Fenômeno raro, ‘Superlua azul de sangue’ é visível nesta quarta-feira

Por: SentiLecto

Um espetáculo raro no céu a que os astrônomos chamam de “Superlua azul de sangue” pode ser visto a partir do oeste da América do Norte, além de pontos da Ásia, Austrália, Nova Zelândia e leste da Rússia, nesta quarta-feira. O fenômeno, que acontece pela primeira vez em 35 anos, é uma união do eclipse lunar total com a Lua de sangue, a Lua azul e a Superlua.

No Twitter, a Nasa transmite ao vivo imagens da rara coincidência registradas por diversos telescópios, além de publicar explicações sobre como ela pode ocorrer.

O termo Lua azul se refere a uma segunda Lua cheia em um mesmo mês, um fenômeno que ocorre em média a cada dois anos e meio. Quando o astro não fica completamente negro durante o eclipse, já a Lua de sangue acontece , visto que uma parte da luz do Sol, refletida pela atmosfera terrestre, alcança indiretamente a superfície lunar. Com isso, alguns raios solares também vazam, produzindo um reflexo avermelhado ou acobreado na Lua. Quando o astro alcança seu ponto orbital mais próximo à Terra, este fenômeno oacontece

Em 6 meses, segundo dados proporcionados por a Nasa acontecerão dois eclipses totais de a Lua, em 31 de janeiro e em 27 de julho.Os cálculos mencionam que desde 1982 não acontece esta coincidência, que não vai ter nenhuma implicação para a Terra.

Sarah Noble, cientista da Nasa explica: “Poderemos ver, durante o eclipse, os reflexos sobre a superfície lunar de todos os amanheceres e pores do sol na Terra”.

O eclipse acontece somente 27 horas depois de a Lua estar em seu perigeu orbital, produzindo quase uma “Superlua”, explicam os astrônomos.

“Nota o tom vermelho? É a #LuaDeSangueprovocadaa pela sombra que a Terra projeta na Lua durante o eclipse lunar queocorree agora. Nos Estados Unidos, o eclipse pode ser visto melhor na costa oeste, ou na nossa transmissão ao vivo. #SuperluaAzulDeSangue”,alegaa a Nasa em seu perfil oficial no Twitter.

Os observadores no oeste dos Estados Unidos e Canadá poderão ver o eclipse durante toda a sua duração, de uma hora e 16 minutos. No entanto, ele não é visível na América do Sul, África e Europa Ocidental.

Na costa leste dos Estados Unidos, a Lua estava calculada a entrar na parte exterior da sombra da Terra na quarta-feira às 5h51 , mas de maneira imperceptível, segundo a Nasa. O eclipse iniciou às 6h48 , menos de meia hora antes do nascer do sol, às 7h11 .

Quando está em seu apogeu, em seus extremos orbitais, a Lua repleta pode ser vista até 14% maior e 30% mais brilhante em seu perigeu do que.

A Lua se move a uma distância média de 384 mil quilômetros da Terra, e em 31 de janeiro vai estar a 359 mil quilômetros, bastante perto de seu perigeu . Em seu apogeu, a órbita lunar alcança 406 mil quilômetros.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: Australia, United States, Russian Federation, Canada, Argentina

Cities: Azul

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Fenômeno raro, ‘Superlua azul de sangue’ é visível nesta quarta-feira
>>>>>Superlua coincidirá com eclipse lunar em 31 de janeiro – January 26, 2018 (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Lua 0 0 ORGANIZATION 9 a Lua de sangue: 2, (tacit) ele/ela (referent: a Lua cheia): 1, a Lua: 3, (tacit) ele/ela (referent: A Lua): 1, a Lua cheia: 1, A Lua: 1
2 eclipse 100 0 NONE 8 o eclipse lunar: 2, o eclipse: 4, O eclipse: 2
3 Nasa 0 80 ORGANIZATION 5 a Nasa: 4, (tacit) ele/ela (referent: a Nasa): 1
4 a Terra 0 0 PLACE 4 a Terra: 4
5 fenômeno 0 0 NONE 3 O fenômeno: 2, Este fenômeno: 1
6 um espetáculo raro em o céu de superlua azul de sangue 0 80 NONE 2 Um espetáculo raro em o céu de Superlua azul de sangue: 2
7 astro 25 0 NONE 2 o astro: 2
8 Twitter 0 0 ORGANIZATION 2 o Twitter: 2
9 apogeu 0 0 NONE 2 seu apogeu: 2
10 astrônomos 0 0 NONE 2 os astrônomos: 2