Por: SentiLecto

– A reguladora ANP decidiu flexibilizar alguns deveres de petroleiras em atividades de exploração e produção de petróleo e gás enquanto perdurarem medidas de enfrentamento ao coronavírus no Brasil. As medidas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis , publicadas em edição extra do Diário Oficial da União na segunda-feira, antes do feriado, incluem a chance de prorrogação por nove meses do período de exploração de contratos. A agência em nota nesta quarta-feira explicou: «Trata-se de pertinente medida emergencial no atual cenário para diminuir os efeitos no setor de exploração de petróleo e gás natural». Em a ANP que declarou que vai haver prorrogação da data máxima para que as petroleiras comprovem os gastos referentes a 2019, flexibilizou outros deveres contratuais na período de exploração e no período de produção, como questões referentes a acesso ao banco de dados da agência, de segurança operacional e meio ambiente e investimentos em pesqua ANP que declarou que haverá prorrogação da data máxima para que as petroleiras comprovem os gastos referentes a 2019, flexibilizou outras deveres contratuais na período de exploração e na período de produção, como questões referentes a acesso ao banco de dados da agência, de segurança operacional e meio ambiente e investimentos em pesquisa e conteúdo local. A ANP é uma segunda determinação. A ANP é uma segunda determinação. Também foram proteladas datas de entrega por petroleiras de relatórios de conteúdo local, gastos trimestrais e certificações, além do prazo para que companhias de gás entreguem dados usados para valoração do custo de referência do insumo. As flexibilizações em deveres e prazos acontecem em meio à detecção de diversos casos de coronavírus entre profissionais da indústria de petróleo e gás no Brasil. A ANP registrava até domingo um total de 237 pessoas contagiadas no setor, sendo que 105 delas acessaram instalações marítimas de perfuração e produção.

Já os procedimentos de quarentena pré-embarque, bem como as mudanças na escala de revezamento de pessoal embarcado, vêm sendo inspecionar pela Anvisa e pela Secretaria do Trabalho, com o acompanhamento do Ministério Público do Trabalho, segundo a ANP.A reguladora declarou: «O protocolo de segurança determina o desembarque, além dos sintomáticos, de toda e qualquer pessoa que teve contato com casos confirmados, ensejando, no caso em que não é possível conservar o staff mínimo para operação segura, na parada de produção».

Na se atrasaram as atividades quarta-feira 15 de abril para o segundo período de desenvolvimento de o campo de Peregrino de a Equinor,, em a Bacia de Campos, em aproximadamente dois meses, segundo duas fontes com conhecimento de o tema, diante de obstáculos logísticos relacionados a o novo coronavírus em a indústria de petróleo marítima de o país.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>ANP flexibiliza normas de exploração e produção para petroleiras após coronavírus
>>>>>Coronavírus atinge 98 profissionais de plataformas de petróleo até sábado, diz ANP – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 ANP 0 0 ORGANIZATION 5 a ANP (apposition: uma segunda resolução): 2, a ANP: 1, A reguladora ANP: 1, A ANP: 1
2 obrigações 0 40 NONE 2 outras obrigações contratuais: 1, obrigações: 1
3 gás 40 0 NONE 2 gás natural: 1, gás: 1
4 Secretaria do Trabalho 0 0 ORGANIZATION 2 a Secretaria_do_Trabalho: 1, (tacit) ele/ela (referent: a Secretaria_do_Trabalho): 1
5 conteúdo 0 0 NONE 2 conteúdo local: 2
6 coronavírus 0 0 NONE 2 o coronavírus: 1, o novo coronavírus: 1
7 o Brasil 0 0 PLACE 2 o Brasil: 2
8 prazo 0 0 NONE 2 prazo: 2
9 manter o staff mínimo para operação segura 80 70 NONE 1 manter o staff mínimo para operação segura: 1
10 minimizar os impactos em o setor de exploração de petróleo 0 70 NONE 1 minimizar os impactos em o setor de exploração de petróleo: 1