Barros Schelotto: “La principal dificultad del jugador de Argentina es la imprudencia”

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Ricardo Centurión (2016)

Hay pocas personas tan estresadas en el fútbol de Argentina como Guillermo Barros Schelotto . A la presión de dirigir a uno de los dos equipos más relevantes, Boca Juniors, ahora mismo el líder del campeonato, algunas dificultades inesperadas son agregados que complicaron mucho su trabajo. Hace 4 meses, cuando de la noche a la mañana ha recalado en el fútbol de China, todo empezó con la sorpresiva salida de Carlos Tevez del equipo pasado, y siguieron con una zaga de heridas que han afectado a sus otras dos figuras, Fernando Gago y Ricardo Centurión. Adicionalmente, el mellizo -llamado así porque entrena al lado de hermano gemelo Gustavo, que también ha sido futbolista profesional como él- ha debido ordenar un plantel que ha presentado serias dificultades de comportamiento. Daniel Osvaldo, que hace poco ha habido una disputa grabada por las cámaras entre dos juveniles, Cristian Pavón y Jonathan Silva, después de que Barros Schelotto lo encontrase fumando en el vestuario, terminó fuera de Boca. Centurión ha tenido un accidente de tráfico durante una madrugada. El técnico tiene una plantilla explosiva.

Sigue en vivo el partido entre el Atlético Rafaela y el Boca Juniors de la Primera División de Argentina, que se disputa en el Nuevo Monumental a las 16.15 horas. El Xeneize ya no puede dejar más puntos en el sendero porque Newell’s, Racing, Estudiantes y River no detienen de ganar y están al acecho. Guillermo Barros Schelotto ya ha confirmado el equipo, con un sólo cambio en cuanto al que igualó en casa frente a Patronato hace siete días: Agustín Rossi; Gino Peruzzi, Santiago Vergini, Juan Manuel Insaurralde y Frank Fabra; Pablo Pérez, Wilmar Barrios y Rodrigo Bentancur; Cristian Pavón, Darío Benedetto y Fernando Zuqui. Los grandes ausentes en la visita son los medios Fernando Gago y Ricardo Centurión. El Chocho Llop mete dos cambios para recibir al lider: Hoyos; Carniello, Paredes, Campi y Abero; Gudiño, Pittinari, Romero y Martino; Itabel y Albertengo. Así se lo contamos en EL PAÍS:

Leer Más

“Nós, presidentes, podíamos declarar que nos damos bem e cantaremos o vai cumbayá…”

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – BrunoDeCarvalho

Bruno de Carvalho voltou a abordar a temática da violência no futebol e garantiu que aquilo que os presidentes fazem é, muitas vezes, “tirar a pressão da panela”.À similaridade do que já tinha feito na quarta-feira, à saída da Cidade do Futebol, Bruno de Carvalho voltou a referir que o clima de violência não é cinstituídopelos presidentes dos clubes. O dirigente máximo do Sporting vai mais longe e declara mesmo que os “piropos” proferidos servem, muitas vezes, para “tirar a pressão da panela”.”Nós, presidentes, podíamos declarar que nos damos bem e cantaremos o vai cumbayá, mas as nossas intervenções tiram a pressão da panela. Importante é não ter medo de intervir. Os presidentes podem ser ‘role models’, que se não houver trabalho de bastidores com a polícia, não redundava em nada. Também está aqui a UEFA e aproveito para declarar algumas coisas… Sou pai também e o mundo cruza um problema grave de falta de valores e princípios a nível social, vejo isso nos jovens. Temos de combater contra isso, ir mudando. Não é fácil. No futebol é mais grave porque enfrentamos esse problema social e um sistema que acha que é um subsistema, o futebol acha que é fechado em si”, afirmou Bruno de Carvalho no congresso “The Future of Football”, que decorre em Alvalade. O presidente leonino realçou também a posição do Sporting em relação aa má conduta dos seus próprios adeptos:”Os adeptos do Sporting estavam em estado de choque [após a morte de Marco Ficini] e tiveram uma conduta exemplar, mas não desejo declarar que não têm cometido também os seus excessos. Se calhar, somos o único clube a proibir adeptos de entrar no estádio, a pedido da Direção através do tribunal. Há piropos de que sou aldrabão… isso faz parte do futebol. Não podemos é cruzar certas linhas”, reiterou o dirigente verde e branco, que defende a tomada de ação dos presidentes rostito à ocorrência de determinadas situações nos recintos desportivos”Temo que ter a coragem de, perante conduta errada, comportar-se no momento. Não posso permitir que não se perceba a gravidade, de ver uma tarja gigantesca a gozar com a morte de um adepto. Já ocorreu comigo, com o presidente de outro clube ao lado que nada fez, nas modalidades. Ninguém imagina o que foi este dérbi fora das quatro linhas, não imaginam o trabalho que eu e a minha equipa tivemos para decorresse normalmente. Havia um choque e sentimento de motim tão grande que ninguém vê o trabalho que foi feito para que não houvesse cânticos ou agressões. Acaba o jogo e tenho os adeptos da equipa adversária a atirar cadeiras que se caem na cabeça de alguém, criança ou adulto, as mata. A violência gera violência”, rematou Bruno de Carvalho.

