Buenos Aires tem segunda noite de protestos contra reforma da previdência

Por: SentiLecto

Dezenas de pessoas saíram espontaneamente para as ruas de diferentes cidades argentinas para queixar-se com panelaços, pela segunda noite consecutiva, contra a reforma da previdência aprovada na terça-feira, provocando uma grande discordância no país.

Macri indicou que “são muitas as reformas”, que é preciso encará-las para construir uma Argentina que “inclua a todos”, e quando há, considerou que “não pode haver desperdício” “tanta gente na pobreza”.

Em 10 dias, No plano político, a administração Mauricio Macri, que gozava de %58 de aprovação popular, busca alegar se também como líder regional, algo que pretendia consolidar em 2018 como sede de a próxima reunião de o G20.,, em o domingo 10 de dezembro como sede da próxima reunião do G20.

Os panelaços, espontâneos e pacíficos, provocaram cortes nas principais avenidas de Buenos Aires e tiveram como auge a Praça do Congresso, onde na noite de segunda-feira, os habitantes da capital de Argentina queixar-se até a madrugada.

Paralelamente, no interior da construção do Congresso, a Câmara dos Deputados da Argentina discutiu por várias horas se aprova e deriva ao Senado o projeto de reforma tributária com o qual o Executivo deseja encorajar investimentos e crescimento, em troca de uma menor pressão fiscal.

Se escutaram as reivindicações também em diferentes cidades de o país, como Mar del Plata, Córdoba e Bariloche, bem como em várias localidades de o cinturão urbano de Buenos Aires.

O projeto sobre a previdência foi aprovado nesta terça, com 127 votos a favor – da aliança governista Cambiemos e de deputados inimigos que responderam aos governadores – contra 117 e duas abstenções.

“O que fizemos com esta reforma é garantir, durante os próximos anos, uma fórmula que mesmo que padeceram, os defenda do pior, a inflação, contra a qual estamos combatendo, mas não conseguimos vencer”, declarou o presidente Mauricio Macri, que se referiu aa bonificações econômico complementar que, através de um decreto, vai tratar compensar a perda que se espera que padeça pensionistas no primeiro trimestre do ano devido à transição pela mudança de fórmula.

“Todas essas mudanças geram incômodo, mas são necessárias”, alegou o presidente, que adicionou que não chegou ao poder “para esconder os problemas para debaixo do carpete”.A proposta do governo é que seja baseado somente na inflação, e que seja trimestral. Isso vai fazer com que os ganhos desses beneficiados reduzam. O governo, porém, defende que a medida de diminuição do gasto social é necessária para que o país volte a aumentar.Um dos principais pontos do projeto é a mudança da fórmula para calcular os reajustes das aposentadorias. Segundo o governo, a reforma vai permitir que os aposentados ganhem mais em 2018. A oposição e os sindicatos discordam do governo, afirmando que vai haver cortes nos setores mais vulneráveis.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Argentina

Cities: Mar Del Plata, Buenos Aires

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Buenos Aires tem segunda noite de protestos contra reforma da previdência
>>>>>”Nossos avós podem ficar tranquilos”, diz Macri após reforma da previdência – December 19, 2017 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Sindicatos ameaçam greve se decreto da reforma da previdência for aprovado – December 15, 2017 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>>>>>Argentinos protestam contra avanço da reforma da previdência no Congresso – December 14, 2017 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Sindicatos argentinos ameaçam greve se decreto da reforma da previdência for aprovado – December 15, 2017 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Violência se agrava em protestos contra reforma da previdência na Argentina – (EfeGeneric)
>>>>>Em meio a greve geral, Argentina retoma debate sobre nova Previdência – December 18, 2017 (FolhaGeneric)
>>>>>>>>>Protestos antecedem votação de pacote de reformas na Argentina – December 14, 2017 (FolhaGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Mauricio Macri 160 0 PERSON 7 a gestão Mauricio_Macri: 2, o presidente Mauricio_Macri: 2, (tacit) ele/ela (referent: Macri): 2, Macri: 1
2 nós 0 40 NONE 3 (tacit) nós: 3
3 governo 0 30 NONE 3 O governo: 1, o governo: 2
4 país 0 0 NONE 3 o país: 3
5 eu 0 90 NONE 2 (tacit) eu: 2
6 reformas 120 0 NONE 2 muitas as reformas: 2
7 cortes 0 0 NONE 2 cortes: 2
8 deputados 0 0 NONE 2 deputados opositores: 2
9 o projeto de reforma tributária 0 0 NONE 2 o projeto de reforma tributária: 2
10 presidente 0 0 NONE 2 o presidente: 2