‘Tento dar conforto e carinho': o relato da médica de Brasil em clínica que atendeu centenas de feridos em Gaza

Por: SentiLecto

Estes são links externos e vão abrir numa nova janela

A médica de Brasil Liliane Mesquita, de 42 anos, saiu de um plantão de 24 horas em uma clínica em Brasília e foi direto para o aeroporto. Embarcou rumo à Faixa de Gaza,, que está no hclínicaAl Aqsa, na Faixa de Gaza, próximo à fronteira com Israel, que recebeu 336 pacientes na segunda feira, todos vítimas do mais violento dia nos confrontos entre palestinos e israelenses desde 2014, onde está de “férias”, trabalhando como anestesista para a organização Médicos Sem Fronteiras. Segundo autoridades de Palaos, pelo menos 58 palestinos foram mortos e 2,7 mil feridos por soldados israelenses na fronteira entre Israel e o território.

Cerca de três dezenas de palestinianos foram mortos pelas forças de segurança israelitas, na fronteira entre Israel e a Faixa de Gaza. Demonstravam-se contra a transferência da embaixada dos EUA de Telavive para Jerusalém, agendada para esta segunda-feira.Cerca de 30 pessoas faleceram e centenas ficaram feridas esta segunda-feira em confrontos entre palestinianos e soldados de Israel na Faixa de Gaza ao longo da fronteira com Israel.Centenas de palestinos são demonstradas em esta terça-feira em os postos de controle militar israelenses em a Cisjordânia ocupada em dia de greve geral para recordar a Nakba que para eles encarna o nascimento de Israel há 70 anos, que para eles encarna o nascimento de Israel há 70 anos, e de luto pelos 60 mortos ontem em Gaza.

Na sábado 28 de abril havia ficado marcada por novos confrontos na fronteira entre a Faixa de Gaza e Israel. Quando os soldados de Israel haviam disparado sobre os manifestantes que queimavam pneus na tentativa de instituir uma cortina de fumo, os relatos de testemunhas asseguravam que a violência havia tido começo após as orações para se protegerem dos francoatiradores.

Milhares de palestinos tinham participado de protestos na fronteira contra a inauguração da Embaixada dos Estados Unidos em Jerusalém.

Por WhatsApp, à BBC Brasil, aadicionandoque foi preciso operar duas pessoas na mesma sala ao mesmo tempo ainda uutilizara sala de recuperação para fazer cirurgias, “tamanha a dprocuradaquele dia”. alegou: “Eram tantos pacientes que o centro cirúrgico, com três salas de cirurgia, foi insuficiente”.No dia seguinte, um parto foi feito ao lado de um paciente ferido a bala que recebia cuidados médicos.

Ela contou que, não somente em caso de combate, mas em qualquer situação em que há grande fluxo de pacientes, é protocolo fazer uma triagem, identificando casos mais graves como “vermelho” para priorizá-los e para tentar estabilizar o maior número possível de casos.

“Não se tem tempo competente, nem recurso humano suficiente para operar todos… o que se faz é o que se chama de controle de prejuízos num primeiro momento”, justifica.

A maioria dos 40 feridos que foi parar no centro cirúrgico da clínica onde Liliane está trabalhando em Gaza eram homens, jovens e com ferimentos nas pernas, provocados por tiros.

Entre as quase 60 pessoas mortas na segunda-feira estavam sete crianças e um homem que teve as duas pernas amputadas, segundo as autoridades de Palaos. Israel mobilizou mais de 100 atiradores, muitos deles de unidades especiais, em diferentes pontos da fronteira, durante os dias de protestos na região.

Há seis semanas que palestinos da Faixa de Gaza participaram desses protestos, a chamada “Grande Marcha de Retorno” que concluiu na terça, 15 de maio – data em que palestinos recordam a “nakba”, “o desastre”, o êxodo em massa acontecido há 70 anos e que está na raiz do conflito de décadas com os israelenses.

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos criticou Israel pelo “utilização indiscriminada da força” contra os manifestantes de Palaos. Israel declara que comportar-se legitimamente para proteger seus civis de militantes que tentam violar a fronteira.

Os confrontos foram intensificados em a região por causa da transferência de a Embaixada de America de Tel Aviv para Jerusalém. O gesto de America simboliza a aceitação de Jerusalém como capital de Israel. Os palestinos também reivindicavam o direito de ter Jerusalém como capital de seu futuro Estado, e havia um acordo entre as duas partes de que o status da cidade seria decidido no estágio final de negociações de paz – que estão suspensas.

A médica de Brasilde Brasil, que nasceu no Rio e mora há 16 anos em Brasília, não hesitou em declarar que “ama” estar em Gaza. Ela é católica e declara que, em algumas situações e a depender de onde trabalha, precisa utilizar o hijab, o véu que islâmicas utilizam para cobrir a cabeça.

Ela declarou que já não se impressiona mais com a violência da região. , admitindo que tenta dar suporte psicológico aos colegas que estão pela primeira vez numa área de conflito declara: “Não me assusto tanto com essas situações por já ter vivido outras vezes situação de combate”.

Liliane está em sua terceira missão em Gaza, que visitou pela primeira vez em 2012 e, depois, em 2014. Já viajou 11 vezes para integrar equipes da Médicos sem Fronteiras.

