Barcelona

Por: SentiLecto

En caso de que hayan sido días, semanas o meses, no sé cuánto ha durado. Sé que se me ha hecho muy largo. Ha sido después del 11-My sucedía cada vez que el ferrocarril de Cercanías llegaba a las estaciones de El Pozo y de Atocha. Supongo que a la de Santa Eugenia también, pero yo no pasaba por ahí. Sucedía que la gente se callaba. Era un silencio espeso, meridiano, indisimulado. Y natural. Los diálogos se iban apagando según decrecía la velocidad del ferrocarril al ingresar en las estaciones. No había nada litúrgico en ello, ni siquiera creo que hubiese un propósito de homenaje: era un luto natural, nada forzado. Era la impresión de volver ahí, supongo. Dejabas de hablar, veías por la ventana, te atravesabas la mirada con alguien desconocido que en ese momento no lo era tanto. Y arrancaba el ferrocarril y volvías a hablar, hasta que se te apagaba otra vez el interruptor, cuando llegabas a Atocha. Esos días, o semanas, o meses, no recuerdo, comprendí lo que era el luto. He asumido lo que es el modo más natural de somatizar una catástrofe colectiva pero cercana. Sin forzar, sin gestos, sin ceremonias. Solos y juntos. Cada uno y todos.

Leer Más

Incêndios: Fogo de Alijó aproxima-se de mais uma aldeia, retiradas cinco pessoas

Por: SentiLecto

O incêndio em Alijó aproximava-se, pelas 19:40, de mais Franzilhal de onde foram já retiradas cinco pessoas de quatro habitações, incluindo dois acamados que vão ser transportados para a Santa Casa da Misericórdia de Alijó. Franzilhal é uma aldeia.Estas cinco unem-se às 16 pessoas já retiradas durante a tarde de hoje de algumas aldeias do concelho de Alijó, cujo incêndio ptinha pelas 18:00, três frentes ativas, depois de várias reativações.As chamas aproximaram-se e rodearam algumas aldeias durante a tarde, nomeadamente Vila Chã, Francelos, Pegarinhos e Porrais, já no concelho de Murça, e os acessos a estas localidades estão muito condicionados. As estradas municipais entre Vila Chã e Francelos e entre Santa Eugénia e Carlão, que agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo, estiveram também cortadas. O incêndio em Alijó deflagrou na madrugada de domingo e, de acordo com informações disponibilizadas pelas 19:50 na página da Internet da Proteção Civil, estava a ser lutado por oito meios aéreos, 532 operacionais e 159 viaturas.

Leer Más

Incêndios: Cinco pessoas retiradas de casas em Alijó mas aldeia “não esteve em perigo”

Por: SentiLecto

Cinco pessoas foram retiradas de habitações em Santa Eugénia, onde hoje chegou o incêndio que iniciou na madrugada de domingo em Alijó, distrito de Vila Real, mas a aldeia “jamais esteve em perigo”, declarou o comandante operacional.De acordo com o culpado pelas operações no terreno, Pedro Duarte, “pese embora a situação [do fogo] tenha acontecido no perímetro da aldeia”, ao começo da tarde, a povoação “jamais esteve em perigo”.Segundo o comandante operacional, numa “zona mais próxima da frente de fogo, três pessoas foram retiradas de uma habitação que serve de acolhimento a idosos”, ao mesmo tempo que, numa outra área, e por uma questão de “prevenção”, duas pessoas residentes “numa zona rural foram deslocadas para o centro da aldeia”.O culpado adicionou que encaminhou-se as três pessoas retiradas de a residência de acolhimento a idosos para o pavilhão municipal de Alijó.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.O incêndio que iniciou na madrugada de domingo em Alijó, chegou pelas 13:00 de hoje “ao perímetro” da aldeia de Santa Eugénia, cerca de uma hora depois de, num balanço aos jornalistas, o comandante operacional mencionar que as quatro frentes do incêndio tinham sido diminuídas de quatro para duas.Na altura, conservavam-se ativas as frentes de Agrelos e Carlão.De acordo com informações disponibilizadas pelas 14:00 na página da Internet da Proteção Civil, o fogo em Alijó, na clientela de Vila Chã, está a ser lutado por oito meios aéreos, 433 homens e 131 viaturas.Até por volta das 12:00, o equipamento no terreno era composto por quatro aeronaves pesadas e dois helicópteros ligeiros, estando calculado o reforço dos meios aéreos com o Canadair de Espanha.No terreno encontravam-se, desde o começo da manhã, cerca de 450 operacionais apoiados por cerca de 140 veículos e oito máquinas de rasto e pelotões do exército.

Leer Más

Incêndios: Cerca de 150 operacionais reforçarão guerrazinha ao fogo de Alijó

Por: SentiLecto

Cerca de 150 bombeiros reforçarão a guerrazinha ao incêndio que deflagrou em Vila Chã, Alijó onde estão mobilizados 330 operacionais Alijó é distrito de Vila Real., e as pessoas que foram retiradas das aldeias por cautela já retornaram a casa.O comandante distrital de operações de ajudinha de Vila Real, Álvaro Ribeiro, fez um ponto da situação do fogo que já lavra há cerca de 24 horas e referiu que, no terreno, estão 330 operacionais e 92 veículos.O fogo progride em três frentes e, segundo o culpado, cerca das 01:00 não havia aldeias em perigo. As atenções concentram-se nas áreas das aldeias de Carlão, Pegarinhos e Santa Eugénia.De acordo com o comandante distrital, que falava aos jornalistas no posto de comando, durante a noite a guerrazinha vai ser reforçado com cinco grupos, de cerca de 30 elementos cada, provenientes da zona sul do país e de Viana do Castelo.Agora pode subscrever gratuitamente as nossas newsletters e receber o melhor da atualidade com a característica O Jogo.No terreno estão também quatro máquinas de rasto e, durante o dia, serão deslocadas mais quatro para auxiliarem nas operações de guerrazinha às chamas.”Estamos em crer que durante a noite, face a condições favoráveis, nós teremos condições para dar o incêndio como dominado”, alegou Álvaro Ribeiro.O comandante distrital referiu ainda que as cerca de 30 pessoas, principalmente idosos e crianças, que foram retiradas das aldeias de Chã, Vila Chã e Casas da Serra, já retornaram às suas casas.O culpado adiantou que as chamas que queimaram ainda alguns armazéns de arrumos atingiram uma casa de habitação , que queimaram ainda alguns armazéns de arrumos e agrícolas.Quanto àosfequívocosde comunicação, Álvaro Ribeiro ddeclarouque o eaumentadonúmero de chamadas provocou “alguns tempos de fequívocode comunicações, mas jamais inviabilizaram as comunicações entre as equipas, posto de comando e sectores”.”Pedimos um reforço e o reforço, quando percebemos que havia um grande trânsito está aí e o objetivo é que a rede possa responder a este grande fluxo de comunicações”, destacou.mobilizou-se uma carrinha para o terreno, com equipamento SIRESP.se deu o alerta para o incêndio de Vila Chã cerca de as 02:00 de domingo, o fogo chegou a ser dado como dominado a o começo de a tarde, mas verificou-se, depois, uma forte reativação.Durante a noite, o posto de comando instalado no santuário da Nossa Senhora da Piedade, em Sanfins do Douro, vai ser transferido para o aeródromo da Chã.

Leer Más