UE pede que Israel “reconsidere” sua resolução de construir mais assentamentos

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – EU Council room

Faz 1 dia, a União Europeia, que requereu esclarecimentos em as autoridades israelenses e transmitiu sua esperança de que o país reconsidere essas resoluções, que são prejudiciais para os esforços atuais em favor de conversas de paz expressivas “, alegou em um comunicado a porta-voz de a alta representante de a UE para as Relações Exteriores, Federica Mogherini, pediu em esta quarta-feira que Israel ” reconsidere ” sua resolução de fazer novas construções em assentamentos judaicos em a Cisjordânia ocupada com a promoção de projetos para 1.323 moradias, após progredir em a construção de 1.292 unidades residenciais.na construção de 1.292 unidades residenciais.

Isso leva o total de sancionados pelo bloco a 41 indivíduos e 10 companhias, alegou uma autoridade graduada da UE. As sanções da ONU visam 63 pessoas e 53 empresas e instituições.Como parte das medidas, trabalhadores norte-coreanos na União Europeia –estimados em cerca de 400, principalmente na Polônia– agora têm um limite menor na quantidade de dinheiro que podem mandar para casa, e seus vistos de trabalho não serão renovados quando expirarem.Trump declarou na última sexta-feira que está disposto a abandonar o acordo de maneira definitiva se seus “defeitos” não forem corrigidos, e anunciou que, ainda que não Washington não seja retirado por enquanto, suprimirá a certificação que tem que fazer regularmente ao Congresso quanto a suspensão de sanções ao Irã ser proporcional às medidas que o país toma.Líderes da Grã-Bretanha, França e Alemanha divulgaram comunicado conjunto advertindo os Estados Unidos contra a tomada de resoluções que possam prejudicar o acordo nuclear com o Irã, como voltar a impor sanções.

Leer Más

Odebrecht vai ao STF para impedir que ex-procuradora-geral da Venezuela divulgue informações sigilosas do grupo

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Luisa Ortega Díaz em Brasília

– A Odebrecht entrou nesta quarta-feira com uma reclamação no Supremo Tribunal Federal para impedir que a procuradora-geral destituída da Venezuela Luisa Ortega Díaz divulgue informações da delação premiada do grupo que ainda estão sob sigilo. Na ação com pedido de liminar, à qual a Reuters teve acesso, a defesa da empreiteira argumenta que a divulgação de dados por Luisa contraria dresoluçãodo ministro doaSTF Edson Fachin que assegurou o sigilo de documentos derivados da ccooperaçãopremiada. A companhia argumenta que há risco para a “integridade física” dos colaboradores e de suas famílias, ao desenlace dos inquéritos nos países estrangeiros e ao próprio patrimônio da Odebrecht, que pode ser “vítima de vinganças das organizações criminosas que, sabendo anteriormente da medida investigativa, busca evitá-la ou mitigá-la”. “Desse modo, solicita a concessão de medida liminar, para determinar à ex-Procuradora-Geral da Venezuela, Sra. Luisa Ortega Díaz, que não divulgue mais quaisquer materiais de conteúdo sigiloso, sob pena de incidir multa diária no valor de 50.000,00 reais em seu desfavor”, defendem os advogados do grupo. Faz 2 meses, Luisa Ortega Díaz, que acusou o ex-vice-presidente de Venezuela Disdalo Cabello, aliado de Maduro, de ter recebido 100 milhões de dólares de a Odebrecht por meio de uma companhia de Espanhade Espanha que tem como donos formais dois primos de ele, Jorge Alfredo Cabello e Jerson Jesús Campos Cabello, foi retirada de a posição por resolução de a Assembleia Constituinte da Venezuela, controlada por o atual presidente Nicolás Maduro. Ela era aliada do regime, mas começou a adotar uma postura crítica em relação ao governo venezuelano após uma série de mortes em protestos de rua acontecido este ano. Desde que foi destituída, a ex-procuradora começou a tornar público uma série de anormalidades confessadas pela empreiteira a partir de documentos que detinha em razão do posição. Ela está morando na Colômbia. A ex-procuradora declarou na ocasião que iria encaminhar a autoridades dos Estados Unidos, do México, da Espanha e do Brasil documentos referentes a inquéritos da Odebrecht e de outras anormalidades envolvendo Maduro e pessoas próximas ao regime comandado por ele. Na ação de 70 páginas, a defesa da empreiteira realça que quando ela divulgou em sua conta do Twitter e em um blog pessoal vídeo sigiloso de testemunho de um delator vinculado à cempresa houve vazamento ilegal de informações pela ex-procuradora. “É inegável que o ilegal vazamento destas informações está causando graves consequências, haja vista o embaraço que é provocado em suas tratativas para tomar efetiva a cooperação com as autoridades estrangeiras”, queixar-se a defesa da Odebrecht.