Esteve em uma maternidade no Afeganistão, em uma clínica erguida pela organização em Mossul, no Iraque, e também no Iêmen.

Depois que perdeu os pais e o irmão caçula, que faleceram de câncer, ela declara que entrou para a Médicos sem Fronteira por vontade de auxiliar, principalmente. E por que ficou? “Por ter sido a experiência mais transformadora da minha vida”.

Sobre o conflito entre palestinos e israelenses, ela declara ter “amigos nos dois lados”. Alega: “Minha única função é, exclusivamente, atender quem precisa de anestesia e tentar dar afeição, conforto e carinho”.

A médica de Brasil conta ainda que, além de receber feridos em protestos, seu clínica atende todas as “procuras de uma clínica local”. Observa: “As pessoas continuam ficando doentes, as mulheres continuam tendo filhos”.

E foi assim que acabou auxiliando no parto de uma menina, na terça-feira, na mesma sala em que um homem ferido no confronto de segunda estava sob cuidados médicos. O nascimento, segundo ela, “quebrou o clima de nervosismo na clínica”.

Liliane também anestesiou uma criança vítima de queimadura – caso que não estava relacionado ao conflito.

Avalia: “A vida continua”. No fim das férias em Gaza, Liliane volta a Brasília. Vai chegar numa quinta e, no dia seguinte, já começa a trabalhar.

Fonte: BBCBrasil-pt

Sentiment score: NEGATIVE

Countries: Israel, United States, Brazil

Cities: Jerusalem, Brasilia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Tento dar conforto e carinho': o relato da médica de Brasil em clínica que atendeu centenas de feridos em Gaza
>>>>>Dezenas de mortos em confrontos na Faixa de Gaza – (Euronews-pt)
>>>>>Cerca de 30 mortos em confrontos entre palestinianos e o exército de israel – May 14, 2018 (Euronews-pt)
>>>>>>>>>Rutura numa barragem faz cerca de 30 mortos no Quénia – (Euronews-pt)
>>>>>Centenas de palestinos protestam na Cisjordânia nos 70 anos da Nakba – May 15, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Confrontos entre forças de Israel e palestinos deixam 16 mortos e 918 feridos – May 14, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Mahmoud Abbas convoca greve geral para lembrar aniversário da Nakba – May 14, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Número de mortos em protestos na fronteira de Gaza sobe para 52 – May 14, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Um palestino morre e 147 ficam feridos em protestos em Gaza – May 14, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Mudança da embaixada dos EUA para Jerusalém gera greve e protestos em Gaza – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Número de mortos em protestos na fronteira de Gaza sobe para 41 – May 14, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Israel bombardeia 5 “alvos terroristas” do Hamas na Faixa de Gaza – May 14, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Forças Armadas israelenses dizem ter destruído de ataque em Gaza – May 12, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Tropas israelenses matam palestino durante protesto na fronteira – May 11, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Confrontos na fronteira entre Gaza e Israel deixam 41 palestinos mortos – May 14, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Presidente do Paraguai autoriza mudança da embaixada em Israel para Jerusalém – May 09, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Ataques israelenses na Síria deixam pelo menos 23 mortos, diz ONG – May 10, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Suposto ataque israelense contra base iraniana na Síria deixa 15 mortos – May 09, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Israel decide parar “agressão iraniana” mesmo se “envolver confronto” – May 06, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Combatentes e civis se preparam para deixar Damasco em 65 ônibus – May 05, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Bombardeio contra reduto do EI no sul de Damasco mata 11 civis – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Síria afirma ter destruído dezenas de mísseis israelenses – (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Mídia estatal síria diz que Israel realizou ataque pouco após EUA abandonarem acordo com Irã – May 08, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Irã diz ter planos para qualquer decisão de Trump sobre acordo nuclear – May 06, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Placas da embaixada dos EUA em Jerusalém começam a ser instaladas nas ruas – May 07, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Trump conversa com Macron antes de anunciar decisão sobre acordo com Irã – May 08, 2018 (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Israel 30 60 PLACE 9 Israel: 9
2 Liliane Mesquita 0 0 PERSON 8 (tacit) ele/ela (referent: Liliane): 4, (tacit) ele/ela (referent: Liliane_Mesquita de 42 anos): 1, Liliane: 3
3 a Faixa_de_Gaza 0 0 PLACE 6 a Faixa_de_Gaza: 6
4 fronteira 0 0 NONE 6 a fronteira: 6
5 Gaza 0 0 PLACE 5 Gaza: 5
6 Nakba 0 0 ORGANIZATION 5 a nakba: 1, a Nakba: 1, (tacit) ele/ela (referent: a nakba): 3
7 protestos 0 160 NONE 4 protestos: 3, esses protestos: 1
8 palestinos 70 140 NONE 4 palestinos: 2, Os palestinos: 1, 58 palestinos: 1
9 confrontos 0 140 NONE 4 os confrontos: 1, Os confrontos: 1, confrontos: 1, novos confrontos: 1
10 hospital 0 0 NONE 4 seu hospital: 1, um hospital: 1, o hospital: 1, um hospital erguido: 1