CarlosArthurNuzman.jpg

Dirigentes do COI provam desconforto por denúncia contra Nuzman

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Carlos Arthur Nuzman

“Você não tem uma questão mais fácil?”, indagou o de Chile Neven Ilic, 55, presidente do comitê olímpico de seu país e da Odepa na quinta-feira , em pausa da sessão do COI no centro de convenções limarense.

Ele havia sido questionado sobre o inquérito que corre no Brasil e na França e que envolve o cartola de Brasil mais influente dos últimos anos no esporte olímpico.

Suspeito de atuar como elo no esquema de compra de votos que deu ao Rio de Janeiro a Olimpíada de 2016, Carlos Arthur Nuzman, 75, é assunto delicado dentro do complicado organograma de 134 membros -ativos e honorários, sem direito a voto- do COI, cheio de dirigentes desportivos, ex-atletas, herdeiros reais e personalidades. Seus advogados negam qualquer relação com o caso.

O de Sullana não entrou em detalhes a respeito do caso de Nuzman e deu resposta evasiva.À parte esta modalidade, todos os esportes disputados na Rio-2016 e em Tóquio-2020 devem ser conservados nos Jogos de Paris.

Na quarta-feira 06 de setembro Eric Maleson, 50, havia conduzido a CBDG e havia participado dos Jogos Olímpicos de Inverno como desportista do bobsled, mas seu papel dentro do esporte nacional havia ganhado um novo capítulo .

Carlos Arthur Nuzman é um advogado, desportista e político brasileiro.

É inegável, no entanto, que a simples citação do tema causa enorme desconforto entre dirigentes, embora não haja denúncia formal contra ele das autoridades de Brasil e francesas, que começaram o inquérito ao mirarem os senegaleses Lamine Diack, ex-membro do COI, e seu filho, Papa Massata.

Na sua vez, também discursaram pela causa norte-americana a velocista Allyson Felix, detentora de nove medalhas olímpicas, e a ex-nadadora Janet Evans, talento de quatro ouros em Olimpíadas.

Eles teriam recebido milhões para influir votantes a elegerem o Rio e também Tóquio para os Jogos de 2020.

Por outro lado, situação semelhante já acontecera para a votação dos Jogos de Inverno de 2022, quando, após inúmeras desistências, somente Pequim e Almaty restaram na disputa. Os chineses triunfaram.

Internamente, existe pressão para que a entidade atue com pulso firme para reprimir reiterados casos de corrupção que têm maculado sua imagem, entre eles o que envolve o presidente do COB e do Comitê Rio-2016.

Poucos, porém, verbalizam. Um membro do órgão que pediu para não ser identificado declarou à Folha que, até pouco tempo atrás, ele era “um dos nossos”.

O mal-estar transpareceu na forma como a chefe da delegação de coordenação da Rio-2016, a marroquina Nawal el Moutawakel, evitou contato com jornalistas.

Reação similar ao do suíço Patrick Baumann, que na quarta-feira , data em que Paris e Los Angeles foram eleitas sedes dos Jogos de 2024 e 2028, alegou que “não era hora” de falar da suspeita de compra de votos.

“Esqueça. Hoje é um dia para se comemorar”, disparou.

Nuzman foi membro ativo do comitê entre 2000 e 2012, e há quatro anos tornou-se honorário -atualmente, ele também compõe a delegação de coordenação para os Jogos de Tóquio-2020.

Jamais conseguiu, dentro da hierarquia, ocupar uma posição de domo, como fazer parte do comitê executivo.

Ainda assim, ganhou apreciável influência no mundo olímpico, confirmada com o triunfo do Rio para os Jogos de 2016, hoje sob suspeita.

Ele conduz o COB há 22 anos, desde 1995, e por outros 20 comandou a Confederação Brasileira de Vôlei -foi desportista da modalidade, com participação nos Jogos de Tóquio-1964.

Na história dos Jogos, foi o único presidente do comitê organizador a acumular a posição de mandatário do comitê olímpico do país-sede.

Nuzman viajaria ao Peru para participar do acontecimento do COI e também pediria recursos para acalmar os afirmados R$ 100 milhões de dívida que a Rio-2016 deixou principalmente com provedores. Contudo, não pôde viajar

Pois teve seus passaportes apreendidos pela Polícia Federal.

