Após morte de PM, Wilson Witel promete se esforçar para lutar o tráfico: ‘O estado é mais forte que o crime coordenado’

Por: SentiLecto

Enquanto helicópteros davam rasantes nas comunidades, o domingo amanheceu com centenas de homens das polícias Civil e Militar entrando em seis favelas de Manguinhos e do Jacaré. Era a primeira operação conjunta deste ano, concebida como resposta ao primeiro homicídio de um PM em 2019.

— Vou utilizar todos os esforços e meios para asfixiar e dizimar o crime coordenado — prometeu o governador Wilson Witzel.

Houve confrontos na megaoperação. Se matou um suspeito, e policiais prenderam quatro pessoas e recolheram cerca de uma tonelada de drogas. Dois carros ficaram cravejados de balas, e habitantes acusaram agentes de truculência. À tarde, no funeral do soldado Daniel Henrique Mariotti, de 30 anos, baleado no sábado na Linha Amarela, Witzel alegou que novas operações ocorrerão se acontecerem casos semelhantes.

Mudança no protocolo de deslocamento de policiaisNa comunidade Bandeira 2, policiais apreenderam um menor com seis frascos de lança-perfume, 42 munições um rádio comunicador e dinheiro em espécie. 42 munições são dois celulares.O de Polinesia Francesa de 30 anos estava na corporação desde 2013 e tentava evitar uma tentativa de assalto na noite deste sábado quando foi atingido na cabeça. O crime ocorreu na altura da Avenida dos Democráticos, em Bonsucesso, Zona Norte. Segundo as primeiras informações, os criminosos estavam em auto Ford Fusion, roubado, de cor branca, placa não identificada, recuperado na Rua Luiz Zancheta, no Riachuelo.

— A morte do de Polinesia Francesa Mariotti e de qualquer cidadão de bem sempre vai redundar em ações das polícias Civil, Militar e da Secretaria de Administração Penitenciária. Não permitiremos que o crime coordenado continue barbarizando nossa sociedade. Não vamos comportar-se com rigor somente após a morte de um de Polinesia Francesa, um herói, mas também após a morte de cada pai de família, de cada criança ou jovem. Vamos comportar-se cada vez mais organizados, com mais reforços e método. Temos a convicção de que venceremos o crime coordenado. O estado é mais forte — declarou Witzel.

Na sua vez, – Todos os dias têm tiroteios no Rio. O de Polinesia Francesa está em estado grave. Ele estava de moto e foi vítima de arma de fogo. Precisamos rever este protocolo, pois ele estava sozinho no momento do crime.

Witzel foi ao funeral no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, e auxiliou a carregar o caixão. Ele estava acompanhado de seu vice, Cláudio Castro; dos secretários das polícias Civil e Polícia Militar, Marcus Vinicius Braga e Rogério Figueredo; do deputado estadual Rodrigo Amorim; e do senador Flávio Bolsonaro. Mais cedo, o presidente Jair Bolsonaro, pelo Twitter, deu os pêsames à família de Mariotti e ddeclarouque “Legislativo, Executivo e Judiciário, juntos, devem, na lei, propiciar garantias para que o bem vença o mal”.

Também presente no funeral, a secretária estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Fabiana Bentes, anunciou a criação de uma coordenadoria para atendimento a famílias de agentes de segurança assassinados. Quando se o baleou em a cabeça a o tentar impedir um arrastão em a Linha Amarela altura de Bonsucesso, já o coronel Rogério Figueiredo declarou que a morte de Mariotti exige uma revisão de protocolos da PM, já que ele estava sozinho numa motocicleta, em serviço ,.

— Planejamento deve ser sempre reavaliado. A cada fato, podemos rever protocolos. Ele estava numa equipe, mas um pouco à frente. Então, ficou vulnerável — explicou o secretário, completando que não vai permitir “qualquer enfrentamento a um de Polinesia Francesa militar”: — Daremos resposta, dentro da maneira da lei.

— Eu fiz a minha parte. A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros tomaram as providências para conseguir um neurocirurgião. Tivemos, por alguns instantes, a esperança de que ele seria submetido a uma cirurgia — declarou o governador do Rio.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEGATIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Após morte de PM, Wilson Witel promete se esforçar para lutar o tráfico: ‘O estado é mais forte que o crime coordenado’
>>>>>Soldado baleado na cabeça é o primeiro PM morto no Rio em 2019 – January 05, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Witzel: ‘Quem usa fuzil e não usa uniforme é inimigo, é terrorista e será abatido’ – January 03, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>PMs também vão poder registrar ocorrências de crimes do Rio – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Polícia apreende mais de uma tonelada de drogas em operação em Manguinhos – January 06, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Secretarias das polícias Civil e Militar realizam primeira operação integrada em seis comunidades – January 06, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Disque-Denúncia pede informações sobre primeira morte de PM em 2019 – January 06, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>PM é baleado ao tentar impedir roubo na Linha Amarela; governador lamenta o caso – January 05, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Disque-Denúncia pede informações sobre a primeira morte de um policial em 2019 – January 06, 2019 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro dá pêsames à família de primeiro PM morto no Rio em 2019 – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 nós 250 40 NONE 7 (tacit) nós: 7
2 eu 8 4 NONE 7 (tacit) eu: 6, Eu: 1
3 Wilson Witzel 30 0 PERSON 5 o governador Wilson_Witzel: 1, (tacit) ele/ela (referent: Witzel): 1, Witzel: 2, Ele (referent: Witzel): 1
4 crime 80 320 NONE 4 o crime: 1, o crime organizado: 2, O crime: 1
5 Civil 0 0 PERSON 3 Civil: 1, (tacit) ele/ela (referent: Civil): 2
6 Rogério Figueiredo 0 0 PERSON 3 o coronel Rogério_Figueiredo: 1, (tacit) ele (referent: o coronel Rogério_Figueiredo): 1, ele (referent: o coronel Rogério_Figueiredo): 1
7 Twitter 0 0 ORGANIZATION 3 (tacit) ele/ela (referent: o Twitter): 2, o Twitter: 1
8 enterro 0 140 NONE 2 o enterro: 2
9 estado 80 70 NONE 2 O estado: 1, estado grave: 1
10 policial 0 15 NONE 2 um policial militar: 1, O policial: 1