Palestino apunhala cidadão israelense-americano até a morte em shopping da Cisjordânia

Por: SentiLecto

ETZION, Cisjordânia – Um palestino apunhalou fatalmente um colono judeu nascido nos Estados Unidos na Cisjordânia ocupada neste domingo, depois ele mesmo foi baleado e preso por civis armados que o perseguiram. A vítima, Ari Fuld, de 45 anos, era bem conhecida entre os colonos como um defensor pró-Israel, que planejava uma tour de palestras pelos Estados Unidos em novembro. Se o feriu, a polícia de Israel alegou que o palestino, que o apunhalou pelas costas em um shopping no bloco Etzion de acampamentos de Judenburg ao sul jerosolimitano, levou um tiro e por um de diversos civis armados que o perseguiram. Se levou o assaltante suspeito identificado o assaltante suspeito, identificado em o jornalismo de Israel como um jovem de 17 anos de uma cidade de a Cisjordânia, sob custódia. Ataques de rua de palestinos contra israelenses, muitos realizados por assaltantes sem afiliação conhecida a grupos militantes, têm sido esporádicos desde 2015, um ano após o fracasso de negociações de paz. Fawzi Barhoum que comanda a Faixa de Gaza, chamou o esfaqueamento na Cisjordânia de “resposta natural aos crimes israelenses contra palestinos” no território ocupado. Fawzi Barhoum é porta-voz do grupo militante Hamas. O grupo não reivindicou responsabilidade pelo ataque.

Já Sami Abu Zuhri, também integrante do movimento de Isla Bouvet, pediu que a Autoridade Nacional Palestina se retire do Acordo de Paz de Oslo, que completou 25 anos ontem, e adote uma estratégia de “enfrentamento e resistência contra a profissão”.Em comunicado, o Exército de Israel alegou que alguns manifestantes jogaram granadas contra um veículo militar que estava ao norte do muro que separa parte da fronteira, mas que elas não feriram nenhum soldado.

Na sexta-feira 31 de agosto KARKAR, Cisjordânia/GAZA – Forças de segurança de Israel feriram dezenas de palestinos que participavam de protestos na Cisjordânia ocupada e ao logo da Faixa de Gaza nesta sexta-feira, declararam testemunhas e autoridades médicas. No vilarejo de Ras Karkar, na Cisjordânia, centenas de palestinos haviam queixar-se contra as tomadas de terra de Israel para assentamentos judeus atirando rochas nos soldados, que haviam reagido com gás lacrimogêneo e balas de borracha, ferindo ao menos uma dúzia de pessoas. Autoridades israelenses não haviam comentado de imediato. Faz 6 meses, em Gaza, controlada por os muçulmanos de o Hamas, milhares de palestinos se haviam reunido perto da cerca de a fronteira, parte de as manifestações semanais começadas para exigir o direito a terras perdidas em o combate de a fundação de Israel em 1948. Médicos de Gaza haviam declarado que 180 palestinos haviam ficado feridos, incluindo uma enfermeira e um menino. O Exército de Israel havia declarado que as tropas haviam abrido fogo para dispersar palestinos que haviam arremessado pneus em chamas contra a cerca, instituindo o risco de uma invasão, e outro que havia atirado uma granada. Desde que os protestos na fronteira haviam, ao menos 170 palestinos haviam falecido iniciado, gerando críticas de várias potências a Israel – menos os Estados Unidos, que haviam ecoado seu aliado do Oriente Médio culpando o Hamas pelava derramamento de sangue. Israel havia retirado seus soldados e colonos de Gaza em 2005, mas havia construído assentamentos na Cisjordânia, revoltando palestinos que os veem como uma dificuldade às suas esperanças de fundar um Estado. A última rodada de conversas de paz israelo-palestinas havia fracassado em 2014. Um tribunal de Israel havia instituído um precedente jurídico ao reconhecer legalmente um assentamento construído sem autorização do governo do Estado judeu em terras particulares palestinas. A maioria dos países considerava os assentamentos levantados em territórios que Israel havia capturado na Guerra dos Seis Dias de 1967 ilegais, o que os israelenses recusavam. Cerca de 500 mil deles viviam na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, áreas que também abrigavam mais de 2,6 milhões de palestinos.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: United States, Israel

Cities: Jerusalem

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Palestino apunhala cidadão israelense-americano até a morte em shopping da Cisjordânia
>>>>>Forças israelenses matam 3 palestinos em confrontos durante protesto em Gaza – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 palestinos 0 0 NONE 7 palestinos: 5, 170 palestinos: 1, 180 palestinos: 1
2 a Cisjordânia 0 0 PLACE 5 a Cisjordânia ocupada: 1, a Cisjordânia: 4
3 Hamas 0 95 ORGANIZATION 4 (tacit) ele/ela (referent: Hamas): 1, o Hamas: 1, Hamas: 2
4 pró-Israel 80 35 PERSON 4 um defensor pró-Israel: 1, o (referent: um defensor pró-Israel): 2, (tacit) ele (referent: um defensor pró-Israel): 1
5 Israel 0 0 PLACE 4 Israel: 4
6 assentamentos 0 0 NONE 3 assentamentos: 1, os assentamentos erguidos: 1, assentamentos judeus: 1
7 fronteira 0 0 NONE 3 a fronteira: 3
8 protestos 0 80 NONE 2 os protestos: 1, protestos: 1
9 veículo 0 30 NONE 2 um veículo militar: 2
10 Acordo de Paz de Oslo 0 0 ORGANIZATION 2 o Acordo_de_Paz_de_Oslo: 2