Procurador especial dos EUA amplia pressão sobre ex-assessores da campanha de Trump com nova denúncia

Por: SentiLecto

Por Sarah N. Lynch e Jonathan Landay

WASHIGNTON – O procurador especial dos Estados Unidos, Robert Mueller, ampliou pressão nesta terça-feira para dois ex-assessores da campanha do presidente Donald Trump colaborarem com a inquérito sobre possível conluio com a Rússia, tirando confidencialidade de uma denúncia criminal contra um advogado por mentir para seus investigadores.

Leer Más

Trump pede norma que proíba equipamento utilizado em ataque a tiros de Las Vegas

Por: SentiLecto

Donald Trump declarou nesta terça-feira que assinou um memorando orientando o secretário de Justiça a elaborar normas proibindo equipamentos que modificam armas de fogo em metralhadoras, como o usado no ataque a tiros em massa que ocorreu em Las Vegas em outubro do ano passado. Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos.

Leer Más

Sobreviventes de ataque a escola na Flórida pressionam por controle de armas

Por: SentiLecto

PARKLAND, Estados Unidos, – Dezenas de alunas e pais de estudantes da escola da Flórida onde 17 adolescentes e funcionários faleceram em um incidente com tiros na semana passada, entraram em ônibus nesta terça-feira a percurso da capital do Estado, Tallahassee, para pressionar por uma interdição de rifles de roubo.

Leer Más

Vai ser difícil aprovar privatização da Eletrobras e reoneração da folha neste ano, declaram fontes da equipe econômica

Por: SentiLecto

– A privatização da Eletrobras e a reoneração da folha de pagamentos dificilmente serão aprovadas pelo Congresso Nacional neste ano, avaliaram duas fontes da equipe econômica escutadas pela Reuters nesta terça-feira, referindo-se a dois importantes projetos da pauta econômica eleita como prioritária pelo governo após jogar a toalha em relação à reforma da Previdência. Faz 1 mês, a desistência de a reforma veio por conta da intervenção federal em a segurança pública em o Rio que impede mudanças em a Constituição que também afeta mudanças em a norma de ouro fiscal., e que também afeta mudanças na norma de ouro fiscal. “É difícil, mas não inimaginável “, alegou uma fonte da equipe econômica, que pediu anonimato. “Talvez deva abrir mão de alguns outros . Agora é que eles vão começar a ver quais são fáceis e quais terão resistência”, adicionou a fonte sobre a lista, que inclui medidas como autonomia do Banco Central e criação de cadastro positivo. Na noite passada, o governo do presidente Michel Temer desistiu de votar a reforma da Previdência agora e exibiu um conjunto de medidas econômicas, boa parte delas já em tramitação no Congresso, em uma tentativa de reafirmar o compromisso com o equilíbrio fiscal. A privatização da Eletrobras enfrenta franca resistência no Congresso e calendário apertado de realização. Por isso, o próprio governo decidiu bloquear despesas no Orçamento deste ano para o caso dos 12,2 bilhões de reais estimados com a operação não se concretizarem. O projeto de reoneração da folha, com o qual o governo esperava originalmente ganho fiscal de 8,8 bilhões de reais neste ano, está há tempos tramitando no Congresso. O relator da proposta na Câmara dos Deputados, deputado Orlando Silva , já sinalizou que vai abrir espaço para que mais companhias continuem com a vantagem fiscal, diminuindo os ganhos para os cofres públicos com a medida. Uma segunda fonte da equipe econômica também reconheceu que estes dois projetos são de aprovação difícil e recordou que a reoneração enfrenta ainda a oposição de segmentos empresariais, que têm que pressionar os parlamentares em ano eleitoral. Faz 1 mês, norma de ouro a intervenção em o Rio também afastou eventual mudança constitucional em a norma de ouro segundo a qual o governo não pode, se endividar para pagar despesas correntes, como salários de servidores. Membros do governo já mencionaram que há um buraco de até 200 bilhões de reais para o cumprimento da norma em 2019. Inicialmente, o governo ergueu a suposição de mudar a Constituição com a implementação de normas de autoajustamento em caso de superação dos limites. Agora, a tendência é que o governo peça a benção dos parlamentares ainda neste ano, via projeto de lei orçamentária de 2019, para que concedam-se créditos extraordinários em o ano que vem, o que permitirá o enquadramento do Orçamento na norma de ouro, assinalou a segunda fonte da equipe econômica. No meio político, a avaliação também é de que algumas matérias podem enfrentar obstáculos para ser aprovadas, como a reoneração da folha de pagamentos, recordou uma vice-liderança do governo na Câmara dos Deputados. , adicionando que a reforma do PIS/COFINS e a privatização da Eletrobras também não vão ter acolhimento fácil alegou: “Você já deu o doce e agora deseja tirar”.

Leer Más

Procurador especial dos EUA acusa advogado por declarações falsas em investigação sobre Rússia

Por: SentiLecto

– O procurador especial dos Estados Unidos que está investigando a suposta interferência da Rússia na votação presidencial de 2016 acusou um advogado de ter mentido sobre suas comunicações com Rick Gates, que tem que assumir a culpa no futuro próximo, ex-assessor da campanha do presidente dos EUA, Donald Trump. Faz 3 meses, Robert Mueller revelou em esta as denúncias criminais exibidas contra o advogado Alex van der Zwaan por supostamente mentir respeito de um trabalho realizado por sua firma em 2012 relacionado em a Ucrânia. a o FBI em novembro a respeito de um trabalho realizado por sua firma em 2012 relacionado na Ucrânia. Robert Mueller é o procurador especial. respeito de um trabalho realizado por sua firma em 2012 relacionado à Ucrânia. A denúncia tem que pressionar Gates e Paul Manafort, ex-gerente de campanha de Trump, ambos sujeitos a denúncias criminais, como as de terem conspirado para lavar dinheiro e não terem se registrado como agentes estrangeiros para seu trabalho político para um partido de Ucrania pró-Rússia. Eles se disseram inocentes. Existe a chance de um julgamento acontecer durante o outono norte-americano, mas Mueller está investigando se a campanha de Trump se mancomunou com a Rússia durante a votação de 2016. Trump declarou não ter havido conluio, e Moscou nega ter interferido na eleição. Ele teria declarado aos investigadores que não sabe por que um email que trocou com a pessoa A não foi entregue ao escritório de Mueller, mas na verdade apagou ou deixou de entregar emails que eram procurados.

Leer Más