Faz 1 ano, portabilidade de crédito foi a principal queixa de clientes de bancos

Por: SentiLecto

Faz 1 ano, o Banco Central atendeu 506.195 procuras, relacionadas a o Sistema Financeiro Nacional, como reclamações contra produtos, serviços ou instituições financeiras e pedidos de informação. A portabilidade de crédito, chance do cliente transferir para outra instituição um empréstimo já contratado, foi o alvo de mais queixas, com quase 50 mil ocorrências, 27% do total de reclamações reguladas .

Leer Más

BC estuda aumentar telhado da multa a bancos, de R$ 250 mil a R$ 2 bi

Por: SentiLecto

– Dando prosseguimento às mudanças microeconômicas, o Banco Central prepara um pacote de medidas para reforçar o arcabouço nacional de regulação do sistema financeiro. A autoridade monetária pretende aumentar as multas às instituições financeiras por ela finspecionar no caso de fraudes e ianormalidadesnas prestações de contas. O valor tem que dar um salto: passar dos atuais R$ 250 mil para um telhado de R$ 2 bilhões, segundo fontes envolvidas na negociação e escutadas pelo GLOBO. A diretoria do BC avalia que a penalidade atual é bastante baixa, em comparação às cifras chabitualmenterecordes dos balanços dos bancos. Ou seja, não encarna uma verdadeira penalização para as instituições que descumprem as normas do BC. — O que são R$ 250 mil para um Bradesco ou Itaú? — pergunta um técnico da equipe econômica, respondendo a seguir: — Nada. Isso não é penalização. SALTO DE 800.000% Se confirmado o número debatido nos bastidores da equipe econômica, a ampliação vai ser de quase 800.000% da multa máxima para as instituições financeiras. Faz 4 meses, de o ano passado, haver uma agenda de reformas em a instituição, deu pistas sobre as mudanças : — Temo que rever a gradação e as penalidades, quando Ilan Goldfajn anunciou, em dezembro. Ilan Goldfajn é o presidente do BC. Por exemplo, o valor da multa, que é restringida a R$ 250 mil. Isso, para o cidadão, é bastante dinheiro, mas para as instituições pode não ser, pode ser bastante pouco. A mudança faz parte de uma reforma ainda maior: o BC deduz estudos para uniformizar os parâmetros para penalidades para todas as corporações que regula. O alcance de supervisão inclui, por exemplo, bancos de investimento e operadores de cotação; financeiras; corretoras e distribuidoras; sociedades de crédito imobiliário; associações de poupança e empréstimo; empresas hipotecárias; cooperativas de crédito; gerentes de consórcios; executivos dessas instituições; pessoas físicas e jurídicas que descumpram regras cambiais e relativas ao fluxo de capitais internacionais. Para colocar todas as instituições num mesmo platô de regulação e fiscalização, vai haver uma revisão geral da legislação, que tem mais de 50 anos. A ideia do BC é promover as principais mudanças ainda no primeiro semestre. Hoje, o BC tem poder legal para instaurar processo administrativo punitivo. Primeiramente, os bancos recebem uma advertência. Em seguida, pode ser aplicada multa, no valor de até R$ 250 mil. Depois, há penas que vão da suspensão do exercício das funções, no caso dos executivos, até a cassação da autorização de funcionamento da instituição. Instituirá-se uma penalidade aplicável além da mudança de a multa, em caso de descumprimento de recomendação ou resolução de o BC. No pacote, também serão criados o termo de compromisso e o acordo de leniência para os bancos. Tudo isso faz parte da Agenda BC+, arremessada no fim do ano passado. A autoridade monetária pretende ainda melhorar regras de liquidação de bancos e seguradoras. Num segundo momento, o BC deve tentar reduzi o efeito de crises do sistema financeiro nos cofres públicos. Antes que esgotem, para isso, deve impedir a utilização de recursos das contribuintes -se todas as fontes privadas disponíveis, para conservar a estabilidade financeira e garantir as funções imprescindíveis da economia real. Ainda deve ser sugerido um processo de governança integrada entre os supervisores do Sistema Financeiro Nacional , que inclui, além do BC, a Comissão de Valores Mobiliários , a Superintendência de Seguros Privados e a Superintendência Nacional de Previdência Complementar , entre outros. Internamente, as críticas às multas ao setor financeiro são antigas. Entre os técnicos da equipe econômica, a reclamação era que o valor propiciava ilícitos, por ser bastante baixo. Procurado, o BC não comentou o tema.

