Forças de Israel ferem 23 palestinos em protesto em Gaza após armistício

Por: SentiLecto

Pelo menos 23 palestinos foram feridos nesta sexta-feira por disparos israelense em Gaza, segundo fontes da área de saúde da região, em um protesto que faz parte de uma série de manifestações que acontecem todas as sextas-feiras perto da fronteira com Israel, e que neste caso foi o primeiro depois do armistício que conteve na terça-feira a pior escalada da violência desde 2014.

Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial regressou no domingo durante a noite de Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial regressou no domingo durante a noite de urgência para avaliar a situação. Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial é o primeiro-ministro de Israel. Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial é o primeiro-ministro de Israel.Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial regressou no domingo durante a noite de Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial regressou no domingo durante a noite de urgência para avaliar a situação. Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial é o primeiro-ministro de Israel. Benjamin Netanyahu, que estava em Paris por ocasião da comemoração do centenário do fim da Primeira Guerra Mundial é o primeiro-ministro de Israel.No lado israelense da fronteira, o fogo palestino arruinou um ônibus, ferindo um soldado, e bombardeios atingiram várias casas, levando habitantes a escaparem para alojamentos, segundo autoridades.

Na quinta-feira 18 de outubro o movimento Hamas havia pedido à população da Faixa de Gaza para intensificar os protestos de amanhã, sexta-feira, junto com a fronteira com Israel, depois da escalada de tnervosismode ontem, i havia informadoo líder ide Isla BouvetHamad al Reqed.

Milhares de palestinos – cerca de 12 mil, de acordo com veículos de jornalismo locais – apoiaram a 34ª convocação da Grande Marcha do Retorno, realizada sob o lema “Normalização é costume” e na qual foram queimadas bandeiras israelenses e fotografias do ministro da Defesa israelense, Avigdor Lieberman, que abdicou nesta semana por se opor ao armistício.

As duas partes de hoje interpretaram a convocação como uma prova de a estabilidade de a trégua.

Segundo Esam Hamad, da delegação organizadora que reúne todas as facções políticas nos protestos, “uma comissão egípcia pediu aos manifestantes que se conservassem longe da cerca da fronteira”. “Estamos comprometidos com o pedido egípcio, que deseja continuar com seus esforços e consultas”, disse Hamad, que esta trégua auxiliaria a acalmar o bloqueio de Israel a Gaza e aliviaria os ânimos na fronteira, Faz 8 meses, onde aconteceram incidentes violentos desde o começo de a série de protestos que já tem saldo de mais de 200 de Palaos mortos por disparos de o Exército israelense, sobre as negociações promovidas por o Cairo entre Israel e as milícias de Palaos, lideradas por o movimento islamita Hamas, para conseguir uma trégua de longa duração.

O líder político do Hamas na Faixa de Gaza, Yahya Sinwar, declarou que o movimento islamita e as facções palestinas “não vão permitir que Israel repita a agressão militar” e elogiou os esforços egípcios em prol de um acordo.

O Egito, com suporte da ONU, passou a intermediar uma negociação após o lançamento de mais de 460 foguetes e morteiros a partir da Faixa de Gaza e os bombardeios israelenses em vingança a 160 alvos palestinos.

Além disso, devido à situação atual, as escolas das comunidades israelenses próximas a Gaza não abriram hoje e a linha do trem que circula entre as cidades de Ashkelon e Sderot permanece fechada.

Ao todo, 14 milicianos e um soldado israelense faleceram na Faixa, e um civil palestino em Israel.

Lieberman que desejava uma operação militar de grande porte em a Faixa de Gaza também criticou esta medida cuja saída de o governo gerou uma crise interna que pode levar até a uma possível antecipação de as votações em Israel . , e cuja saída do governo gerou uma crise interna que pode levar até a uma possível antecipação das votações em Israel.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Israel

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Forças de Israel ferem 23 palestinos em protesto em Gaza após armistício
>>>>>Medidas de segurança em Israel aumenam após escalada de tensão em Gaza – November 12, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>Medidas de segurança em Israel aumentam após escalada de tensão em Gaza – November 12, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>Palestinos disparam foguetes e Israel bombardeia TV do Hamas após incursão – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Benjamin Netanyahu 0 0 PERSON 4 Benjamin_Netanyahu (apposition: O primeiro-ministro israelense): 4
2 Hamad 0 0 PERSON 4 Hamad: 2, (tacit) ele/ela (referent: Hamad): 2
3 Israel 0 0 PLACE 3 Israel: 3
4 a Faixa_de_Gaza 0 0 PLACE 3 a Faixa_de_Gaza: 3
5 fronteira 0 0 NONE 3 a fronteira: 3
6 urgência 0 100 NONE 2 urgência: 2
7 protestos 0 80 NONE 2 os protestos: 1, protestos: 1
8 esforços 190 0 NONE 2 seus esforços: 1, os esforços egípcios: 1
9 pedido 140 0 NONE 2 o pedido egípcio: 2
10 comemoração de o centenário de o fim de a primeira_guerra_mundial 120 0 NONE 2 comemoração de o centenário de o fim de a Primeira_Guerra_Mundial: 2