Mortes: João Prefeito foi líder comunitário em Heliópolis, em SP

Por: SentiLecto

Aos 14 anos, o paraibano João Isaías, que de Feira de Santana , onde vivia com 12 irmãos, subiu em um caminhão rumo a São Paulo, decidiu tentar a vida na cidade grande.

Quando chegou ao Brasil, em 1939, a retrospectiva da vida de Alfredo, judeu de Alemania, era um rosário de injustiças. Tratou de não replicá-las: foi um dos primeiros empresários do país a disponibilizar advogados aos empregados, quando teve algum poder.

Na terça-feira 07 de novembro filha de italianos, havia passado a infância em Barretos , onde havia nascido, e no bairro de Paulista do Brás. Aos 18 anos, havia obtido o primeiro emprego como professora em uma escola rural no interior do Estado.

Deu certo. Conheceu quem lhe desse moradia e trabalho de faxineiro em uma metalúrgica. Pouco tempo depois, trouxe toda a família para morar consigo.

Quando as pessoas começavam a construir seus barracos, nos anos 70, foi morar em Heliópolis . Foi nesta época que começou a militar por melhores condições de moradia, fundando a primeira associação de habitantes. Sua persistência era tamanho que ficou conhecido como “João Prefeito”.

As medidas do governante oficioso foram muitas: utilizava seu carro como uma emissora de rádio ambulante; levava as pessoas para consultas em clínicas e postos de saúde; auxiliou a trazer saneamento e eletricidade para a região.

Um dos filhos faleceu jovem, envolvido com o tráfico de drogas. “Por isso a minha luta é tirar os jovens das ruas. Através da educação a gente consegue modificar”, declarou em 2012 a um jornal local.

Por outro lado, a solicitude vinha de antes: costumava suspender os momentos de descanso em sua chácara para atender telefonemas de clientes com dúvidas sobre fluxo de caixa. “A gente chamava o escritório de ‘Casa de Caridade São Sebastião’. Não cobrava os inadimplentes, auxiliava funcionários com problemas pessoais. Só se aborrecia ao ver a mesa bagunçada”, alega Andrêia, sobrinha e sócia.Filho de refugiados do genocídio cometido pelo Império Turco-Otomano, começou a trabalhar aos sete anos, mascateando amendoim.

Nos últimos tempos, João conseguiu realizar um sonho antigo: voltar a estudar. Concluiu os ensinos fundamental e médio, fez curso técnico de processos gerenciais e, em seguida, ingressou na faculdade de serviço social, onde se formou no ano passado.

Sem poder saciar o apetite intelectual desde a adolescência, entrou na faculdade só depois de ter se firmado como homem de negócios. Graduou-se e deduziu um mestrado em filosofia do direito no largo São Francisco.

Faz 4 anos, foi também gerente de o Mercado Municipal do Ipiranga em a administração Haddad a 2016.

Pilar.obituario@grupofolha.com.br

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Brazil

Cities: Sao Paulo, Feira De Santana

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Mortes: João Prefeito foi líder comunitário em Heliópolis, em SP
>>>>>Mortes: Um industrial com alguns parafusos a mais – November 15, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Mortes: Médico gaúcho investigou tudo que o cercava – (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Mortes: Astrônomo dos tempos do Renascimento – (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Mortes: Médica era ativista da saúde das mulheres – (FolhaGeneric)
>>>>>Mortes: Traduzia a contabilidade para o português – (FolhaGeneric)
>>>>>Mortes: Calçadista foi ‘presidente’ da república armênia do Imirim – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 João 0 80 PERSON 5 João: 1, (tacit) ele/ela (referent: João): 4
2 paraibano 0 0 ORGANIZATION 5 o paraibano João_Isaías: 2, (tacit) ele/ela (referent: o paraibano João_Isaías): 3
3 Heliópolis 0 15 PLACE 3 (tacit) ele/ela (referent: Heliópolis): 3
4 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 3
5 a gente 0 80 NONE 2 (tacit) ele/ela (referent: A gente): 2
6 gente 40 0 NONE 2 a gente: 1, A gente: 1
7 pessoas 0 0 NONE 2 as pessoas: 2
8 o tráfico de drogas 0 150 NONE 1 o tráfico de drogas: 1
9 o genocídio cometido 0 130 NONE 1 o genocídio cometido: 1
10 problemas pessoais 0 80 NONE 1 problemas pessoais: 1