‘Dinheiro não me para, motivação para vencer é maior’, declara professor de jiu-jítsu morto no Alemão em vídeo

Por: SentiLecto

O professor de jiu-jítsu Jean Rodrigo Aldrovande, de 39 anos, percorria quase todos os dias um trajeto de cerca de uma hora a pé de Vaz Lobo, na Zona Norte do Rio, onde morava, até a sede do projeto social Maneco Team, no Complexo do Alemão. No percurso, Jean gravava mensagens motivacionais para seus estudantes e mandava pelo WhatsApp. Matou-se o professor em esta terça-feira com um tiro em a cabeça em a frente de a sede de o projeto. Habitantes acusam PMs pelo disparo.

“Vou pro treino. Vou caminhando, mas vou. Sou samurai. O dinheiro não me para. Acredita. Minha motivação para vencer, superar, alcançar objetivos é maior”, declara o professor, caminhando com um quimono na mão, num vídeo a que o EXTRA teve acesso.

Jean dava aula para 90 estudantes na favela e ganhava salário de R$ 900. Segundo sua mulher, a jornalista Andreia Rios, o professor era uma “referência para jovens e adolescentes do Alemão, que tirou bastante jovem do crime, “. Era aquela espécie de pessoa que animava os estudantes, conseguia quimono para quem não tinha. Era uma pessoa bastante especial — alegou Andreia Rios.

— Se a recebe em a bala, a polícia não chega atirando.A facção adversária chegará e o combate será pior ainda, se a polícia não chegar. Estamos enfraquecendo esses narcoterroristas. Estamos fazendo apreensões e apreensões de drogas, prendendo milicianos e isso está enfraquecendo o crime. Eles continuarão atirando em pessoas inocentes porque daí atos assim de terrorismo que intimidam o estado — alegou Witzel

Se conhece a trajetória de superação de Jean em o Alemão. Antes de ser professor, Samurai, como era conhecido na favela, foi habitante de rua. Há sete anos, passou a dar aulas no projeto social Maneco Team. No fase da manhã, ele auxiliava o pai num depósito de gás na Ilha do Governador. À tarde, ia diariamente para o Complexo do Alemão.

Na sua vez, — Desejo saber o que o governador tem a declarar agora. A polícia que deveria nos proteger agora serve para pra alvejar, para matar. Meu irmão não é Marielle, mas espero que haja justiça, que não seja só mais uma morte — declarou.

— Ele chegou no projeto com nove estudantes. Estava descrido, tinha padecido um acidente e não conseguia se locomover direito. Dei a chance e ele agarrou: não faltava um dia aos treinos — declara Emanuel de Souza, o Maneco, fundador do projeto social onde Jean trabalhava.

Além de dar aulas, o professor também competia. Faz 1 mês, ele foi ganhou medalha de bronze em o torneio de a Federação de Jiu-Jítsu Desportivo do Rio em a categoria master 2 para praticantes com até 66 quilos, em abril. No sábado, ele iria para Volta Redonda disputar outra competição.

De acordo com Diego da Silva Aldrovande, irmão de Jean, o professor estava sem camisa, tirando da mala de um carro estacionado na frente da sede do projeto social as bolsas de gelo que quando se o baleou, os estudantes utilizam em contusões . Um dos filhos do professor de jiu-jítsu presenciou o momento em que se o matou . O rapaz, de 17 anos, aguardava na porta da academia. A vítima deixou outros três filhos, sendo o mais novo de 5 anos.

PMs lotados nas Unidades de Polícia Pacificadora do Complexo do Alemão fizeram disparos no local. A Polícia Militar afirma que houve uma perseguição com tiroteio na esquina onde fica localizada a sede do projeto social.

A corporação abriu um Inquérito Policial Militar para investigar o caso e já escutou os PMs que participaram da perseguição. Eles afirmaram que, após o tiroteio, não notaram que havia pessoas baleadas no local. Os PMs não acusam o professor de ter participado do confronto. Se baleou Thiago Adolfo de Andrade de 18 anos além de Jean, Thiago Adolfo de Andrade, de 18 anos, em a perna e foi encaminhado a o Hospital estadual Getúlio Vargas.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

Cities: Volta Redonda

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>’Dinheiro não me para, motivação para vencer é maior’, declara professor de jiu-jítsu morto no Alemão em vídeo
>>>>>Witzel promete rigor em investigação de morte de professor de jiu-jítsu no Alemão: ‘Não vai ficar impune’ – May 15, 2019 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 90 75 NONE 13 (tacit) eu: 13
2 professor 25 0 NONE 7 o professor: 5, o professor era: 1, O professor: 1
3 PMs 0 0 ORGANIZATION 6 os PMs: 2, Os PMs: 1, PMs lotados: 1, Eles (referent: os PMs): 1, (tacit) eles/elas (referent: os PMs): 1
4 Jean 0 0 PERSON 5 Jean: 5
5 alunos 0 0 NONE 5 nove alunos: 1, os alunos: 2, 90 alunos: 1, seus alunos: 1
6 o professor 0 0 NONE 5 ele (referent: o professor): 3, (tacit) ele/ela (referent: o professor): 1, (tacit) ele (referent: o professor): 1
7 nós 0 140 NONE 4 (tacit) nós: 4
8 quimono 60 0 NONE 3 um quimono: 1, quimono: 2
9 crime 0 200 NONE 2 o crime: 2
10 perseguição 0 70 NONE 2 a perseguição: 1, uma perseguição: 1