Vote2final.png

Comissão de Inteligência da Câmara dos EUA nega grampos na Trump Tower

Foto: Wikipedia – Vote2 final

O presidente da Comissão de Inteligência da Câmara dos Estados Unidos negou nesta segunda-feira a existência de grampos na Trump Tower, do presidente Donald Trump, que acusou o Barack Obama, de tê-o espionado durante a campanha eleitoral do ano passado colocando escutas telefônicas na construção em Nova York, o que foi recusado veementemente pelo ex-presidente democrata, Barack Obama, de tê-o espionado durante a campanha eleitoral do ano passado é seu antecessor., , mas declarou que era possível que outra espécie de vigilância tenha sido utilizado contra o republicano.

Faz 16 dias, o republicano Trump fez a denúncia em uma série de tuítes de 4 de março, seis semanas depois de trocar o democrata Barack Obama em a Presidência a crescentes questionamentos sobre os laços a sua campanha com a Rússia. e em meio dea sua campanha com a Rússia.O senador republicano Richard Burr, presidente da delegação declararam: “Com base na informação disponível para nós, não vimos indicações de que a Trump Tower tenha sido alvo de vigilância por nenhum elemento do governo dos Estados Unidos nem antes nem depois das votações de 2016”, e o senador democrata Mark Warner, vice-presidente do comitê, em comunicado.

Na quinta-feira 09 de março Dois importantes senadores haviam pedido ao FBI e ao Departamento de Justiça qualquer informação que eles tenham relacionada à declaração não fundamentada do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o seu antecessor, Barack Obama, h haviao grampeado durante a campanha presidencial de 2016.

Donald John Trump é um empresário, personalidade televisiva e político estadunidense, sendo atualmente o 45.

— Deixem-me ser claro: sabemos que não houve nenhuma escuta na Trump Tower, mas é possível que outras atividades de vigilância tenham sido utilizadas contra o presidente Trump e seus sócios — alegou o deputado republicano Devin Nunes, em sua declaração de abertura em uma audiência no Congresso sobre o envolvimento da Rússia nas votações presidenciais de 2016.

Se utiliza o termo muitas vezes, para se referir em a reunião de representantes de o poder legislativo de uma nação.

Nunes declarou que “numerosos” funcionários atuais e antigos dos Estados Unidos vazaram informações potencialmente confidenciais e que sua delegação pretendia identificá-los para levá-los à Justiça.

Os chefes do FBI, James Comey, e da Agência de Segurança Nacional dos EUA , Mike Rogers, testemunham publicamente pela primeira vez ante o Congresso sobre as denúncias de suposto conluio entre a Rússia e a equipe de Trump para favorecê-lo na disputa presidencial, além das alegações de Trump de que teria sido vigiado pelo governo Obama. O tema está no centro das atenções durante semanas, movimentando a política e perturbando o novo governo.

Quando Sessions fazia parte do Comitê de Serviços Armados do Senado, na sessions um dos homens mais próximos a Trump, teve que se afastar do inquérito depois que foram reveladas polêmicas reuniões que conservou com o embaixador de Rusia em Washington, Serguei Kislyak, durante a campanha presidencial e. Sessions é sua vez.

Várias delegações do Congresso começaram inquéritos sobre o tema, incluindo os comitês de Inteligência de Deputados e do Senado, que têm jurisdição sobre 17 agências de Inteligência do país, assim como as delegações de Justiça de ambas as câmaras. Muitos legisladores demonstraram sua frustração pela falta de colaboração com o FBI.

Por outro lado, o que mais polêmica gerou foi que Sessions não revelou suas conversas com o embaixador de Rusia durante uma audiência no comitê judicial do Senado para ser confirmado na posição de procurador-geral.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: United States, United Kingdom, Russian Federation

Cities: York

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Comissão de Inteligência da Câmara dos EUA nega grampos na Trump Tower
>>>>>Procurador-geral dos EUA afirma que nunca disse a Trump que Obama o espionava – (EfeGeneric)
>>>>>Comitê do Senado dos EUA diz não ter visto evidências sobre acusação de grampo feita por Trump – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Trump mantém alegação de que Obama o grampeou, diz Casa Branca – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Donald John Trump 0 50 PERSON 8 Trump: 2, o presidente Trump: 1, O republicano Trump: 1, Donald_Trump: 1, o presidente Donald_Trump: 2, Donald_John_Trump: 1
2 Barack Obama 0 50 PERSON 3 Barack_Obama de tê-o espionado (apposition: seu antecessor): 1, o governo Obama: 1, Barack_Obama: 1
3 Sessions 0 0 PERSON 3 sessions (apposition: sua vez): 1, Sessions: 2
4 Trump Tower 0 0 ORGANIZATION 3 a Trump_Tower: 3
5 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 2, me: 1
6 informação 0 0 NONE 3 qualquer informação: 2, a informação disponível: 1
7 nós 0 0 NONE 3 (tacit) nós: 2, nós: 1
8 assunto 0 80 NONE 2 o assunto: 1, O assunto: 1
9 Congresso 0 0 ORGANIZATION 2 o Congresso: 2
10 Devin Nunes 0 0 PERSON 2 Nunes: 1, Devin_Nunes: 1