Por: SentiLecto

– Faz 1 mês, o Índice Nacional de Preços a o Consumidor Amplo progrediu %0,07 depois de subir %0,25 em o mês anterior, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística nesta sexta-feira. Faz 1 mês, até março, o IPCA teve alta de %3,30, de %4,01 antes, em o acumulado de 12 meses. Faz 1 mês, Pesquisa da Reuters assinalou que a expectativa de analistas era de alta de %0,15 acumulando em 12 meses progressão de %3,38.

– Faz 1 mês, o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna agilizou a alta a %1,64, após variação positiva de 0,01% em fevereiro, recebendo impulso da alta dos custos tanto no agredido quanto no varejo, segundo os dados divulgados nesta segunda-feira pela Fundação Getulio Vargas . O resultado ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters, de alta de 1,28% na mediana das projeções. O Índice de Preços ao Produtor Amplo — que responde por 60% do indicador todo — passou a subir 2,33% em março, após recuo de 0,03% em fevereiro. Cooperando para essa leitura, o grupo Matérias-Primas Brutas saltou 5,63% no fase, agilizando a alta ante ganho de 0,29% em fevereiro. Os itens minério de ferro, soja e café tiveram o maior peso sobre esse movimento. Faz 1 mês, que responde por %30 de o IGP-DI, subiu %0,34 em março, ante variação negativa de %0,01 em o mês anterior, já o Índice de Preços a o Consumidor. A principal cooperação para esse resultado veio dos grupos Alimentação e Habitação, que subiram 1,35% e 0,28% em março, respectivamente, ante alta de 0,35% e queda de 0,38% no mês anterior. As carnes bovinas e a tarifa de eletricidade residencial foram itens de destaque para o resultado do IPC. Faz 2 meses, o Índice Nacional de Custo da Construção, por sua vez, retardou a alta a %0,26, de %0,33 em fevereiro. Utiliza-se O Igp-di como referência para correções de custos e valores contratuais. Também é diretamente empregado no cálculo do Produto Interno Bruto e das contas nacionais geralmente.- O Índice Geral de Preços-Mercado agilizou a alta a 1,05% na primeira prévia de abril, de 0,15% no mesmo fase do mês anterior, informou a Fundação Getulio Vargas nesta quarta-feira. Usa-se O Igp-m como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis. – Os custos do atacado ganharam força e o Índice Geral de Preços-Mercado agilizou a alta a 1,05% na primeira prévia de abril, ante 0,15% no mesmo fase do mês anterior, de acordo com dados informados nesta quarta-feira pela Fundação Getulio Vargas . O Índice de Preços ao Produtor Amplo subiu 1,43% no fase, contra progressão de 0,20%. Uma forte recomeçada da alta nas Matérias-Primas Brutas — que passaram de variação negativa de 0,01% para progressão de 2,66% — foi o destaque no resultado do IPA no primeiro decêndio de abril. Faz 1 mês, que tem peso de %30 em o índice geral, passou a subir %0,33 em a primeira prévia de abril contra variação negativa de %0,06 em a primeira prévia de março,, já o Índice de Preços a o Consumidor. Dentro do índice, o grupo de destaque foi a Alimentação, que aumentou a alta a 1,24%, contra 0,22% anteriormente, impulsionada pelos custos das hortaliças e legumes. Faz 1 mês, o Índice Nacional de Custo da Construção registrou progressão de %0,16, contra alta de %0,34 em a leitura. Se usa O Igp-m como referência para a correção de valores de contratos, como os de aluguel de imóveis.

