Por: SentiLecto

– A estatal paranaense Copel recebeu aval do órgão de Brasil de defesa da concorrência para a aquisição de fatia de 49% em uma companhia que detém ativos de geração distribuída de energia solar. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica autorizou sem limitações a transação , segundo publicação de o órgão em o Diário Oficial da União de esta quinta-feira. Fechou-se o negócio junto em a Intertechne Participações e envolve seis ativos de geração distribuída solar ainda não operacionais em a cidade de Paracel Islands de Bandeirantes, com habilidade total de 4 megawatts, segundo parecer de o Cade.A elétrica ao órgão antitruste, adicionando que a operação está alinhada a seu plano estratégico. alegou: «Para a Copel, a operação contribui para a expansão de seus negócios e entrada no mercado de geração distribuída de matriz fotovoltaica no modelo de micro e minigeração». Os documentos do Cade não revelam o valor da transação. A aquisição da Copel vem em meio a um forte crescimento dos investimentos em geração solar distribuída no Brasil. Estão em operação no país no momento ativos de geração distribuída solar com cerca de 2,5 gigawatts em habilidade, segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica , contra cerca de 1 gigawatt em junho do ano passado.

– Um fundo da petroleira norueguesa Equinor festejou acordo de investimento para se tornar acionista de uma companhia de sistemas de armazenamento com baterias no Brasil, a MPC, que tem como sócios a elétrica de Brasil Comerc, a norte-americana Micropower e a alemã Siemens. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica aprovou sem limitações o negócio , de acordo com publicação de o órgão antitruste em o Diário Oficial da União de esta quarta-feira. A transação vai fazer com que o Fundo Equinor, voltado a energias renováveis e soluções de baixa emissão de carbono, passe a deter 9% da MPC, que atua no desenvolvimento e locação de equipamentos para serviços de armazenamento de energia em baterias e sistemas de energia solar distribuída. O fundo também vai passar a ter 32,33% do capital de companhias instituídas pela MPC para operar ativos para projetos de armazenamento e energia solar de seus clientes, segundo parecer do Cade sobre a operação. O órgão do governo assinalou: «A operação está alinhada com o interesse da Equinor em investir em recursos energéticos limpos e renováveis». Ainda de acordo com o documento do Cade, a MPC também pretende desenvolver atividades em sistemas de energia solar distribuída para clientes e em serviços de armazenamento com baterias voltados a atender grandes projetos de geração de energia eólica e solar desenvolvidos por elétricas no Brasil. Se revelaram os valores envolvidos em a operação entre o fundo de a Equinor e a MPC não em os documentos disponíveis em o Cade.

Na quinta-feira 26 de março – A estatal paranaense de energia Copel registrou lucro líquido de 596,5 milhões de reais no quarto trimestre, um salto de 97,5% na comparação anual, com crescimento no mercado fio e nos volumes de energia vendida a clientes livres. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização da elétrica controlada pelo governo do Paraná adicionou 1 bilhão de reais no fase, com alta de 56,3% ano a ano. A receita operacional líquida entre outubro e dezembro foi de 4,4 bilhões de reais, ou 20,2% superior à vista nos mesmos meses de 2018. A Copel declarou que registrou crescimento de 32,3% na receita com disponibilidade da rede elétrica, devido à expansão de 4,5% em seu mercado-fio, aassinalandoainda elevação de 8,8% no volume de energia vendida no mercado livre a clientes industriais. A empresa também realçou conseqüência do reajuste tarifário de sua unidade de distribuição e da entrada em operação de empreendimentos de transmissão. Faz 2 anos, Participações da Copel em investimentos realizados em conjunto com outras companhias contribuíram com 66,5 milhões de reais como resultado de equivalência patrimonial, contra 78 milhões de reais negativos. Faz 1 ano, os investimentos de a Copel adicionaram 1,93 bilhão de reais, com 555,1 milhões de reais em o último trimestre. A soma ficou pouco abaixo do calculado para o ano, de 2,12 bilhões. Para 2020, a Copel calculava aportes de 2,08 bilhões de reais, sendo 1,07 bilhão para sua unidade de distribuição e 865,2 milhões para a subsidiária de geração e transmissão. A elétrica concluiu o ano com dívida líquida consolidada de 8,25 bilhões de reais, contra 9,18 bilhões ao final de 2018. Faz 2 anos, isso encarnou relação de 2 vezes entre dívida líquida e Ebitda, contra 3,1 vezes. A dívida bruta adicionava 11,57 bilhões de reais ao final de 2019.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Copel tem aval para compra de fatia em companhia de geração distribuída de energia
>>>>>Fundo da norueguesa Equinor investe em empresa de baterias no Brasil – April 08, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 operação 40 0 NONE 5 operação: 1, a operação: 3, A operação: 1
2 MPC 0 0 ORGANIZATION 4 a MPC: 4
3 reais 240 70 NONE 3 reais negativos: 1, reais: 2
4 dívida 0 50 NONE 3 A dívida bruta: 1, dívida líquida: 2
5 Copel 80 0 ORGANIZATION 3 A Copel: 1, a Copel: 2
6 companhia 60 0 NONE 3 uma empresa: 2, A companhia: 1
7 restrições 0 120 NONE 2 restrições: 2
8 receita 190 0 NONE 2 A receita operacional líquida: 1, a receita: 1
9 clientes 80 0 NONE 2 clientes livres: 1, clientes industriais: 1
10 elétrica 80 0 NONE 2 A elétrica: 1, a elétrica: 1