Eleitores suíços aprovam maior controle de armas e evitam embate com UE

Por: SentiLecto

Os eleitores suíços consentiram neste domingo, por uma margem de quase dois para um, com a adoção de controles mais rígidos para armas, em linha com mudanças nas normas da União Europeia , evitando assim confronto com Bruxelas.

O comparecimento às evotaçõesdo Parlamento Europeu costuma ser baixo, o que torna mais fácil para grupos de extrema-direita e extrema-esquerda se concentrarem em eleitores que favorecem partidos extremistas nas redes sociais.

Se aprovou a medida em plebiscito sob o sistema suíço de democracia direta por uma margem de %64 a %36, mostraram resultados finais, mas ainda passíveis de ajustes.

As limitações –que se aplicam à Suíça porque o país faz parte de um sistema de fronteiras abertas sob o Tratado de Schengen, mesmo não sendo membro da União Europeia — provocaram cdiscordânciasentre os entusiastas de tiro antes da veleição

Não adotar as normas poderia ter forçado a Suíça a deixar o Tratado de Schengen e o sistema conjunto de Dublin para lidar com pedidos de refúgio.

Na sua vez, o Facebook inaugurou uma sala de combate antinotícias falsas no final de abril, e mais tarde mostrou a instalação de Dublin a jornalistas, mas experts em segurança declaram que pode ser tarde demais para extirpar as sementes da dúvida semeadas por campanhas malignas para minar uma das maiores votações do mundo.

Faz 2 anos, a UE endureceu as leis contra a compra de fuzis semiautomáticos, como os utilizados ​ ​ em esses ataques, depois que militantes mataram dezenas de pessoas em Paris em 2015, e facilitou o rastreamento de armas em bancos de dados nacionais.

A proposta inicial da UE provocou protesto porque significou a interdição do costume suíço de ex-soldados conservarem seus fuzis de roubo.

Autoridades suíças negociaram concessões para veteranos e entusiastas de armas que participam dos inúmeros clubes de tiro do país, mas quaisquer limitações importadas da UE vão longe demais para ativistas de direita inquietados com a soberania suíça.

M funcionário de banco que se designou somente como Philippe isse: “Para mim, os novos deveres ligados à posse de armas não são tão restritivas, enquanto o risco de não se beneficiar daosvbenefíciosde Schengen é mbastantereal”,.”Não tem nada a ver com chantagem, somente a Suíça tem que se alinhar com um sistema do qual participa.”

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Ireland, France

Cities: Dublin, Paris

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Eleitores suíços aprovam maior controle de armas e evitam embate com UE
>>>>>Quem causou incêndio em Notre Dame? UE combate notícias falsas antes de eleição – May 16, 2019 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eleitores 96 0 NONE 3 Os eleitores suíços: 1, eleitores: 2
2 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 2, mim: 1
3 a Suíça 0 0 PLACE 2 a Suíça: 2
4 armas 0 0 NONE 2 armas: 2
5 margem 0 0 NONE 2 uma margem de quase dois: 1, uma margem de %64: 1
6 um funcionário de banco 0 0 NONE 2 um funcionário de banco: 2
7 quaisquer restrições importadas de a ue 0 120 NONE 1 quaisquer restrições importadas de a UE: 1
8 uma sala de guerra antinotícias falsas 0 100 NONE 1 uma sala de guerra antinotícias falsas: 1
9 campanhas malignas 0 80 NONE 1 campanhas malignas: 1
10 seus fuzis de assalto 0 70 NONE 1 seus fuzis de assalto: 1