Durante os três dias de sessão em Lima, a voz mais crítica à atuação do COI foi do canadense Richard Pound. No passado vice-presidente e culpada por negociar direitos de transmissão do comitê, ele exigiu um comportamento mais rígido de seus pares.

“O COI precisa dar um tempo. Pensar no que fazer para reparar isso. A as alegações e de os membros foi absolutamente afetada sua fama de compra de votos.”

Segundo o canadense, há anos o COI tem unido críticas e reclamações contra o comportamento de Nuzman dentro do Brasil. Algumas delas foram feitas por Eric Maleson que encaminhou relatórios nos quais declarou que Nuzman, de quem é desafeto, fazia administração temerária. Eric Maleson é ex-presidente brasileiro no Gelo.

Eric Leme Walther Maleson é o fundador e ex-presidente da Confederação Brasileira de Desportos no Gelo .

Maleson prestou testemunho e cooperou com procuradores de Francia no inquérito. “Eu mesmo recebi cópias de pessoas que mandaram esses documentos. O COI tem posse de muito material relativo a Nuzman”, complementou Pound.

Isso não significa que haja consenso sobre qual medida tomar. Inicialmente, o COI realçou que sua delegação de Moralidade, que agora é chefiada pelo ex-secretário-geral da ONU Ban Ki-moon, é quem vai se encarregar da condução do caso e aplicar eventuais sanções aos envolvidos.

“Vamo atuar depressa, quando as Justiças do Brasil e da França nos derem provas. É preciso tomar cuidado com declarações de algumas pessoas que as disparam com outros propósitos, como políticas. Terá que pagar, se Nuzman for culpado. Mas ninguém pode ser culpado sem que haja prova”, comentou Gerardo Werthein, membro de Argentina do COI.

A sessão do COI em Lima concluiu nesta sexta-feira , mas o eco da suspeita de compra de votos não parece ver linha de chegada no horizonte.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States, Peru, Brazil, France

Cities: Los Angeles, Paris, Lima, Franca

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Dirigentes do COI provam desconforto por denúncia contra Nuzman
>>>>>COI confirma Olimpíadas com sedes em Paris-2024 e Los Angeles-2028 – September 13, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>COI reconhece que eleições de sedes olímpicas podem ter sido fraudadas – September 11, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>Novo chefe de ética do COI, Ban Ki-moon evita comentar caso de Nuzman – September 14, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>Sob vigilância, levantamento de peso tem de se ajustar para Jogos de 2024 – September 15, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Paris vai organizar os Jogos Olímpicos de 2024 e Los Angeles os de 2028 (COI) – September 13, 2017 (Euronews-pt)
>>>>>>>>>>>>>Tensão na Coreia não preocupa Thomas Bach – September 13, 2017 (Euronews-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>’Bombardeamos tudo que se movia': os ataques que explicam o rancor histórico da Coreia do Norte com os EUA – (BBCBrasil-pt)
>>>>>>>>>Sede dos Jogos da Juventude, Buenos Aires mira Olimpíada em 2032 – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Carlos Arthur Nuzman 430 60 PERSON 9 ele (referent: Nuzman): 1, (tacit) ele/ela (referent: Carlos_Arthur_Nuzman): 1, Carlos_Arthur_Nuzman: 2, (tacit) ele/ela (referent: Nuzman): 1, Nuzman: 4
2 COI 30 0 ORGANIZATION 8 (tacit) ele/ela (referent: o COI): 1, (tacit) ele/ela (referent: O COI): 1, Ele (referent: o COI): 1, o COI: 3, O COI: 2
3 eu 0 35 NONE 6 (tacit) eu: 5, Eu: 1
4 Eric Maleson 40 0 PERSON 4 Eric_Maleson: 1, Eric_Maleson (apposition: ex-presidente de a Confederação_Brasileira_de_Desportos): 1, Maleson: 1, (tacit) ele/ela (referent: Maleson): 1
5 investigação 0 0 NONE 4 a investigação: 4
6 Richard Pound 0 0 PERSON 3 ele (referent: o canadense Richard_Pound): 1, Pound: 1, o canadense Richard_Pound: 1
7 a França 0 0 PLACE 3 a França: 3
8 o Gelo 0 0 PLACE 3 o Gelo: 3
9 Brasil 0 0 PLACE 2 o Brasil: 1, Brasil: 1
10 Jogos 0 0 ORGANIZATION 2 os Jogos de Tóquio-2020: 1, os Jogos de Tóquio-1964: 1