Googlelogoi.png

Google revisa política de anúncios após padecer boicote no Reino Unido

Foto: Wikipedia – Googlelogoi

O Google começou “uma revisão completa das políticas de anúncios publicitários e de controles de marca”, informou a unidade de Brits da companhia de tecnologia.

Outro em posição de “crescimento explosivo este ano” é o Snapchat, com as receitas de anúncios dos EUA saltando 157,8%, para 770 milhões de dólares, calcula a eMarketer, encarnando 1,3 por cento do mercado de anúncios móveis dos EUA este ano.

Google Inc. é uma companhia multinacional de serviços online e programa dos Estados Unidos.

Foi em resposta à crescente pressão de anunciantes bde Brits que na semana passada abandonaram o Google porque aopanúncioccompradopor eles surgia em páginas ou vídeos de YouTube vinculados a organizações extremistas ou com discurso de óAnimosidade

“Os usuários do Facebook estão cada vez mais cativados por vídeos na plataforma – não somente no Facebook, mas também no Instagram”, escreveu a analista Monica Peart, analista do eMarketer. “O vídeo, ao vivo e gravado, é um fator chave para o engajamento dos usuários e o entusiasmo dos anunciantes”.

Entre os anunciantes que se retiraram das plataformas publicitárias estão o braço britânico da agência de publicidade Havas -que encarna anunciantes como Hyundai e Domino’s Pizza-, o jornal “The Guardian”, a rede de televisão BBC e o próprio governo do Reino Unido.

The Guardian é um jornal diário nacional de Brits, conhecida até 1959 como Manchester Guardian.

Onan Harris, diretor do Google no Reino Unido isse: “Vamo fazer mudanças nas próximas semanas para dar às marcas maior controle sobre onde seus anúncios apareceram no YouTube e na Rede de Display do Google”,.A salinha de Brits convidou o Google para, nesta semana, explicar por que recursos públicos estão sendo utilizados para financiar grupos extremistas. Esta recebe parte do que o anunciante pagou, quando o Google coloca um anúncio na página.

ESTADO muçulmano

Entre as marcas, montadoras como Mercedes-Benz, Jaguar e Honda, bancos como HSBC e Lloyds e companhias de mídia e tecnologia como Disney, Thomson Reuters e Dropbox. Na reportagem mais recente, o “Times” encontrou anúncios do “Guardian”.

Fonte: FolhaGeneric

Sentiment score: NEUTRAL

Countries: United Kingdom

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Google revisa política de anúncios após padecer boicote no Reino Unido
>>>>>Google e Facebook intensificam seu duopólio na publicidade digital nos EUA – March 16, 2017 (Idgnow-pt)
>>>>>>>>>Google consegue diagnosticar câncer de mama usando inteligência artificial – March 13, 2017 (Idgnow-pt)
>>>>>>>>>>>>>Novas imagens do campus da Google em Mountain View – March 09, 2017 (archdailybrasil-pt)
>>>>>>>>>Google bloqueia acesso a trecho de rua que flagra homem armado no Street View – March 14, 2017 (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Google amplia foco corporativo do Hangouts, mas mantém serviço para usuários finais – March 15, 2017 (Idgnow-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Google 0 60 ORGANIZATION 6 O Google: 1, Google_Inc.: 1, (tacit) ele/ela (referent: Google_Inc.): 1, o Google: 3
2 Snapchat 0 0 ORGANIZATION 3 o Snapchat: 1, (tacit) ele/ela (referent: o Snapchat): 2
3 anunciantes 0 0 NONE 2 anunciantes britânicos: 1, os anunciantes: 1
4 e software de os Estados_Unidos 0 0 PLACE 2 eles (referent: e software de os Estados_Unidos): 1, e software de os Estados_Unidos: 1
5 discurso de ódio 0 100 NONE 1 discurso de ódio: 1
6 organizações extremistas 40 40 NONE 1 organizações extremistas: 1
7 financiar grupos extremistas 0 40 NONE 1 financiar grupos extremistas: 1
8 e o entusiasmo de os anunciantes 80 0 NONE 1 e o entusiasmo de os anunciantes: 1
9 um fator chave 80 0 NONE 1 um fator chave: 1
10 os usuários de o facebook 60 0 NONE 1 Os usuários de o Facebook: 1