Presidente do Sporting abriu o congresso “The Future of Football”Coube a Bruno de Carvalho abrir a 3ª Edição do congresso “The Future of Football” e aproveitou para realçar assuntos discutidos em edições anteriores e que são agora uma realidade no mundo do futebol. “É com grande satisfação que nos congratulamos que o vídeo-árbitro vai ser inserido no futebol, como se o propôs aqui. Dou desde já os parabéns à Federação Portuguesa de Futebol pela iniciativa de fazer, na final da Taça de Portugal, o primeiro jogo de competição doméstica com recurso ao vídeo-árbitro. Também sobre os fundos, foi neste congresso que nasceu forte discussão sobre estas matérias. Foi com o nosso contributo que nasceram propostas que foram exibidas à FIFA e UEFA e que tiveram aceitação que é publica. Passados quatro anos registamos uma mudança de posição materializada da resolução da FIFA de decretar ilegal a partilha de passes por fundos.”Presidente do Sporting defende que se o caso com a Doyen tivesse sido tratado “num tribunal normal”, os leões tinham vencido a disputa.Bruno de Carvalho voltou a falar do processo Sporting-Doyen. Esta quinta-feira, em intervenção no congresso “The Future of Football”, o presidente leonino alegou que se o caso tivesse sido tratado “num tribunal normal”, o Sporting “tinha ganho a brincar”.”Imaginaremos um processo, como Sporting-Doyen. Porquê ter de ir para um tribunal do desporto? Isto tratava-se num tribunal normal, é um problema comercial entre um clube e uma companhia. Num tribunal normal o Sporting tinha ganho a brincar, e, infelizmente perdeu, mesmo com o suporte da UEFA e da FIFA. Num sistema em que acham que somos impunes, porque tirando o caso da Juventus e o do presidente do Bayern, a verdade é que quando deixam de ser presidentes, só é que os presidentes pararão à prisão. E que pagam à polícia, multas e etc. Somos patrocinadores forçados. Temo que pensar em que futebol desejamo”, apelou Bruno de Carvalho, falando em “hipocrisia”:”Houve uma altura em que Lisboa tinha bairros de lata e, à frente, construíam pedifíciosde lopulência É a hipocrisia que se deseja, os presidentes a fingirem que são amigos com os edifícios, mas com os bairros de lata atrás. Eu tenho orgulho do trabalho que temos feito com as claques. Temos sido parabenizados. Enquanto houver este mundo de hipocrisia, não estou bastante confiante, mas orgulhoso do que temos feito no Sporting”, indicou o dirigente máximo verde e branco.Polícia Judiciária investiga suspeita de que a morte de adepto leonino na Luz foi represália de um primeiro confrontoA morte por atropelamento de Marco Ficini, um adepto de Italia do Sporting, nas imediações do Estádio da Luz antecipou e manchou da pior maneira o dérbi de sábado, mas a Polícia Judiciária , apurou O JOGO, suspeita que tudo poderá ter iniciado em Alvalade. A rixa que tirou uma vida anteontem de madrugada terá configurado um segundo confronto entre grupos afetos às claques dos dois radversáriosde Lisboa, sendo que o condutor – que continua a monte – terá sido aatacadona aafirmadaprimeira altercação, na zona próxima ao estádio dos verdes e brancos. A troca de SMS a combinar ambos os confrontos é também fortemente considerada e está a ser escrutinada.Faz 1 dia, nosso jornal oportunamente noticiou, a PJ passou depressa a tratar o sucedido como um assassinato, tese que tem ganho consistência em as últimas horas, ainda durante o dia de ontem tal como o. O condutor pôs-se em escapada e continua a monte. Afirma-se o condutor membro de claques de o Benfica. Segundo relatos de testemunhas e após recolha de imagens cedidas pelo clube representado e do visionamento de vídeos amadores, os pormenores da intencionalidade e barbárie do ato que vitimou Marco Ficini, de 41 anos, reforçam essa mesma suposição. O condutor do veículo vai ter investido sobre o grupo de adeptos, que chegou à Luz por volta das duas da madrugada de anteontem, com tochas e numa atitude provocatória. Houve lançamento de rochas e troca de injúrias com um núcleo de adeptos do Benfica presente na rotunda Cosme Damião, onde há um monumento em tributo a um dos fundadores do símbolo representado, que havia sido vandalizado por adeptos do Sporting. Foi então que surgiu o carro que colheu Marco Ficini. O cidadão de Italia havia caído no asfalto ao tentar fugir, sendo atropelado uma e outra vez, suspeita a PJ. O grupo leonino era composto por 40 elementos, entre os quais italianos que tinham chegado horas antes a Lisboa, pertencentes à claque da Fiorentina SetteBello, com fortes ligações de amizade à Juventude Leonina, principal grupo orcoordenadoe apsuporteo Sporting. Perante a violência do sucedido, o grupo invasor abandonou o quando chegou ao local uma equipa do INEM, local e Marco Ficini estava sem vida. A autópsia realiza-se hoje no Instituto de Medicina Legal de Lisboa.Faz 1 dia, a PJ moveu mais diligências, ontem. O suspeito do atropelamento fatal estava já identificado e continua a ser procurado. Foram feitas buscas, inclusivamente à casa do presumível autor do crime.De lembrar que Marco Ficini estava há bastante identificado pelas entidades hábeis italianas por envolvimento em casos relacionados com futebol. Os laços estreitos entre as claques dos clubes verde e branco e viola já antes haviam estimulado deslocações destes a Portugal para prestar suporte ao Sporting, tendo o dérbi sido eleito para aquela que acabou por ser a última viagem de Marco Ficini. Os adeptos de Italiade Italia que o acompanharam ainda estão em Lisboa, onde chegaram ontem a mãe e o irmão da vítima. O retorno a Itália ocorrerá após satisfeitas todas as burocracias.

