Mortes: Um industrial com alguns parafusos a mais

Por: SentiLecto

Alfredo não era de preparar, mas mesmo assim foi expulso da escola aos 15 anos. Seu pai, um rico madeireiro, tampouco era mau pagador, o que não impediu o governo de bloquear as remessas que fazia para quitar as mensalidades do novo colégio do filho, na Inglaterra, que quando chegou ao Brasil, em 1939, a retrospectiva da vida de Alfredo, judeu de Alemania, era um rosário de injustiças. Tratou de não replicá-las: foi um dos primeiros empresários do país a disponibilizar advogados aos empregados, quando teve algum poder.

Faz 49 anos, voltou a o Brasil, convidado a desenvolver sua pesquisa em a USP. Do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas, foi professor titular de 1987 a 2009.Não tardou muito. Passou de primeira, aos 17 anos. Na cidade, foi sócia de uma clínica, trabalhou em seu hospital e na rede pública.

Na terça-feira 07 de novembro filha de italianos, havia passado a infância em Barretos , onde havia nascido, e no bairro de Paulista do Brás. Aos 18 anos, havia obtido o primeiro emprego como professora em uma escola rural no interior do Estado.

A vida de industrial iniciou no final da década de 1940, após uma malograda tentativa de cultivar algodão no Recife. Ao lado do irmão e de um primo, fundou a Mapri, no antigo bairro fabril da Pompeia, em São Paulo. Com o passar dos anos, o estabelecimento tornou-se a maior fábrica de parafusos do país.

Fundou o Instituto Zero a Seis, voltado ao desenvolvimento humano do nascimento até o sexto ano. Através dele, foi parceiro de autoridades nacionais e internacionais.Em São Paulo, especializou-se psiquiatra e, depois, migrou para a psicanálise. Até tempos atrás, sua atuação mais realçada era no campo da dor.

Também foi bastante ativo em entidades de classe: chefe do sindicato patronal de seu setor, chegou a ser vice-presidente da Fiesp , onde aproximou-se de José Mindlin e Celso Lafer.

Celso Lafer Gcih é um advogado, jurista, professor, membro da Academia Brasileira de Letras e ex-ministro das Relações Exteriores brasileiro.

Sem poder saciar o apetite intelectual desde a adolescência, entrou na faculdade só depois de ter se firmado como homem de negócios. Graduou-se e deduziu um mestrado em filosofia do direito no largo São Francisco.

Bom tenista e ávido leitor de biografias, tinha um extenso repertório de piadas de judeu.

Pilar.obituario@grupofolha.com.br

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Brazil, United Kingdom

Cities: Sao Paulo, Recife

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Mortes: Um industrial com alguns parafusos a mais
>>>>>Mortes: Médico gaúcho investigou tudo que o cercava – (FolhaGeneric)
>>>>>Mortes: Astrônomo dos tempos do Renascimento – (FolhaGeneric)
>>>>>Mortes: Médica era ativista da saúde das mulheres – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Celso Lafer 0 80 PERSON 2 (tacit) ele/ela (referent: Celso_Lafer_Gcih): 1, Celso_Lafer_Gcih: 1
2 Instituto Zero 0 0 ORGANIZATION 2 o Instituto_Zero: 1, ele (referent: o Instituto_Zero): 1
3 São_Paulo 0 0 PLACE 2 São_Paulo: 2
4 escola 0 0 NONE 2 a escola: 1, uma escola rural: 1
5 o Brasil 0 0 PLACE 2 o Brasil: 2
6 seu pai um rico madeireiro tampouco era mau pagador em a inglaterra que em 1939 a retrospectiva de a vida de alfredo judeu alemão era um rosário de injustiças 80 160 NONE 1 Seu pai um rico madeireiro tampouco era mau pagador em a Inglaterra que em 1939 a retrospectiva de a vida de Alfredo judeu alemão era um rosário de injustiças: 1
7 bom tenista e ávido leitor de biografias 80 80 NONE 1 Bom tenista e ávido leitor de biografias: 1
8 uma malograda tentativa 0 80 NONE 1 uma malograda tentativa: 1
9 Alfredo 0 70 PERSON 1 Alfredo não era de aprontar: 1
10 eu 0 40 NONE 1 (tacit) eu: 1