ONU evita classificar como “golpe” a queda de Evo Morales na Bolívia

Por: SentiLecto

A ONU evitou classificar nesta terça-feira como “golpe de Estado” a saída de Evo Morales da presidência da Bolívia, e assinalou que existe preocupação profunda pela situação que o país cruza neste momento.

A Bolívia está abalada por protestos, greves e bloqueios de estradas desde que os eleitores foram às urnas, há quase três semanas prejudicando a imagem e a economia do país sul-americano.Na terça-feira 05 de novembro Diego Pary havia delatado um “golpe de Estado a percurso” no país após as votações de 20 de outubro, que haviam resultado em protestos contra o governo do presidente reeleito, Evo Morales Diego Pary é o ministro das Relações Exteriores da Bolívia., e caso a auditoria sugira a disputa, não havia descartado a chance de um segundo turno.

Farhan Haq em entrevista coletiva alegou: “Não é uma situação que cabe a nós definir”. Farhan Haq é um porta-voz do secretário-geral das Nações Unidas. Para Haq, que garantiu que a ONU está fazendo esforços para que a crise política não piore ainda mais, as circunstâncias na Bolívia são “fluídas” , mas

O porta-voz declarou: “Estamos conservando contato com interlocutores nacionais e internacionais para auxiliar a aliviar a situação”.

“O mais importante agora é prevenir um agravamento e fazer todas as medidas para instituir condições para votações pacíficas, críveis, transparentes e inclusivas antes do possível”, completou.

Na sua vez, a OEA aconselhou neste domingo que o processo eleitoral no país deve deve voltar a ocorrer “assim que existam novas condições que deem novas garantias para sua execução, entre elas uma nova composição do órgão eleitoral”.Morales, que chegou ao poder em 2006 como o primeiro líder indígena da Bolívia, defendeu seu triunfo nas votações, mas declarou que seguiria as finalizações da auditoria da OEA.

Depois que a Organização dos Estados Americanos divulgou inúmeras anormalidades no pleito de 20 de outubro, no domingo, Morales havia anunciado a repetição das votações presidenciais. EFE

Por outro lado, morales, o líder mais antigo da América Latina, venceu a votação com 10 pontos de benefício sobre o adversária Carlos Mesa, o que lhe garantiu um novo mandato, mas a contagem de votos foi polêmica, tendo sido suspendida por quase um dia.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Bolivia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>ONU evita classificar como “golpe” a queda de Evo Morales na Bolívia
>>>>>Bolívia diz que auditoria da OEA sobre eleição ficará pronta na próxima semana – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Após relatório da OEA, Evo Morales anuncia novas eleições na Bolívia – (EfeGeneric)
>>>>>Morales concorda com nova eleição na Bolívia após auditoria da OEA – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Morales 0 0 PERSON 5 Morales: 3, (tacit) ele/ela (referent: Morales): 2
2 situação 0 0 NONE 4 a situação: 2, uma situação: 2
3 ONU 100 0 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: A ONU): 1, A ONU: 1, a ONU: 1
4 nós 0 0 NONE 3 (tacit) nós: 2, nós: 1
5 país 0 0 NONE 3 o país: 3
6 protestos 0 80 NONE 2 protestos: 2
7 A Bolívia 0 0 PLACE 2 a Bolívia: 1, A Bolívia: 1
8 Haq 0 0 PERSON 2 Haq: 1, (tacit) ele/ela (referent: Haq): 1
9 eleições 0 0 NONE 2 as eleições: 2
10 o porta-voz 0 0 NONE 2 (tacit) ele/ela (referent: o porta-voz): 2