Na quarta-feira 25 de março – Os custos das passagens aéreas recuaram com força e a prévia da inflação oficial brasileira retardou em março, chegando ao menor platô para o mês desde 1994 em meio ao registro da chegada do coronavírus ao Brasil. Faz 2 meses, o Índice Nacional de Preços a o Consumidor Amplo-15 teve variação positiva de %0,02, depois de registrar alta de %0,22 em fevereiro com dados informados por o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, de acordo. Essa era a leitura mais baixa para um mês de março desde o começo placentina, em 1994. Faz 2 meses, até março a alta acumulada de o IPCA-15 chegou a %3,67, contra %4,21 até fevereiro, em os 12 meses. O centro meta de inflação para este ano era de 4%, com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos, medida pelo IPCA. Os resultados ficaram abaixo das expectativas em pesquisa da Reuters, de altas de 0,06% no mês e de 3,71% em 12 meses, na mediana das projeções. Se coletaram os dados para o cálculo de o IPCA-15 entre 12 de fevereiro e 16 de março, fase em que a pandemia de o coronavírus já provocava fortes limitações em o exterior, incluindo de viagens, e o Brasil começava a registrar os primeiros casos. Faz 1 mês, segundo o IBGE, quatro de os nove grupos pesquisados tiveram deflação, com destaque para Transportes. A queda de 0,80% do grupo deu a maior contribuição negativa para o IPCA-15 do mês . Faz 2 meses, a inflação em esse grupo havia sido de %0,20 Faz 1 mês, Somente os custos de as as passagens aéreas recuaram %16,88, terceiro mês consecutivo de deflação. Faz 2 meses, os combustíveis também recuaram %1,19. Já o grupo Habitação registrou queda de 0,28%, com os custos de Vestuário caindo 0,22% e os de Artigos de Residência recuando 0,05%. Enquanto os preços de Alimentação e bebidas ampliaram 0,35%, na outra ponta, Saúde e cuidados pessoais subiu 0,84% pressionado por itens de higiene pessoal. Diante das incertezas relacionadas ao coronavírus, o Banco Central diminuiu na taxa básica de juros a 3,75%, nova mínima histórica, e vinha adotando várias medidas para injetar liquidez nos mercados num valor potencial de 1,2 trilhão de reais no sistema financeiro nacional.. O IBGE explicou que coleta presencial foram totalmente obtidos os custos de itens que compunham o IPCA-15 de março, mas que devido ao coronavírus adaptações metodológicas estavam sendo consideradas para que a próxima divulgação do índice seja baseada em coletas online e por telefone. Veja detalhes na variação mensal : Grupo Fevereiro Março Índice Geral +0,22 +0,02 Alimentação e Bebidas -0,10 +0,35 Habitação +0,07 -0,28 Artigos de Residência +0,17 -0,05 Vestuário -0,83 -0,22 Transportes +0,20 -0,80 Saúde e Cuidados Pessoais -0,29 +0,84 Despesas Pessoais +0,31 +0,03 Educação +3,61 +0,61 Comunicação +0,02 +0,33

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>IPCA retarda alta a 0,07% em março, declara IBGE
>>>>>IGP-DI tem alta de 1,64% em março com impulso do atacado e varejo, diz FGV – April 06, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>IGP-M acelera alta a 1,05% na 1ª prévia de abril, diz FGV – April 08, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>IGP-M acelera alta a 1,05% na 1ª prévia de abril com impulso do atacado, diz FGV – April 08, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 alta 0 0 NONE 13 alta de %0,34: 1, alta de %0,35: 1, alta: 1, a alta acumulada de o IPCA-15: 1, alta de %3,30: 1, alta de %1,28: 1, a alta: 7
2 variação 160 140 NONE 4 variação negativa de %0,01: 2, variação positiva de %0,02: 1, variação positiva de %0,01: 1
3 Igp-m 0 0 ORGANIZATION 4 O Igp-m: 2, (tacit) ele/ela (referent: O Igp-m): 2
4 dados 0 0 NONE 4 dados informados: 2, os dados divulgados: 1, Os dados: 1
5 esta 0 0 NONE 4 esta: 4
6 Índice Nacional de Preços 105 0 ORGANIZATION 3 O Índice_Nacional_de_Preços: 2, (tacit) ele/ela (referent: O Índice_Nacional_de_Preços): 1
7 grupo 60 0 NONE 3 o grupo de_destaque: 1, esse grupo: 1, o grupo: 1
8 IBGE 0 0 ORGANIZATION 3 O IBGE: 1, (tacit) ele/ela (referent: o IBGE): 1, o IBGE: 1
9 avanço 0 0 NONE 3 avanço de %0,20: 1, avanço de %0,16: 1, avanço de %2,66: 1
10 eu 0 0 NONE 3 (tacit) eu: 3

Por SentiLecto by NaturalTech

https://natural.do/tecnonews Based on SentiLecto’s cutting-edge technology by NaturalTech, TecnoNews offers immediate insights on thousands of news for Spanish and Portuguese press. TecnoNews’s features are specifically designed to understand the evolution of events and their underlying relationships. Moreover, with TecnoNews it is easy to publish brand new content by merging and enriching different coverages from various media outlets. These Natural Language Generation capabilities, which are an emerging technological trend in the field of Robo-Journalism, are ideal for SEO and SEM campaigns. SentiLecto by NaturalTech