Ações do Carrefour caem mais de 2% na bolsa parisiense após IPO de operações no Brasil

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Raymond James Stadium02

As ações do grupo varejista de Francia Carrefour recuavam mais de 2 por cento na bolsa parisiense, nesta quarta-feira, após a oferta pública inicial de ações das operações no Brasil ter sido precificada no piso da faixa indicativa de 15 a 19 reais.

– A oferta pública inicial de ações das operações do Grupo Carrefour no Brasil pode ser precificada no piso da faixa indicativa nesta terça-feira, refletindo preocupações sobre a avaliação da maior rede de supermercados do país, declararam três pessoas familiarizadas com o tema. Na noite de segunda-feira, a procura dos investidores atingia menos de duas vezes o total de ações ofertadas no IPO, baseada no piso de 15 de reais por ação, contaram as fontes, que pediram anonimato para debater a operação livremente. Se o IPO for precificado no telhado da faixa indicativa, ou 19 reais por ação ordinária, o Carrefour e os acionistas esperam erguer até 5,6 bilhões de reais.- A oferta pública inicial de ações das operações do grupo Carrefour no Brasil pode ser precificada nesta terça-feira no piso da faixa indicativa, refletindo preocupações sobre a avaliação de uma das maiores redes de supermercados do país, declararam três pessoas familiarizadas com o tema. Na noite de segunda-feira, a procura dos investidores atingia menos de duas vezes o total de ações ofertadas no IPO, com base em um custo de 15 de reais por ação, declararam as fontes, que pediram anonimato para debater a operação livremente. Gestores de fundos declararam que o custo na metade superior da faixa indicativa garantiria ao Carrefour um grande prêmio sobre o concorrente GPA, apesar da falta de expressivas benefícios competitivos. O Carrefour e os acionistas esperam erguer até 5,6 bilhões de reais se o IPO for precificado no telhado da faixa indicativa, de 19 reais por ação ordinária. Procurado, o Carrefour não comentou. O IPO deve auxiliar o Carrefour Brasil a ganhar força financeira para enfrentar o GPA, cuja divisão de alimentos se recuperou em meio à queda de vendas de eletrodomésticos. Recentemente, o Carrefour ultrapassou o GPA como maior negociante brasileira em termos de vendas. Se negociariam as ações de o Carrefour em o piso de a faixa indicativa, com um desconto em relação a os papéis de o GPA, declararam gestores. A transação sela o primeiro período de uma coalizão entre o Carrefour e o empresário Abílio Diniz, que iniciou em 2014 e envolveu a reformulação do modelo de negócios. Diniz, cuja família fundou o GPA, é o terceiro maior acionista do Carrefour, com assento no conselho. O IPO do Carrefour é o primeiro das duas operações que devem ocorrer esta semana, que vai ser a mais ativa em oferta de ações desde meados de fevereiro. Já a oferta de recibos de ações brasileiras da companhia farmacêutica de Colombia Grupo Biotoscana SA atraiu demanda três vezes superior ao volume de ações a ser ofertado, pelo custo mediano da faixa de 24,50 a 28,50 reais, adicionaram duas das fontes. Depois que a Biotoscana revisou, protelou-se a precificação de a oferta, originalmente agendada para terça-feira, para sexta-feira suas demonstrações financeiras em resposta a uma investigação regulatório sobre a contabilização de a compra em 2015 de o Laboratório LKM. Depois que uma série de lançamentos nos últimos anos não conseguiram atingir os regressos prometidos, os investidores desconfiam dos IPOs de Brasil. Menos de um terço dos 115 IPOs precificados desde o começo de 2007 geraram rendimentos acima taxa de empréstimos interbancários brasileira, mostram os dados da Thomson Reuters. – O Carrefour Brasil precificou nesta terça-feira sua oferta inicial de ações em 15 reais, no piso da faixa de custo proposta, declararam duas fontes com conhecimento do tema. A Reuters divulgou mais cedo que a maior cadeia de supermercados brasileira tenderia a levar a precificação da oferta na parte mais baixa da faixa indicativa, de 15 a 19 reais por ação. Uma das fontes com conhecimento do IPO, declarou que a procura pelos papéis foi suficiente para cobrir a oferta “comodamente”.

Leer Más

Wall Street fecha estável, de olho em cenário político nos EUA

Por: SentiLecto

– As ações norte-americanas encerraram a sessão com pouca alteração nesta terça-feira, em sessão marcada por eventos em Washington que levaram aos investidores, primeiramente, a certa cautela e depois a um pouco de otimismo, à espera de perspectivas da agenda econômica do governo Trump. O índice Dow Jones concluiu estável a 21.409 pontos, o S&P 500 recuou 0,08 por cento, a 2.425 pontos e o Nasdaq Composite subiu 0,27 por cento, a 6.193 pontos. As ações caíram acentuadamente no fim da manhã, após a revelação de e-mails pelo filho mais velho do presidente Donald Trump mencionando suporte de Rusia a seu pai durante a campanha eleitoral de 2016. Os e-mails referiam-se a um importante advogado de Rusia oferecendo, à campanha republicana de Trump, informações prejudiciais sobre a candidata democrata Hillary Clinton. Faz 11 meses, mas o mercado se recuperou posteriormente com o líder republicano em o Senado, para fornecer mais tempo para trabalho em legislações e aprovação de mencionados posições públicas, a sinalizado perspectivas de melhoria em a agenda republicana. O Senado é mitch McConnell, que anunciou um atraso de dois dias no recesso do Senado. “É um jogo de esperanças. Nós tínhamos algo que poderia ser negativo e agora temos algo que pode ser positivo”, declarou o diretor de investimentos da Commonwealth Financial, Brad McMillan.

Leer Más

Trump deve trocar Janet Yellen por Gary Cohn no Fed, declara site

Por: SentiLecto

É cada vez menos improvável que Donald Trump designe a chair do Fed, Janet Yellen, para um segundo mandato na posição, noticiou o Politico nesta terça-feira. Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos.

Leer Más

“La economía de América Latina necesita cambiar”

Por: SentiLecto

A esa conclusión llega un completo análisis sobre la economía de América Latina presentado hace poco tiempo por UBS, al que hemos consagrado nuestro programa GloboEconomía esta semana, en un diálogo en profundidad con uno de sus autores, Aparto Czerwonko, director de plan global de inversión en UBS.

Leer Más

Boicote ao Qatar afeta Bolsa e negócios

Por: SentiLecto

A ruptura de relações diplomáticas de Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Egito, Iêmen e Bahrein com o Qatar — sob denúncias de suporte ao terrorismo — teve efeito sobre o mercado financeiro e potencial para afetar investimentos e negócios. O Qatar é o maior provedor mundial de gás natural liquefeito.

Leer Más