EUA desejam lutar corrupção e crime na A.Latina para diminuir imigração

Por: SentiLecto

O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deseja diminuir os níveis de corrupção e crime na América Latina, especialmente na região do Triângulo Norte, que entende Guatemala, Honduras e El Salvador, para reduzi o número de imigrantes que escapam desses países e entram ilegalmente em território de America.

Kenneth Merten explicou que a estratégia “em longo prazo” do governo de America nessa região passa por lutar as más práticas dos governantes dessas nações e os prejuízos provocados pelo crime coordenado em Guatemala, Honduras e El Salvador. Kenneth Merten é o subsecretário adjunto do Escritório de Assuntos do Hemisfério Ocidental do Departamento de Estado dos EUA.

O Departamento de Justiça dos EUA pediu para a Corte Distrital em San Diego elucidar se estaria violando a ordem do tribunal caso famílias fossem reunidas após o prazo devido a atrasos nas confirmações de paternidade.”A atitude dos EUA prejudica a China, o mundo e a eles mesmos. Este comportamento irracional não pode ganhar suporte”, alegou um porta-voz do Ministério de Comércio de China, através de um comunicado.

Na segunda-feira 02 de julho – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e Andrés Manuel López Obrador haviam debatido imigração, comércio e questões de segurança em um telefonema nesta segunda-feira, com os dois começando um diálogo em meio a relações tensas entre os países vizinhos. Andrés Manuel López Obrador é o próximo líder do México. López Obrador, ex-prefeito de 64 anos da Cidade do México, havia vencido por maioria esmagadora a votação de domingo, dando um forte golpe aos partidos do establishment e se tornando o primeiro político de esquerda a conquistar a Presidência mexicana desde que a norma de partido único concluiu em 2000. Relações entre Trump e López Obrador serão observadas de perto porque Trump tem regularmente criticado o México. Em observações a repórteres, Trump havia declarado acreditar que López Obrador irá auxiliar os Estados Unidos a protegerem sua fronteira no sul. “ achava que o relacionamento seria bastante bom. veríamos o que ocorria, mas eu realmente acreditava que seria bastante bom”, havia declarado Trump. Ele havia alegado que no telefonema haviam comentado sobre um possível acordo comercial entre os EUA e o México. Pouco depois, López Obrador havia dado sua caracterização do telefonema em publicação no Twitter, declarando que havia sugerido um acordo abrangente para instituir empregos, reduzi imigração e ampliar segurança. A Reuters havia informado no mês passado sobre o plano de segurança, que López Obrador via como uma opção ao muro fronteiriço de Trump. Em sua caracterização, López Obrador não havia indicado comércio, e Trump não havia dado mais detalhes sobre um possível convênio comercial. Conversas entre EUA, Canadá e México para revisar o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio, de 1994, têm sido complicadas. López Obrador, no passado cético do Nafta e que havia moderado suas opiniões em sua terceira disputa à Presidência, d havia ditoem entrevista na TV mde Mexicoque d desejavaum acordo do Nafta que seja bom para o México. “Nós acompanharemos o governo atual nesta negociação, nós seremos bastante respeitosos, e nós apoiaremos a assinatura do acordo”, havia declarado à Milenio TV. López Obrador, que declarava querer relações firmes, mas amigáveis, com Washington, havia declarado que quando tiverem o primeiro encontro após a votação, irá debater o Nafta com o presidente de saída Enrique Peña Nieto, marcado para terça-feira. Trump tem sido antagônico em relação ao México no que envolvia comércio e imigração. As conversas atuais do Nafta haviam iniciado no ano passado, após Trump pedir que o acordo fosse renegociado para servir melhor aos interesses dos EUA. Apesar do tom conciliatório de Trump, uma assessora da Casa Branca havia repetido uma das promessas de campanha mais polêmico que o líder de Noruega havia levado para sua Presidência. “No caso do México, obviamente nós compartilhávamo uma fronteira com eles e este presidente havia deixado bastante claro sobre construir um muro e fazer com que o México pague por isto”, havia declarado a assessora, Kellyanne Conway, à Fox News. Mexicanos de todo o espectro político haviam declarado que o México não irá pagar pelo muro sugerido por Trump na fronteira do sul dos EUA, que ele havia declarado ser necessário para conservar longe imigrantes ilegais e drogas. López Obrador, que irá assumir em 1º de dezembro, havia conquistado mais de 53 por cento dos votos na votação de domingo, segundo resultados preliminares, com mais que o dobro de votos que seu adversário mais próximo. Esta era a maior percentagem de votos em uma votação presidencial de Mexico desde o início dos anos 1980 e dava a ele um forte mandato para responder aos problemas internos do México e enfrentar desafios externos, como tarifas norte-americanas. Em seu discurso de triunfo, López Obrador havia buscado tranquilizar investidores de que irá buscar políticas econômicas prudentes e independência do banco central. Seus assessores econômicos haviam repetido esta mensagem em uma teleconferência com investidores e em uma entrevista à Reuters.

