Adesão ao PDV acontecerá este ano, mas conta ficará para 2018

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Olive Phenology

– Dyogo Oliveira declarou nesta terça-feira que a adesão ao Programa de Demissão Voluntária para servidores públicos acontecerá ainda este ano. Dyogo Oliveira é o ministro do Planejamento. A efetivação, contudo, só deve acontecer no ano que vem, para que a despesa entre somente no Orçamento de 2018, uma vez que não há espaço para esse gasto neste ano. Ele ainda evidenciou que a resolução de criar o PDV por medida provisória ou projeto de lei é do Presidente da República, que alegou que vê “justificativa para urgência”, dando a compreender que a mudança será por MP, , mas — A ideia é que, vai incluir-se isso como não temos espaço orçamentário para em este ano, dentro da proposta orçamentária de o ano que vem. E as adesões serão restringidas a esse volume que for incluído na verba, dentro das nossas chances. Faz 27 anos, o ministro explicou que o governo espera uma adesão baixa a o programa, de cerca de 5 mil pessoas, a exemplo do que aconteceu em o último PDV implementado por o governo Esse número equivale a 1% de todo o contingente de servidores na ativa. Ele evidenciou que a medida é uma tentativa do governo de diminuir despesas, “de modo a contribuir com o processo continuado de ajuste fiscal e com o cumprimento do telhado dos gastos”. — De fato não estamos calculando uma adesão de contingentes aumentados, pelo contrário. A experiência passada foi de adesão baixa. Nós nem estamos estabelecendo uma meta. O que nós temos como referência é que na década de 90, quando isso foi feito, teve adesão de aproximadamente 5 mil pessoas. E estamos imaginando que isso seja replicável dessa vez. Uma vez que se diminuirá o número de desligamentos, questionado sobre a chance de substituição de servidores por funcionários terceirizados, Oliveira alegou que não vê motivos para que isso aconteça. Ele declarou, contudo, que não necessariamente as vagas que ingressarem no PDV serão extintas.

– O governo federal prepara um Plano de Demissão Voluntária para servidores do Executivo que deverá ser divulgado nesta semana, informou o ministério do Planejamento nesta segunda-feira, em meio a esforços para redução de despesas obrigatórias que consomem boa parte do Orçamento. Segundo uma fonte palaciana com conhecimento direto do tema, o PDV terá que ser aberto por Medida Provisória e a ideia é oferecer 1,5 salário por ano de trabalho aos servidores interessados. Em entrevista ao Valor Econômico mais cedo sobre o assunto, Dyogo Oliveira alegou que ainda não havia metas com a medida Dyogo Oliveira é o ministro do Planejamento., mas realçou que no último PDV, feito no governo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, foram cerca de 5 mil adesões. Oliveira também alegou ao Valor que seria possível imaginar uma economia de até 1 bilhão de reais por ano com a investida, sendo que o pagamento das vantagens aos que entrarem no programa ficaria não para este ano, mas para 2018. Em relatório bimestral de receitas e despesas divulgado na última semana, o governo estimou despesa com pessoal e encargos sociais de 284,5 bilhões de reais em 2017, segundo maior grupo de gasto da máquina pública, perdendo somente para as vantagens previdenciários do INSS . – O programa de demissão voluntária que o governo Michel Temer pretende fazer via medida provisória tem que fracassar, na opinião do diretor da Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal , Valter Cezar Dias Figueiredo. Segundo ele, se em 1996, quando o então presidente Fernando Henrique Cardoso fez um PDV, a adesão foi baixíssima, agora vai ser ainda mais difícil. Enquanto no atual o governo estima R, na época, o ex-presidente Fernando Henrique projetava uma economia de R$ 1,7 bilhão por ano com o PDV $ 1 bilhão. — FHC fez esse mesmo programa e achava que haveria grande aceitação do funcionalismo. Pouco mais de 5 mil pessoas aderiram. Em uma situação em que a população de servidores públicos com idade acima de 50 anos aumentou, a maioria está mais preocupada com a aposentadoria — alegou Rodrigues. Faz 27 anos, de acordo com o sindicalista o governo editou a Lei 8.112 que permitiu a diminuição de a jornada de trabalho,, junto com a redução de o salário. No PDV de Fernando Henrique, realçou Rodrigues, calculava-se a queda da jornada para quatro horas trabalhadas, enquanto que no atual, o total poderá ser de seis ou quatro horas por dia. — Outro fator que pesa contra o PDV é que, no passado, o presidente não satisfez o que prometeu: concessão de empréstimo e treinamento para que o servidor que aderisse ao programa se tornasse um microempreendedor. Gato escaldado não cairá em água fria — declarou o sindicalista. A entidade ainda não tem uma posição oficial a respeito do assunto. Prefere aguardar a publicação da MP. — Assim que sair algo oficial, vamos debater com a categoria e tirar uma posição — completou.- Com a verba no osso, o governo prepara um Programa de Demissão Voluntária para os servidores públicos federais. Segundo técnicos de a área econômica , vai oferecer serviço por ano de serviço. A meta é obter adesão de cinco mil funcionários e gerar uma economia anual de R$ 1 bilhão por ano, a partir de 2018. O plano deve ser arremessado por medida provisória nos próximos dias. A última vez em que o governo federal recorreu a esse dispositivo para enxugar o quadro de pessoal foi em 2000 – na administração do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, há quase 17 anos. As estatais já vêm adotando essa espécie de programa para cortar preços. O novo plano tem que conter também outras medidas para diminuir despesas com pessoal, como por exemplo, permissão de servidores sem remuneração.

Leer Más

Santanter abre matricula de programa de trainees

Por: SentiLecto

O Santander abriu as matricula para o Programa de Trainee de 2017. O banco busca universitários e recém-formados, no fase entre dezembro de 2015 a dezembro de 2017, de qualquer universidade brasileira e área de conhecimento. Serão escolhidos mais de 20 candidatos, que começarão as atividades em novembro deste ano.

Leer Más

Piloto perde o controle e falece durante prova de moto em Interlagos

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Milan – Barca 2006

O piloto Sérgio dos Santos padeceu um grave acidente durante o circuito do SuperBike Brasil, disputado em Interlagos, e não resistiu aos ferimentos.

De acordo com informações do Globoesporte.com, o acidente ocorreu numa curva do circuito. A disputa reunia motocicletas de 600 a 1 mil cilindradas.

Leer Más