Parlamento de Venezuela não reconhece legitimidade do novo governo de Maduro

Por: SentiLecto

A Assembleia Nacional da Venezuela, de maioria inimiga, declarou nesta quinta-feira que não reconhece a legitimidade do novo mandato de Nicolás Maduro por considerar a votação vencida pelo líder chavista como fraudulenta.

Por esta razão, a maioria dos países latino-americanos, incluindo o Brasil, não mandará nenhum representante para a posse, assim como os Estados Unidos e a União Europeia.

“A Venezuela tem um governo ‘de facto’, que não foi eleito pelo voto, mas que sequestrou o Estado em vantagem próxima”, declarou Juan Guaidó em entrevista coletiva concedida pouco depois da posse de Maduro. Juan Guaidó é o presidente da Assembleia Nacional.

Enquanto países como o Uruguai e México nomearam seus encarregados de negócios em Caracas como representantes oficiais para este acontecimento, a deputada federal eleita e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, confirmou sua presença na posse.

Para o líder da oposição, a partir de hoje não há chefe de Estado nem comandante-em-chefe da Força Armada Nacional Bolivariana porque Maduro está “usurpando” as funções da presidência.

Por esse motivo, Guaidó pediu aos militares que também não reconheçam um governo que “não foi eleito com voto popular”.

O parlamentar alegou: “Estendo uma mão a todos os oficiais da FANB, tenham confiança de que vão ter nosso suporte”.

Os deputados inimigos da Venezuela convidaram o povo para um protesto na próxima sexta-feira, nos arredores da sede do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento , em Caracas.

Maduro fez seu juramento diante do Tribunal Supremo de Justiça , em Caracas, acompanhado por outros seis chefes de Estado que foram os únicos a acompanhar este ato indicado por inimigos e por boa parte da comunidade internacional como o começo da “usurpação” da presidência da Venezuela.”Vimos as resoluções tomadas por um número de países. O secretário-geral, a Secretaria, não nos dedicamos a reconhecer chefes de Estado ou a não reconhecer chefes de Estado”, declarou o porta-voz Stéphane Dujarric na sua entrevista coletiva diária.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Venezuela

Cities: Caracas

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Parlamento de Venezuela não reconhece legitimidade do novo governo de Maduro
>>>>>Cinco chefes de Estado confirmam presença na posse de Nicolás Maduro – January 10, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>Maduro toma posse para governar a Venezuela até 2025 – January 10, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Supremo da Venezuela convoca Maduro para empossá-lo como presidente reeleito – January 08, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Forças Armadas da Venezuela juram lealdade absoluta a Maduro – January 08, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>ONU afirma que seguirá trabalhando com Venezuela durante 2º mandato de Maduro – January 10, 2019 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>OEA decide não reconhecer legitimidade do governo de Maduro – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Nicolás Maduro 30 0 PERSON 3 Maduro: 3
2 Caracas 0 0 PLACE 3 Caracas: 3
3 nós 0 0 NONE 3 nos: 1, (tacit) nós: 2
4 Venezuela 0 50 ORGANIZATION 2 A Venezuela: 1, (tacit) ele/ela (referent: A Venezuela): 1
5 Estado 0 40 PLACE 2 o Estado: 1, Estado: 1
6 militares 0 30 NONE 2 os militares: 2
7 confiança 90 0 NONE 2 confiança: 2
8 eleito 60 0 NONE 2 eleito: 2
9 voto 60 0 NONE 2 o voto: 1, voto popular: 1
10 Juan Guaidó 0 0 PERSON 2 Juan_Guaidó (apposition: o presidente de a Assembleia_Nacional): 1, Guaidó: 1