Leer Más

Nicaragua emite alerta roja en lugar de un millón de habitantes por Otto

Foto: Wikipedia – Huron

El Gobierno de Nicaragua prolongó hoy la alerta roja a toda la parte sur del lugar de esa nación, con más de un millón de habitantes, ante el inminente impacto del huracán Otto, que tiene que darse en las próximas dos horas.

Se prolongó la alerta roja fronterizo que inicialmente comprendía la Región Autónoma Caribe Sur y Río San Juan de Nicaragua la alerta roja, fronterizo con Costa Rica, a los departamentos de Boaco, Chontales, Rivas y Granada donde moran más de 1 millón de personas,.

Leer Más

BC está vigilante em relação a inovações financeiras, assinala relatório

Foto: Wikipedia – Mittlere Brücke1

– O Banco Central informou que está vigilante em relação à introdução de inovações financeiras na medida em que elas possam ter consequências sobre a solidez do sistema financeiro e aaso identifique a necessidade de intervenção regulatória, conforme Relatório de Estabilidade Financeira do primeiro semestre do ano divulgado nesta quinta-feira, pontou que está pronto para adotar medidas tempestivamente c. No documento, o BC, que realçou que o sistema continuou mostrando habilidade de suportar choques de cenários macroeconômicos adversos, alegou que a liquidez do sistema bancário permaneceu estável no fase. Ao fim do primeiro semestre, o índice médio de Basileia, que mede o requerimento mínimo de capital dos bancos, ficou em 16,5 por cento, ante 16,3 por cento em dezembro de 2015.

– O Banco Central anunciou nesta quinta-feira que está preparado para intervir num novo mercado: as startups financeiras. No relatório de estabilidade financeira, a autoridade monetária alegou que, caso se identifique a necessidade de “intervenção regulatória”, estará pronta para adotar “tempestivamente” as medidas necessárias para a manutenção da estabilidade do Sistema Financeiro Nacional, do Sistema de Pagamentos Brasileiro e do mercado de câmbio. Num capítulo novo dedicado somente ao assunto, o BC declara que encoraja o desenvolvimento dessas novas tecnologias no mercado financeiro, pois isso pode animar a concorrência, o que impacta a eficiência e possibilita a oferta de produtos a custos menores aos clientes e um escopo de maior parcela da população. Por outro lado, o BC declara estar “vigilante” em relação à introdução de inovações na medida em que elas possam ter consequências sobre a solidez do sistema financeiro. O Banco Central alega: “Novas maneiras de prestação de serviços implicam a necessidade de técnicas atualizados de acompanhamento de seu emprego e de um marco regulatório tempestivamente melhorado, de forma a garantir o regular funcionamento do Sistema Financeiro Nacional e das infraestruturas do mercado financeiro”.

Leer Más

Organismo de derechos humanos reconoce que en Nicaragua hay una dictadura

Foto: Wikipedia – Daniel Ortega (cropped).jpg

En rueda de prensa brindada en Miami, Álvaro Leiva, secretario ejecutivo de la Asociación Nicaragüense Pro Derechos Humanos mencionó: “Nicaragua es afrontado a una dictadura impuesta por el presidente Daniel Ortega”.

“Te solicito y te lo exijo que en el menor tiempo probable que esta misiva este en tus manos me informes de forma personal, no telefónica, y no admito de ninguna otra manera o, todo lo antes mencionado en esta misiva y otras cosas que me las reservo escribirla en la misma. No omito manifestarte amor de mi vida, Daniel Ortega, que una mujer, así como ama y puede dar un todo, también al sentirse lastimada, es capaz de mucha y muchas cosas…”, expresa en un tono amenazante.

Leer Más