Sánchez declara que o importante é que se vai julgar Puigdemont em a Espanha

Por: SentiLecto

Pedro Sánchez recusou nesta quinta-feira qualificar a resolução da justiça alemã de deportar o ex-presidente catalão Carles Puigdemont só pelo crime de desvio de dinheiro público Pedro Sánchez é o presidente do Governo de Espanha., e não por motim, mas declarou que o importante é que será julgado na Espanha.

A Justiça também decidiu que Puigdemont não entre em prisão preventiva, ignorando o pedido da promotoria, já que “sempre” satisfez com suas deveres decorrentes do seu estado atual de liberdade pagando uma fiança.

Na quarta-feira 27 de junho o Supremo Tribunal da Espanha havia confirmado o processo por motim de 13 investigados na causa sobre o plebiscito independentista catalão de 2017, entre eles o ex-presidente regional da Catalunha Carles Puigdemont e seu ex-vice-presidente Oriol Junqueras.

Em entrevista coletiva ao término do domo da Otan em Bruxelas, Sánchez alegou que as determinações judiciais “não se criticam, se respeitam”, e isso é o que faz o Governo em relação à dresoluçãoda Audiência territorial de Schleswig-Holstein de edeportarPuigdemont por desvio de fundos, não por rmotim

A tomada de posição da Promotoria ocorreu somente 20 minutos depois de a Audiência de Schleswig-Holstein anunciar que resolveu que Puigdemont fosse deportado para a Espanha por suposto crime de desvio de fundos, mas não por um suposto crime de motim.O juiz do Supremo que cuida do caso contra os independentistas processou os antigos membros do Governo catalão por motim e desvio de fundos.

Para Sánchez “o importante em termos da Justiça de Espanha” é que “as pessoas envolvidas nos fatos que aconteceram no último semestre do ano 2017″, em referência ao processo independentista na Catalunha, têm que ser julgadas pelos tribunais de Espanha e “isso vai ocorrer”.

Do ponto de vista político, o que o Governo faz é “respeitar todas e cada uma das decisões judiciais, seja na Espanha, na Bélgica, na Alemanha, onde for”, acrescentou Sánchez.

Na sua vez um fim que Sua vez é a declaração do tribunal declara que Puigdemont pôde ter tido uma “co-responsabilidade” em resoluções que supostamente cobravam uma carga para os cofres públicos., no entanto, evidencia que isso deve ser fundamentado em um julgamento na Espanha.

O tribunal mencionou em comunicado que considera “não aceitável” deportar o líder defensor da soberania por motim, como tinha requerido o juiz Pablo Llarena da Suprema Corte de Espanha, reiterando os argumentos que já tinha exposto anteriormente, nos quais assinalava que não via grau de violência “suficiente”.

Fonte: EfeGeneric

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Sánchez declara que o importante é que se vai julgar Puigdemont em a Espanha
>>>>>Justiça alemã decide extraditar Puigdemont – (EfeGeneric)
>>>>>Promotoria alemã informa que não pode recorrer de decisão sobre Puigdemont – July 12, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>>>>>Juiz espanhol suspende deputados catalães presos e Puigdemont de seus cargos – July 10, 2018 (EfeGeneric)
>>>>>Puigdemont acredita que decisão de Justiça alemã derrota “mentira” da Espanha – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 sua vez (apposition: a declaração de o tribunal) 60 0 NONE 6 (tacit) ele/ela (referent: sua vez): 6
2 eu 0 0 NONE 5 (tacit) eu: 5
3 decisões 0 160 NONE 3 as resoluções judiciais: 1, decisões: 2
4 Pedro Sánchez 0 0 PERSON 3 Pedro_Sánchez (apposition: O presidente de o Governo espanhol): 1, Sánchez: 2
5 Puigdemont 0 0 PERSON 3 Puigdemont: 3
6 a Espanha 0 0 PLACE 3 a Espanha: 3
7 argumentos 0 0 NONE 3 os argumentos: 3
8 importante 0 0 NONE 3 o importante: 3
9 rebelião 0 100 NONE 2 rebelião: 2
10 Justiça 0 0 ORGANIZATION 2 (tacit) ele/ela (referent: A Justiça): 1, A Justiça: 1