“A nossa tática nessa região tem como foco trabalhar para prevenir a corrupção e fortalecer a habilidade das autoridades locais na luta contra o crime” para que seus habitantes não tenham que escapar para os EUA, declarou Merten em uma audiência do Comitê de Relações Exteriores da Câmara dos Representantes.

Merten considerou que a corrupção “corrói as instituições e a confiança na democracia” e faz com que as pessoas recorram à imigração em busca de uma vida melhor.

Depois que vários legisladores do comitê lhe recordaram, o subsecretário adjunto fez tais declarações, e também à diretora da Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional para a América Latina, Sarah-Ann Lynch, sobre aoiprotagonismode tratar dos problemas da região.

Durante a audiência, os membros da Câmara colocaram ênfase especial na crise humanitária da Venezuela, na violência na Nicarágua e no governo cubano.

O governo havia pedido para Sabraw estender os prazos porque precisa de mais tempo para realizar testes de DNA para confirmar relacionamentos familiares, realizar verificações de antecedentes, localizar pais que foram libertados de custódia e revisar aptidões dos pais.Sabraw também pediu para a União Americana pelas Liberdades Civis , que exibiu o processo que levou à dresoluçãode Sabraw em junho, aexibidocumentos na quinta-feira spropondosoluções caso o governo não reunifique as 63 crianças até terça-feira “ou dentro de proximidade imediata do dia”.

O republicano Ed Royce alegou que os Estados Unidos “têm que estar mais comprometidos do que jamais” com os países da América Latina. O republicano Ed Royce é o presidente do Comitê de Relações Exteriores.

“Muitas partes da região seguem combatendo contra a violência, a corrupção e as organizações criminosas. Na medida em que a região enfrenta desafios e transições urgentes, os Estados Unidos têm que estar mais comprometidos do que jamais”, mencionou Royce em seu discurso.

Enquanto enfrenta os desafios em longo prazo da corrupção e da influência das organizações criminosas transnacionais, sobre essa questão, Lynch garantiu que o Executivo de Trump está lidando com a instabilidade na Venezuela e na Nicarágua ” “.

Faz 2 meses, Somente foram registradas 34.114 detenções em a fronteira sul de o país, o que encarna um dado eminentemente menor que o de maio, quando foram detidas 40.338 pessoas, de acordo com dados divulgados por o Departamento de Segurança Nacional.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: United States, El Salvador, Cuba

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>EUA desejam lutar corrupção e crime na A.Latina para diminuir imigração
>>>>>Juiz diz que EUA precisam reunir famílias imigrantes ou enfrentarão punições – July 10, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Governo dos EUA informa tribunal que famílias imigrantes podem não ser reunidas dentro de prazo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>EUA dificilmente reunirão todas as crianças imigrantes aos pais no prazo, dizem ativistas – July 09, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>EUA estão transferindo imigrantes detidos para locais mais próximos dos filhos, diz secretário – July 05, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Irã ameaça reduzir cooperação com agência nuclear após medidas dos EUA – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Juiz determina que EUA forneçam lista de crianças imigrantes separadas – July 07, 2018 (Extraoglobo-pt)
>>>>>China considera “inaceitável” atitude dos EUA e anuncia contramedidas – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Andrés Manuel López Obrador 140 160 PERSON 15 López_Obrador: 9, López_Obrador em o passado cético de o Nafta e moderado suas: 2, López_Obrador (apposition: ex-prefeito de 64 anos de a Cidade_do_México): 1, (tacit) ele/ela (referent: López_Obrador): 2, Andrés_Manuel_López_Obrador (apposition: o próximo líder de o México): 1
2 Donald Trump 170 60 PERSON 12 a (referent: Trump): 1, (tacit) ele/ela (referent: Trump): 2, (tacit) ele/ela (referent: Donald_Trump): 1, Donald_Trump: 2, Trump: 6
3 o México 0 0 PLACE 8 ele (referent: o México): 1, o México: 6, México: 1
4 eu 116 0 NONE 6 (tacit) eu: 5, eu: 1
5 nós 128 0 NONE 5 Nós: 1, nós: 3, (tacit) nós: 1
6 governo 30 0 NONE 4 o governo: 1, O governo: 1, o governo atual: 1, o governo americano: 1
7 os EUA 0 0 PLACE 4 os EUA: 3, EUA: 1
8 os Estados_Unidos 0 0 PLACE 4 os Estados_Unidos: 4
9 Departamento de Justiça dos EUA 0 160 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: O Departamento_de_Justiça_dos_EUA): 2, O Departamento_de_Justiça_dos_EUA: 1
10 Merten 0 40 PERSON 3 (tacit) ele/ela (referent: Merten): 1, Merten: 2