Trump estende acordo nuclear do Irã, mas dá 120 dias para convênio ser revisto

Por: SentiLecto

O presidente de America. Donald Trump, estendeu nesta sexta-feira o acordo nuclear firmado com o Irã em 2015, mas declarou que seria a última vez, para dar uma possibilidade aos aliados dos EUA de corrigir “equívocos abomináveis”.

Os advogados de Trump tentaram impedir a publicação do livro nos EUA, mas falharam, e a obra esgotou em minutos na semana passada, tendo sido comparada ao furacão de vendas da série literária “Harry Potter”.

Na quarta-feira 03 de janeiro Após quase umde manifestações opostas ao governo, milhares de iranianos haviam sido às ruas dprovarasuporteao líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei. Seus simpatizantes empunhavam bandeiras nacionais, nas imagens transmitidas pela TV oficial.

São signatários do acordo, além de EUA e Irã, Reino Unido, França, Alemanha, China e Rússia.

Trump em comunicado alegou: “Essa é uma última possibilidade”. “Na ausência de um acordo como esse, os Estados Unidos não vão mais derrubar sanções para conservar o acordo nuclear com o Irã. E se em algum momento eu julgar que um acordo assim não está ao escopo, vou me retirar do acordo imediatamente.”

O acordo de 2015 ergueu sanções impostas pelo Ocidente devido ao programa nuclear de Teerã. A cada três meses, o pacto precisa ser renovado pelos EUA.

Esta desde que assumiu a Presidência que Trump renova o acordo, é a terceira vez , apesar de o ter chamado de “pior acordo da história” durante sua campanha eleitoral e ter ameaçado reiteradas vezes romper o acordo.

Faz 3 meses, Trump havia tirado a certificação de a Casa Branca sobre o acordo, alegando que Teerã não satisfaz o combinado, em outubro passado. Na ocasião, o presidente deixou nas mãos do Congresso a renovação do convênio.

Nesta sexta-feira, a Casa Branca também aprovou sanções —não relacionadas ao programa nuclear— contra Sadeq Larijani visto pelo governo Trump como principal culpado pela repressão do regime de Iran aos recentes protestos contra o governo no Irã. Sadeq Larijani é o chefe do Judiciário de Iran.

Quando milhões foram às ruas pqueixar-secontra o resultado das evotaçõespresidenciais, a onda de manifestações foi a maior no país desde 2009.Desta vez, 22 pessoas faleceram no país. Somente em Teerã foram detidos ao menos 450 manifestantes.

Os protestos iniciaram em um reduto conservador no nordeste do país, inicialmente estimulados pelas agruras econômicas. O desemprego entre jovens ultrapassa os 40% em algumas regiões do país, segundo estimativas não oficiais. Mas, nas ruas, os manifestantes mais tarde incorporaram slogans políticos e passaram a pedir uma mudança de regime.

Na época, Trump se demonstrou declarando que o Irã tem fracassado em todos os níveis e que é “hora de mudança”.

Trump não segue a “construção de nação e exportação de democracia” dos neoconservadores de George W. Bush, nem a abordagem de “liderar dos bastidores ” e “não fazer bobagem” de Barack Obama, quando se trata de política externa, e bastante menos o “globalismo” e “expansão dos livres mercados” de Bill Clinton.Mas pouco antes de encarar a prisão , Trump perdoou Arpaio. Sua candidatura agora ao Senado engrossa a disputa pela cadeira que vai ficar vaga com a saída de Jeff Flake, senador republicano que desistiu de concorrer à reeleição depois de romper com a política do presidente.

REUNIÃO NA EUROPA

Um dia antes de Trump anunciar sua resolução, ministros europeus se encontraram em Bruxelas com Mohammad Javad Zarif para pressionar Teerã a suspender ações que estão desestabilizando a região —em especial o suporte de Iran aos rebeldes houthi no combate civil do Iêmen, onde combatem contra o regime apoiado pela Arábia Saudita. Mohammad Javad Zarif é o chanceler de Iran.

Apesar disso, a reunião foi vista em Washington, segundo o jornal “New York Times”, como um sinal de unidade entre Europa e Irã. Divulgaram-se imagens de um sorridente Zarif entre os chanceleres de os principais países europeus.

“Fire and Fury” Adquiriu selo de o Grupo Companhia das Letras , a Objetiva , em a última quinta-feira , um dia depois de a divulgação de trechos de a obra por o jornal britânico ” The Guardian “. O jornal de a compra divulgou em esta segunda a informação ” O Globo “.

A chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini, alegou que “o acordo [nuclear com o Irã] está funcionando —está atingindo seu principal objetivo, que é conservar o programa nuclear iraniano sob controle e sob vigilância”.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: POSITIVE

Countries: United States, United Kingdom, Saudi Arabia, Russian Federation, China, Brazil

Cities: Washington, Franca

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Trump estende acordo nuclear do Irã, mas dá 120 dias para convênio ser revisto
>>>>>Livro com bastidores do governo Trump sairá no Brasil em março – (FolhaGeneric)
>>>>>A assustadora doutrina Trump – (FolhaGeneric)
>>>>>Ex-xerife perdoado por Trump anuncia candidatura ao Senado – (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Donald Trump 32 0 PERSON 9 (tacit) ele/ela (referent: Trump): 1, (tacit) ele/ela (referent: Donald_Trump): 1, Donald_Trump: 1, Trump: 6
2 Irã 0 90 ORGANIZATION 6 o Irã: 4, Irã: 2
3 acordo 240 0 NONE 6 O acordo de 2015: 1, um acordo: 1, o acordo nuclear firmado: 1, o acordo: 3
4 eu 105 0 NONE 4 (tacit) eu: 2, me: 1, eu: 1
5 a informação 0 0 NONE 3 (tacit) ele/ela (referent: A informação): 3
6 jornal 0 0 NONE 3 o jornal britânico: 1, o jornal: 2
7 ruas 0 0 NONE 3 as ruas: 3
8 protestos 0 80 NONE 2 os recentes protestos: 1, Os protestos: 1
9 sanções 0 40 NONE 2 sanções impostas: 1, sanções: 1
10 objetivo 180 0 NONE 2 seu principal objetivo: 2