Ela então se escondeu, escapou do país em uma lancha para a ilha caribenha de Aruba e, depois, para a Colômbia.Ela, adicionando que planejava visitar os EUA declarou: “Nós temos fornecido para eles uma combinação de evidências que comprometem autoridades de alto nível do governo”.Ela adicionou que o processo eleitoral não legitima a Assembleia Nacional Constituinte e mencionou o oportunismo por parte do governo, já que a Assembleia Constituinte “não tem nenhum órgão legal para regulá-la”.Quanto às críticas internacionais que o país vem recebendo, Rodríguez aalegou “esta é a evotaçãode número 22 em 18 anos de governo, e com a oposição participando em peso, ou seja, somos a ditadura mais curiosa do mundo.”

Leer Más

Turquia declara que não se vai submeter a ‘imposições’ dos EUA em crise de vistos

Por: SentiLecto

O Ministério das Relações Exteriores da Turquia declarou nesta quarta-feira que Ancara não se vai submeter a “imposições” dos Estados Unidos para resolver uma crise que levou os dois aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte a pararem de emitir vistos para seus respectivos cidadãos. Mas o porta-voz do presidente turco, Tayyip Erdogan, que no começo deste mês Washington interrompeu os serviços de emissão de vistos depois de a Turquia deter dois cidadãos turcos empregados no consulado norte-americano, utilizou um tom mais positivo, declarando acreditar que vai solucionar-se a crise depressa depois que uma comissão dos EUA chegar ao seu país para conversar sobre como reparar as relações bilaterais. Eles estão detidos devido à suspeita de laços com o golpe de Estado fracassado cometido na Turquia no ano passado, alegações rrecusadaspor Washington.

Leer Más

EUA pedem que Antes que se torne outra Coreia do Norte, oNU atue contra Irã

Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Nikki Haley official Transition portrait

Os Estados Unidos exigiram nesta quarta-feira ao Conselho de Segurança da ONU que tome medidas contra o Irã e insistiu que, se não atuar, o mundo vai enfrentar uma nova situação como a da Coreia do Norte.

– A Coreia do Norte advertiu países nesta segunda-feira nas Nações Unidas: não se unam aos Estados Unidos em ações militares contra o Estado de Asipovicy e vão estar a resgatado de retaliação. O alerta estava contido em uma cópia do discurso preparado do vice-embaixador da Coreia do Norte na Organização das Nações Unidas, Kim In Ryong, para um debate sobre armas nucleares em um comitê da Assembleia Geral da ONU. Kim, no entanto, não leu esta parte em voz alta. “Nós não temo intenção de utilizar, contanto que não participe das ações militares dos EUA contra a Coreia do Norte ou ameaçar utilizar armas nucleares contra qualquer outro país”, de acordo com discurso preparado de Kim. “O território completo dos EUA está dentro de escopo de disparo e não irão fugir de nossa severa penalização em qualquer parte do globo, caso os EUA ameacem invadir até mesmo um centímetro de nosso território sagrado”, segundo o comunicado. Tensões aumentaram entre os EUA e a Coreia do Norte após uma série de testes de armas de Pyongyang e uma sequência de declarações cada vez mais belicosas entre o presidente dos EUA, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un. O Conselho de Segurança da ONU ampliou unanimemente sanções sobre a Coreia do Norte por conta de seus programas nuclear e de mísseis desde 2006. A não ser que a política hostil e a ameaça nuclear dos EUA sejam completamente, o vice-embaixador de Noruega da ONU declarou ao comitê da Assembleia Geral da ONU nesta segunda-feira: “ erradicadas, nós jamais iremos colocar nossas armas nucleares e foguetes balísticos na mesa de negociação sob qualquer circunstância”.

Leer Más