DeclarationdesDroitsdel27HommeetduCitoyende1793.jpg

Por que a China barrou o Ursinho Pooh nas redes sociais

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Declaration des Droits de l’Homme et du Citoyen de 1793

Estes são links externos e vão abrir numa nova janela

A notícia de que a China proibiu a utilização de imagem da ursinho Pooh pode parecer bizarra à primeira vista, mas a resolução faz parte de uma operação para evitar que bloggers mais espertos “driblem” a censura que vigora no país.

O personagem da Disney vinha sendo utilizado em memes para ironizar ninguém menos que o presidente Xi Jinping – aparentemente, o porte físico do líder se assemelha ao do urso. Algo ressaltado em uma fotografia de Jinping caminhando ao lado do ex-presidente dos EUA, Barack Obama, em 2013 .

Comparou-se Jinping também com Pooh após um encontro com o premiê japonês, Shinzo Abe, marcado por um insólito aperto de mão.

Montagens dos dois circularam na internet – Abe, por sinal, foi “encarnado” pelo burrinho Bisonho.

Em outra ocasião, quando Jinping foi discursar do alto da limusine presidencial durante uma cerimônia militar, uma fotografia de Pooh em seu próprio “veículo” também se multiplicou nas redes sociais.

Além de censurar as brincadeiras com o líder, as autoridades de China não desejam que um personagem infantil seja associado à imagem de Xi Jinping.

Na China a história é diferente, se se o permite em outros países escarnecer de o presidente. Se trata a figura de o líder com imensa seriedade.

O Finantial Times alega que deu-se uma justificativa oficial não para o sucedido mas progride uma explicação. O Finantial Times é o primeiro jornal a contar a história.Um professor universitário chinês mencionado pelo Finantial Times alega que antes havia na China duas coisas coisas proibidas, as organizações políticas e as ações políticas e que agora “há uma terceira interdição, falar do presidente”.

E o sarcasmo dos blogueiros ativistas da China às vezes é bem refinada: um exemplo é a utilização de um bordão da ex-presidente Hu Jintao, que falava em “promover uma sociedade harmoniosa” no país. Uma frase encarnada pelo hexagrama “和谐”.

Blogueiros logo apelidaram a censura de “harmonização”, vocábulo que em chinês pode soar como “caranguejo”. Ou seja, se a imagem de um crustáceo aparecer na internet chinesa, pode ser uma referência a algo ter sido censurado.

Não é bastante fácil, contudo, driblar os censores.

Eles conseguiram basicamente apagar do público geralmente a existência do ativista Liu Xiaobo – ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2010, e que faleceu semana passada sob custódia, após quase nove anos de prisão.

Liu Xiaobo foi um crítico literário, escritor, professor, intelectual e ativista pelos direitos humanos e por reformas na República Popular da China.

A maioria dos chineses simplesmente nunca escutou falar dele, sobrevivente do Massacre da Praça da Paz Celestial, em 1989.

O aplicativo de mensagens instantâneas Wechat, o mais popular chino, padece o peso dessa censura, por exemplo.

Seu aparelho ela constará como mandada, se você mandar para alguém uma mensagem utilizando o nome de Liu Xiaobo, no, mas o destinatário nunca receberá-la.

O setor jurídico de Shenyang alegou em um breve comunicado em seu site que Liu padeceu uma falência múltipla de órgãos e que esforços para salvá-lo fracassaram.Liu Xiaobo faleceu aos 61 anos na clínica, onde estava desde 26 de junho devido a um cancro no fígado em período terminal, depois de ter passado mais de oito anos preso pelo que Pequim define como subversão. Liu Xiaobo é prémio Nobel da Paz 2010.

Se bloqueou O acrônimo RIP também em o Weibo, o equivalente chinês a o Facebook.

As autoridades de China conseguem ainda filtrar certos vocábulos ou frases para “derrubar” debates ou tópicos.

Apesar de o Wechat ser uma empresa privada, mesmo os gigantes de tecnologiada China precisam obedecer ao regime.

Curiosamente, não é a primeira vez que o ursinho Pooh se vê em maus lençóis na China.

Em meio a um clima tenso no partido por causa da política de baixa tolerância do presidente com a corrupção, qualquer desafio à autoridade do líder, por menor que seja, não dterá que terespaço.

Fonte: BBCBrasil-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: United States, China

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Por que a China barrou o Ursinho Pooh nas redes sociais
>>>>>Ursinho Pooh banido das redes sociais chinesas – July 17, 2017 (Euronews-pt)
>>>>>Nobel da Paz e dissidente chinês Liu Xiaobo morre aos 61 anos – July 13, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Nobel da Paz Liu Xiaobo está em estado crítico, diz hospital chinês – (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Liu Xiaobo em “estado crítico” – (Euronews-pt)
>>>>>>>>>Piora estado de saúde de Liu Xiaobo, segundo o hospital – (EfeGeneric)
>>>>>O mundo reage à morte de Liu Xiaobo – July 14, 2017 (Euronews-pt)
>>>>>>>>>Médicos estrangeiros defendem que Liu Xiaobo deve deixar o país – (Euronews-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Liu Xiaobo 70 215 PERSON 6 Liu: 1, (tacit) ele/ela (referent: o ativista Liu_Xiaobo): 1, Liu_Xiaobo (apposition: prémio Nobel_da_Paz): 1, (tacit) ele/ela (referent: Liu_Xiaobo): 2, Liu_Xiaobo: 1
2 a internet 0 17 OTHER 4 (tacit) ele/ela (referent: a internet): 2, a internet: 1, (tacit) ele/ela (referent: a internet chinesa): 1
3 a China 0 0 PLACE 4 a China: 4
4 chinês 0 0 NONE 3 chinês citado: 1, chinês: 1, o equivalente chinês: 1
5 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 3
6 Jinping 0 15 PERSON 2 Jinping: 2
7 autoridades 30 0 NONE 2 as autoridades chinesas: 1, As autoridades chinesas: 1
8 Finantial Times 0 0 ORGANIZATION 2 O Finantial_Times (apposition: o primeiro jornal): 1, o Finantial_Times: 1
9 Pooh 0 0 PERSON 2 Pooh: 1, o ursinho Pooh: 1
10 notícia 0 0 NONE 2 A notícia: 2