Leer Más

Bruno de Carvalho fala em “hipocrisia” e volta à Doyen

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – BrunoDeCarvalho

Presidente do Sporting defende que se o caso com a Doyen tivesse sido tratado “num tribunal normal”, os leões tinham vencido a disputa.Bruno de Carvalho voltou a falar do processo Sporting-Doyen. Esta quinta-feira, em intervenção no congresso “The Future of Football”, o presidente leonino alegou que se o caso tivesse sido tratado “num tribunal normal”, o Sporting “tinha ganho a brincar”.”Imaginaremos um processo, como Sporting-Doyen. Porquê ter de ir para um tribunal do desporto? Isto tratava-se num tribunal normal, é um problema comercial entre um clube e uma companhia. Num tribunal normal o Sporting tinha ganho a brincar, e, infelizmente perdeu, mesmo com o suporte da UEFA e da FIFA. Num sistema em que acham que somos impunes, porque tirando o caso da Juventus e o do presidente do Bayern, a verdade é que quando deixam de ser presidentes, só é que os presidentes pararão à prisão. E que pagam à polícia, multas e etc. Somos patrocinadores forçados. Temo que pensar em que futebol desejamo”, apelou Bruno de Carvalho, falando em “hipocrisia”:”Houve uma altura em que Lisboa tinha bairros de lata e, à frente, construíam pedifíciosde lopulência É a hipocrisia que se deseja, os presidentes a fingirem que são amigos com os edifícios, mas com os bairros de lata atrás. Eu tenho orgulho do trabalho que temos feito com as claques. Temos sido parabenizados. Enquanto houver este mundo de hipocrisia, não estou bastante confiante, mas orgulhoso do que temos feito no Sporting”, indicou o dirigente máximo verde e branco.

