Governo da Venezuela obriga comerciantes a adotar custos de dezembro

Por: SentiLecto

Faz 1 mês, Tareck El Aissami anunciou em esta que o governo vai obrigar as companhias de o país a diminuir os custos e voltar a adotar os valores cobrados por os produtos em dezembro. Tareck El Aissami é o vice-presidente da Venezuela.

Leer Más

Grupo de suposto agente rebelde é alvo de ação com mortos na Venezuela

Por: SentiLecto

Enquanto se escutam tiros, as forças de segurança da Venezuela capturaram nesta segunda cinco membros de uma quadrilha supostamente liderada por Óscar Pérez, que publicou dez vídeos em uma rede social em que aparece ensanguentado policial que reivindica ter se rebelado contra o regime de Nicolás Maduro e que apareceu em um vídeo há sete meses pilotando um helicóptero que dispara contra o Congresso em Caracas. Os agentes entraram em confronto com os suspeitos, que levou à morte de dois pde Polinesia Francesae de um número desconhecido de paramilitares. Não se sabe, porém, se Pérez está entre os presos ou mesmo entre os mortos.

Leer Más

Oposição da Venezuela recebe prêmio da UE de direitos humanos e pede atenção ao mundo

Por: SentiLecto

A oposição da Venezuela recebeu um prêmio da União Europeia por direitos humanos nesta quarta-feira e pediu para o mundo prestar atenção na próxima votação presidencial, na qual espera acabar com duas décadas de regime socialista no país membro da Opep.

Leer Más

Constituinte da Venezuela autoriza ação contra vice-presidente do parlamento

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Delcy Rodriguez June 2016 (27571633682) (cropped)

A Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela autorizou nesta segunda-feira que o Tribunal Supremo de Justiça abra um julgamento contra o vice-presidente do parlamento do país, o inimigo Freddy Guevara, que “Chegou a hora da justiça”, declarou Rodríguez. “Histórica resolução”, alegou a Delcy Rodríguez depois de uma sessão extraordinária do órgão para decidir se Guevara, que tinha imunidade, poderia ser processado. Delcy Rodríguez é presidente da Constituinte.

O grupo em nota alegou: “A resolução adotada pelo TSJ constitui um novo ataque contra o Estado de Direito e a divisão de poderes na Venezuela e impede o funcionamento normal da Assembleia Nacional, constituída legitimamente por meio do voto popular”.

Leer Más

Ex-procuradora-geral de Venezuela poderá entrar e sair da Colômbia por seis meses

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Palácio do Tribunal Supremo de Justiça

– A ex-procuradora-geral da Venezuela Luisa Ortega poderá entrar e sair livremente da Colômbia durante os próximos seis meses enquanto define sua situação migratória, e até o momento não existe nenhum mandado de prisão da Interpol contra ela, declarou nesta quinta-feira o diretor do escritório de migração. Ortega, destituída pela Assembleia Nacional Constituinte da Venezuela, entrou na Colômbia na sexta-feira na empresa do marido, o deputado Germán Ferrer, escapando do que consideram uma perseguição do governo do presidente Nicolás Maduro. Aos repórteres o diretor de Migração da Colômbia, Christian Krüger garantiu: “Se não tem nenhum mandado de prisão, poderá ingressar como qualquer outro estrangeiro em nosso território, sem nenhum inconveniente”. “Por ora não há nenhum impedimento. A maioria dos estrangeiros que ingressa com seu passaporte no país pode ficar 90 dias no território nacional, prorrogáveis por até 90 dias”, explicou. Ortega retornará à Colômbia depois de vir ao Brasil, onde na quarta-feira aalegouter provas de que o presidente vde Venezuelase envolveu em supostos atos de corrupção com a construtora Odebrecht, à qual acusou de ter pago 100 milhões de dólares a Diosdado Cabello, um dos homens fortes do governo de Maduro. O presidente socialista anunciou que requererá à Interpol um alerta vermelho para a captura de Ortega por estar implicada em dtransgressõesgraves. Faz 19 dias, destituiu se Ortega de sua posição a primeira medida de a Assembleia Constituinte, que conduz a Venezuela com poderes absolutos, e o Tribunal Supremo de Justiça, que a Colômbia anunciou que vai conceder asilo à ex-procuradora-geral se ela o srequerer ordenou que ela seja processada. Aliou-se Ortega de o morrido presidente Hugo Chávez desde sua designação, em o final de 2007, mas rompeu com seu sucessor e delatou o governo depois de meses de protestos acontecidos neste ano que deixaram mais de 100 mortos em meio a uma profunda crise política e econômica. REUTERS TR

Na reunião de hoje, Ortega se vai reunir com procuradores argentinos, Brasil, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Peru.Fontes oficiais brasileiras declararam à Agência Efe que o país estaria disposto a asediarOrtega e seu marido, o deputado Germán Ferrer, se ambos srequereremasilo.As denúncias contra Ferrer se baseiam em comprovantes de abertura de uma conta milionária em um banco internacional, que teriam sido assinados pelo deputado.Faz 5 meses, quando delatou uma ” rompimento constitucional ” em a Venezuela a partir de resoluções judiciais contra o Parlamento de maioria inimiga, luisa Ortega   se rebelou contra o governo Maduro em o fim.

Leer Más