS desiste de vender nos EUA ações de negócios internacionais

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Friboi jbs

– A JBS desistiu dos planos para listar a subsidiária JBS Foods International na bolsa de Nova York, quase seis meses depois dos escândalos gerados por delações premiadas de seus controladores e da operação Carne Fraca, da Polícia Federal, terem minado a procura de investidores pela operação. Em aviso ao órgão que regula os mercados norte-americanos, SEC, a JBS Foods International pediu o cancelamento do pedido de IPO porque “decidiu não buscar a venda de títulos neste momento”. Representantes da companhia e da JBS, que concluiu junho com dívida líquida de cerca de 50 bilhões de reais e dívida líquida sobre Ebitda de 4,16 vezes, não deram mais detalhes ou novo programa para a transação. O IPO dos negócios internacionais da JBS, que incluiria a divisão de alimentos processados Seara, era vista pelo mercado como uma chance para a maior processadora de carne bovina do mundo destravar valor de suas operações e diminuir dívida. Nquanto o Ibovespa tinha valorização de 0,10 por cento, as ações da JBS apresentavam alta de cerca de 0,50 por cento às 12:17 na B3, e.A possibilidade de cancelamento do IPO já era considerada pelo mercado após o estouro dos escândalos que envolveram a companhia, cujo ex-presidente executivo, Wesley Batista, está preso, acusado de ter se aproveitado das delações premiadas para lucrar no mercado financeiro por meio de uso de informações privilegiadas. Em meados de agosto, quando ainda era presidente-executivo da JBS, Batista havia alegado que o IPO da JBS Foods International tinha sido protelado para o final de 2018. O lucro do segundo trimestre caiu 80 por cento sobre um ano antes, impactado por cotação e ampliação de despesas. Faz 2 meses, Batista comentou que a companhia tinha como meta atingir nível de endividamento de 3,5 vezes final de 2017. até o final de 2017.

– A JBS desistiu dos planos para listar a sua subsidiária JBS Foods International na bolsa de Nova York, de acordo com comunicado mandado à Securities and Exchange Commission , o órgão regular dos mercados norte-americanos, nesta segunda-feira. Faz 1 ano, a maior processadora de carne de o mundo, que está envolvida em um grande escândalo de corrupção, declarou que desistiu em o momento de o pedido para uma oferta inicial de ações que tinha, sido.

Leer Más

PF satisfaz 60 mandados de prisão contra tráfico internacional de drogas

Por: SentiLecto

A Polícia Federal, em conjunto com a Receita Federal, realiza, nesta terça-feira , duas operações para desmantelar grupos criminosos voltados ao tráfico internacional de cocaína por portos marítimos de Santa Catarina.

Leer Más

Auditores da Receita chamam novo Refis de ‘tapa na cara da nação’

Por: SentiLecto

Os auditores fiscais da Receita classificaram, neste sábado, o novo Refis de “um tapa na cara da nação” que anima a sonegação, prejudica a arrecadação e favorece a concorrência desleal entre companhias. Se o aprovou simbolicamente em a Câmara dos Deputados em a última quarta-feira, por meio de nota do seu sindicato , os auditores defenderam a abolição da medida provisória que instituiu o novo programa e cujo texto principal.

Leer Más

Com empurrão da TV, Arsenal multiplica lucro em vinte vezes

Por: SentiLecto

Fotografia: Reprodução / Twitter

O Arsenal tem bastante o que quando o tema é a última temporada, comemorar. Dentro de campo, o título da Copa da Inglaterra modificou o clube no maior ganhador do torneio, com 13 conquistas. Depois, os Gunners ainda ergueram outro calicezito, a da Supercopa da Inglaterra. Para melhorar, os duas triunfos vieram em confrontos com o adversária Chelsea.

Leer Más

Rock in Rio: MPRJ apura anormalidades na retirada de ingressos

Por: SentiLecto

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro , por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor e Contribuinte, instaurou investigação civil, nessa quinta-feira, para apurar supostas anormalidades no serviço de retirada de ingressos para o Rock in Rio 2017. Também foi encaminhada uma recomendação com medidas a serem adotadas pela Rock World S/A, empresa responsável pela prestação do serviço.De acordo com a portaria de instauração da investigação, a retirada de ingressos anteriormente comprados para os shows estaria sendo governada de maneira inadequada, desorganizada e desestruturada, o que estaria obrigando os consumidores a esperarem por cerca de três horas nas filas para conseguir pegar as pulseiras que permitem a entrada no festival.A paciência é necessária até para quem agendou a retirada. Faz 2 meses, reclamações quanto em a demora já eram recorrentes, em o início de a distribuição em julho era possível agendar dia e horário ainda assim.Agora, na reta final, não há mais a alternativa de reservar um horário específico. Para piorar a situação, as filas se dividem entre agendados e não agendados — aqueles que, naturalmente, uma vez que somente três dos 12 guichês atendem, esperam mais quem não marcou dia.

Leer Más