Derrota-se Premiê britânica em o Parlamento sobre projeto de o Brexit

Por: SentiLecto

Quando parlamentares forçaram mudanças em os planos de o Brexit que ministros declararam poder colocar em perigo a saída de o Reino Unido da União Europeia, derrotou-se o governo de a primeira-ministra de o Reino Unido, Theresa May, em esta quarta-feira.

Faz 6 meses, em um golpe para May, já o Parlamento de 650 assentos votou por 309 a 305 em defesa de uma emenda para dar mais voz a parlamentares sobre um acordo final de saída com a União Europeia.

O acordo para começar novas conversas pareceu ameaçado uma semana atrás, quando a premiê foi obrigada a desistir de uma reunião em Bruxelas cujo objetivo era selar um convênio depois que seus aliados da Irlanda do Norte disseram o temor de que ela estivesse sugerindo um status especial para a região –algo que iria contrariar o restante do Reino Unido.

Na terça-feira 05 de dezembro a primeira-ministra britânica, Theresa May, e depois que um acordo preliminar do Brexit com a União Europeia sobre a fronteira com a Irlanda havia, outras autoridades do Reino Unido conversariam com o Partido Democrático Unionista da Irlanda do Norte nesta terça-feira sido desfeito no último minuto.

Até o último minuto de uma discussão frequentemente amargo no Parlamento, a equipe de May tentou persuadi parlamentares de seu partido a desistirem de suas procuras e ficarem ao lado de um governo temeroso de que a ação irá enfraquecer sua mão nas duras negociações do Brexit.

Membros do Parlamento estão discutindo o projeto de lei de saída da UE, que irá revogar a legislação de 1972 vinculando o Reino Unido à União Europeia e copiar leis existentes da UE como leis internas para garantir cpermanêncialegal após o “Dia da Saída”, em 29 de março de 2019.

Na sua vez, “Sempre fui clara que isto nunca seria um processo fácil. Ele têm exigido um toma lá dá cá para o Reino Unido e a UE seguirem em frente juntos. E é isto que temos feito”, declarará, de acordo com trechos fornecidos por seu escritório.Na sexta-feira passada a UE e o Reino Unido, que se desfilia em março de 2019, acertaram os termos da ruptura em três áreas imprescindíveis: um acerto financeiro, a garantia dos direitos dos cidadãos e uma forma de evitar uma “fronteira dura” entre a Irlanda do Norte e a Irlanda. Na segunda-feira a Comissão Europeia declarou que o acordo ainda não é legalmente compulsório, mas que o vê como “um acordo entre cavalheiros” com “o entendimento claro de que ele é plenamente apoiado e endossado pelo governo do Reino Unido”. Mas no domingo David Davis declarou que o convênio, que permite que os dois lados comecem conversas sobre um acordo comercial futuro que é crucial para o Reino Unido, é mais um “comunicado de intenção” do que uma medida legalmente compulsória. David Davis é o ministro britânico do Brexit. Isso levou algumas autoridades da UE a recearem que Londres possa desejar recuar no acordo. “As observações de David Davis de que o acordo da Fase Um da semana passada não é compulsório não auxiliaram e minam a confiança. Agora o texto do Parlamento Europeu vai refletir isso e insistirá que o acordo se traduza em um texto legal assim que possível”, tuitou Guy Verhofstadt, que lidera a equipe de coordenação do Brexit do Parlamento Europeu. Ele declarou que, depois dos “observações inadmissíveis” de Davis, o Parlamento Europeu vai pedir aos líderes da UE, que se reúnem na sexta-feira para discuti o Brexit, que condicionem formalmente as negociações sobre um acordo comercial futuro com Londres à inclusão da íntegra do acordo existente no tratado de desfiliação britânica da UE. Um esboço de texto que os líderes têm que adotar na sexta-feira diz que “as negociações do segundo período só podem avançar se todos os compromissos adotados durante a primeira período forem respeitados na totalidade e traduzidos fielmente em termos legais o mais rápido possível”. No começo desta quarta-feira, o negociador-chefe da UE declarou a parlamentares que o Reino Unido não pode renegar compromissos assumidos para fazer com que as conversas com a UE passem para debates sobre o relacionamento comercial futuro entre as duas partes.

“Há um momento para todos se levantarem e serem considerados”, disse Grieve ao Parlamento mais cedo, criticando alguns colegas membros do Partido Conservador por lhe chamarem de traidor por causa da decisão de votar contra o governo.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: United Kingdom

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Derrota-se Premiê britânica em o Parlamento sobre projeto de o Brexit
>>>>>Premiê May expressa otimismo renovado em conversas do Brexit após acordo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Parlamento Europeu quer tornar ‘acordo de cavalheiros’ entre UE e Reino Unido obrigatório – December 12, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>EXCLUSIVO–Parlamento da UE delineia concessões do Reino Unido para cidadãos do bloco – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>UE diz que Londres tem 48 h para dar uma solução sobre fronteira irlandesa – (FolhaGeneric)
>>>>>Parlamento da UE apoia próxima fase de negociação do Brexit – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 o Reino_Unido 0 0 PLACE 7 o Reino_Unido: 7
2 acordo 285 30 NONE 6 um acordo: 1, um acordo comercial: 2, O acordo: 1, o acordo: 2
3 Guy Verhofstadt 200 0 PERSON 5 (tacit) ele/ela (referent: Guy_Verhofstadt): 2, Ele (referent: Guy_Verhofstadt): 1, Guy_Verhofstadt: 2
4 UE 0 0 ORGANIZATION 5 UE: 1, a UE: 4
5 governo 0 160 NONE 3 um governo temeroso: 2, O governo: 1
6 David Davis 80 0 PERSON 3 David_Davis (apposition: o ministro britânico de o Brexit): 1, (tacit) ele/ela (referent: David_Davis): 2
7 da Partido Democrático Irlanda do Norte 0 0 PERSON 3 Partido_Conservador: 1, o Partido_Democrático_Unionista_da_Irlanda_do_Norte: 1, (tacit) ela (referent: Partido_Conservador): 1
8 futuro 0 0 NONE 3 futuro: 3
9 pacto 0 0 NONE 3 o pacto: 3
10 um esboço de texto em a 0 100 NONE 2 Um esboço de texto em a: 2