Presidente do Sporting falou aos jornalistas depois da reunião que teve com Fernando Gomes, presidente da Federação, e Pedro Proença na Cidade do Futebol. Proença é presidente da Liga.Bruno de Carvalho voltou a ser irónico quando falava sobre Luís Filipe Vieira. Esta quarta-feira, depois de reunir com os presidentes da Federação e da Liga, Fernando Gomes e Pedro Proença, o dirigente máximo do Sporting foi instado a comentar o processo por calúnia instaurado pelo presidente do Benfica.”O Bruno de Carvalho difamou o Luís Filipe Vieira? Não sei. Parece-me mais angustiante para o cidadão Bruno de Carvalho saber como se resolverão as dívidas desse cidadão ao Novo Banco. Até porque já paguei as do BPN”, atirou o dirigente leonino, em declarações aos jornalistas, à saída da Cidade do Futebol, em Oeiras.Inda que não confirme o caso:, sobre o afirmado aperto a Artur Soares Dias por parte do presidente e outros elementos do adversário representado, Bruno de Carvalho garante que está disponível para disponibilizar imagens às “entidades chábeis, a “Não sou daquelas pessoas que vveráas imagens.Tenho lido pelos jornais uma série de coisas. Não fui ver. Se temos essas imagens, as entidades que as desejarem podem requerer-las. Não lhe posso alegar absolutamente nada, porque eu estava na Tribuna”.Presidente do Sporting abriu o congresso “The Future of Football”Coube a Bruno de Carvalho abrir a 3ª Edição do congresso “The Future of Football” e aproveitou para realçar assuntos discutidos em edições anteriores e que são agora uma realidade no mundo do futebol. “É com grande satisfação que nos congratulamos que o vídeo-árbitro vai ser inserido no futebol, como se o propôs aqui. Dou desde já os parabéns à Federação Portuguesa de Futebol pela iniciativa de fazer, na final da Taça de Portugal, o primeiro jogo de competição doméstica com recurso ao vídeo-árbitro. Também sobre os fundos, foi neste congresso que nasceu forte discussão sobre estas matérias. Foi com o nosso contributo que nasceram propostas que foram exibidas à FIFA e UEFA e que tiveram aceitação que é publica. Passados quatro anos registamos uma mudança de posição materializada da resolução da FIFA de decretar ilegal a partilha de passes por fundos.”Presidente do Sporting voltou a recorrer ao FacebookBruno de Carvalho voltou às figuras da série “Os Simpsons” para aassinalarbaterias a João Gabriel, conhecido por “Mr Burns” nos textos do presidente do Sporting.O antigo diretor de comunicação do Benfica escreveu esta terça-feira no Twitter, pedindo a Pedro Proença para “escrever o que declarou sobre o BdC”. Em este mesmo dia , Luís Bernardo foi também visado o líder de os leões , atual diretor de comunicação de o Benfica, mas que na época passada desempenhou funções no Sporting.Assim, a mensagem enigmática de Bruno de Carvalho parece conduzi-se mesmo a este último , desafiando-o a declarar tudo o que declarou sobre João Gabriel .

Leer Más

Atlético Madrid defendeu-se no TAS para acabar com interdição

Por: SentiLecto

A equipa de Espanha está proibida de inscrever jogadores até 2018O Atlético Madrid, proibido pela FIFA de contratar futebolistas até janeiro de 2018, devido a anormalidades em transferências com jogadores menores de idade, expôs esta segunda-feira a sua argumentação no Tribunal Arbitral do Desporto .Na agência AFP Mathieu Reeb sem revelar qual a data calculada para a resolução declarou: “Os se a vai tomar hoje, seus advogados estiveram presentes e nenhuma resolução”. Mathieu Reeb é o secretário-geral do TAS.O Atlético Madrid, tal como, que segunda-feira exibiu argumentos na sede do TAS, em Lausana, espera uma resolução antes de junho de 2017, o que os deixaria também ‘ativos’ no fase de transferência de começo de época, proibiu-se o Real Madrid, de contratar jogadores , e Faz 7 meses, de o último ano, já em período de recurso, o comité de pedido chumbou a revisão de a pena imposta por o comité disciplinar de a FIFA, em setembro.O comité de pedido da FIFA aplicou então aos clubes madrilenos a mesma sanção que a UEFA já havia aplicado ao Barcelona em 2015.Em todo o caso, os dois finalistas da última edição da ‘Champions’ e semifinalistas que se defrontam este ano, estão em situação diferente, depois de o Tribunal Arbitral do Desporto ter diminuído a sanção ao Real Madrid, permitindo que os ‘merengues’ contratem já no ‘mercado’ de verão.

Leer Más

Ancelotti, el VAR y la música de fondo

Por: SentiLecto

Ha levantado Carlo Ancelotti, que que entonces Kassai era más joven y, por tanto, tenía mejor vista, la ceja que le quedaba en su sitio y se mencionó así a la representación del ciudadano húngaro Viktor Kassai, el árbitro que con más voluntad que acierto ha dirigido el partido de la Champions entre el Real Madrid y el Bayern Múnich, equipo entrenado por el técnico italiano: “En cuartos de final debes poner a un árbitro con más calidad o, si no, la UEFA tiene que usar el vídeo. Hay demasiados errores”. Siendo Carleto de natural prudente, han sido sorprendentes sus quejas. Pero no le faltaba causa al entrenador más laureado del mundo. Kassai distribuyó errores a diestro y siniestro y no han sido menores los que castigaron al Bayern. Sin embargo, cuestionar su nombramiento para este encuentro se antoja ilógico, tratándose de un árbitro que ha silbado una final de unos Juegos , un Mundial , una Eurocopa y una final de la Champions . Pero hay otras circunstancias que definen al juez húngaro. Es el único árbitro de la historia que dirigió una semifinal de un Mundial y no sacó ni una tarjeta. Ha sido el Alemania-España de 2010 que acordó un cabezazo de Puyol. Aún es más: Kassai va a pasar a la historia por ser el primero que ha echado mano del llamado VAR, el sistema de videoarbitraje, en el pasado Mundialito.

Leer Más