Petrobrasbolivia2006.jpg

Petrobras desaba 8% após balanço e Bolsa de Brasil cai 2,3%; dólar sobe

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Petrobrasbolivia2006

As ações da Petrobras desabaram após o mercado avaliar que o lucro da estatal ficou abaixo do esperado e levaram a Bolsa ao menor platô em quase três meses. O dólar fechou em alta, na contramão da tendência de enfraquecimento do exterior por causa das incertezas em torno da reforma tributária nos Estados Unidos.

Petróleo Brasileiro S.a. é uma companhia de capital aberto, cujo acionista majoritário é o Governo do Brasil, sendo, portanto, uma companhia estatal de economia mista.

O Ibovespa, que reúne as ações mais negociadas da Bolsa, recuou 2,27%, para 70.826 pontos, no menor nível desde 23 de agosto.

O dólar comercial subiu 0,42%, para R$ 3,312, maior nível desde 30 de junho. O dólar à vista aprogrediu0,15%, para R$ 3,302.

A Petrobras foi o grande destaque da sessão e liderou as perdas do índice. A estatal divulgou, na noite de segunda-feira, lucro de R$ 266 milhões no terceiro trimestre do ano. O resultado, porém, ficou bem abaixo do esperado pelo mercado. Analistas consultados pela agência internacional Bloomberg estimavam o lucro em R$ 3,56 bilhões.

Segundo a companhia, a diferença reflete fatores não recorrentes, como a adesão a programas de regularização tributária e provisão para contingências judiciais, que impactaram o resultado negativamente em R$ 2 bilhões.

Se penalizaram as ações no entanto, em esta sessão. Os papéis preferenciais da estatal recuaram 7,75%, para R$ 15,35. As ações ordinárias, com direito a voto, desabaram 8,18%, para R$ 16,05.

“Com mais um resultado abaixo do esperado pelos agentes do mercado, era esperado que um ajuste pontual no custo da ação se materializasse. Mas, apesar disto, continuamos otimistas com a companhia e sua administração, que tem mostrado grande grau assertivo desde a crise que se abateu sobre a companhia”, alega, em Pedro Galdi analista-chefe da Magliano Corretora. Pedro Galdi é relatório.

“A gente avalia que o fato de a companhia estar fazendo os ajustes é positivo. Complementa, ficará melhor, é uma situação bastante melhor do que a gente via antes na companhia, quando fizer o IPO [oferta pública inicial de ações] da BR Distribuidora que quando tem um equilíbrio nessa estrutura de capital, fica mais tranquilo”. A BR Distribuidora é a relação Dívida-Ebitda dela.

A desvalorização superior também afetou os papéis a %2 de os custos de o petróleo em o exterior. A queda aconteceu por previsões de ampliação da produção nos Estados Unidos e por um cenário menos otimista para o crescimento da procura pela AIE .

Aqui, a reforma da Previdência segue no radar dos investidores, com a aproximação do fim da janela para eleição da proposta do governo. “O prazo está bastante apertado. O Congresso emendou a semana toda. Para o texto ser aprovado e ir ao Senado, faltam poucos dias úteis. Então isso gera um movimento de aversão ao risco”, alega Galdi.

Na quinta , o presidente Michel Temer declarou acreditar que, desde que seja explicada direito, é possível aprovar as mudanças. Nesta sexta, o ministro Henrique Meirelles alegou que a reforma precisa conservar vantagens fiscais “substancialmente” acima de 50% do texto originalmente sugerido pelo governo, de R$ 800 bilhões.As dúvidas sobre a habilidade do governo de aprovar a reforma da Previdência pesaram sobre o mercado financeiro nesta sexta e fizeram a Bolsa de Brasil emendar a quarta semana seguida de desvalorização. O dólar subiu nesta sessão, mas acumulou queda nesta semana por preocupações com o plano tributário do estadunidense Donald Trump.

Na segunda-feira 06 de novembro o dólar havia devolvido nesta segunda parte da valorização padecida ne quando ainda reagia às turbulências cprovocadaspelo vazamento da delação do empresário Joesley Batista, havia tido a maior queda diária desde 19 de maio da JBS.A Bolsa havia sustentado a segunda alta seguida e havia recuperado os 74 mil pontos.

AÇÕES

Além da Petrobras, outro destaque negativo foi a Vale, cujas ações caíram quase 3%, apesar da alta de 1,58% do custo do minério de ferro.

As ações ordinárias da Vale recuaram 2,96%, para R$ 32,16. Os papéis preferenciais caíram 2,89%, para R$ 29,93.

Das 59 ações do índice Ibovespa, exclusivamente quatro subiram. Uma ficou estável e 54 concluíram no vermelho.

Enquanto a CSN caiu 5,84%, as ações da Usiminas recuaram 7,59%. A Metalúrgica Gerdau perdeu 5,38%, e a Gerdau se desvalorizou 4,69%.

No setor financeiro, as ações do Itaú Unibanco caíram 1,92%. Os papéis preferenciais do Bradesco tiveram baixa de 2,13%. As ações ordinárias do banco tiveram desvalorização de 1,61%. As ações do Banco do Brasil recuaram 2,39%. As units -conjunto de ações- do Santander Brasil fecharam com queda de 3,94%.

No mercado cambial, o dólar perdeu força em relação a 18 das 31 principais moedas globais. Na contramão, o real foi a segunda moeda que mais se desvalorizou ante a divisa de America.

A pressão sobre o dólar continua vindo das dúvidas sobre a reforma tributária estadunidense. A Câmara dos Deputados e o Senado divergem em relação a alguns pontos do texto, e os investidores aguardam uma sinalização de como as posições podem ser compatibilizadas.

No mercado de juros futuros, os contratos mais negociados tiveram dia de alta. Em 1 ano, o DI subiu de %7,165 para %7,175. Em 2 anos, a taxa progrediu de %7,270 para %7,280.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United States

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Petrobras desaba 8% após balanço e Bolsa de Brasil cai 2,3%; dólar sobe
>>>>>Bolsa emenda quarta semana de queda com dúvidas sobre Previdência – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 r 0 0 NONE 9 R: 9
2 dólar 25 0 NONE 7 O dólar: 3, o dólar: 3, O dólar comercial: 1
3 ações 80 190 NONE 5 as ações: 2, ações: 1, as 59 ações: 1, As ações ordinárias: 1
4 Bolsa 25 0 ORGANIZATION 4 mais negociadas de a Bolsa: 1, a Bolsa: 1, a Bolsa brasileira: 1, A Bolsa: 1
5 empresa 0 0 NONE 4 a empresa: 4
6 mercado 0 0 NONE 4 o mercado cambial: 1, o mercado financeiro: 1, o mercado: 2
7 queda 70 0 NONE 3 A queda: 1, queda de %3,94: 1, queda: 1
8 alta 0 0 NONE 3 a segunda alta seguida: 1, alta: 2
9 reforma 0 0 NONE 3 a reforma tributária: 1, a reforma: 1, reforma tributária: 1
10 resultado 0 0 NONE 3 o resultado: 1, um resultado: 1, O resultado: 1