Por: SentiLecto

– Roberto Campos Neto declarou nesta quinta-feira que a autarquia ainda não tem uma boa explicação sobre as causas da ampliação da volatilidade da cotação no país Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central., e continua investigando a questão. Em acontecimento do banco Itaú, Campos Neto detalhou que, entre as causas examinadas, está o maior volume de trading de contratos de menor volume, de investidores menores. Ele cogitou, contudo, que há alguma evidência de que a pulverização do trading gera volatilidade menor, e não maior. Outras explicações, que Campos Neto declarou também achar ruins, são o overhedge dos bancos e robôs de trading com volumes mais significativos que estariam aproveitando o cenário de juros baixos no Brasil. «Investigamos isso também, e não é verdade», alegou sobre essa segunda suposição. Segundo Campos Neto, uma última explicação dada para a ampliação da volatilidade é que a política monetária estaria chegando perto do «lower bound». «Pode ser que estejamos desenvolvendo coisa nesse sentido? Pode ser, mas não temos evidência», alegou. O presidente do BC declarou ter a sensação de que a volatilidade tende a reduzi e que o BC segue acompanhando a questão.

– Roberto Campos Neto mencionou nesta terça-feira que as saídas de capital vão se acomodar e que as contas externas melhorarão no Brasil, conforme apresentação divulgada em reunião com investidores coordenada pelo Citibank. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central. No documento, ele reiterou a mensagem de que a conjuntura econômica prescreve estímulo monetário extraordinariamente aumentado, mas que o Comitê de Política Monetária reconhece que o espaço remanescente para corte na Selic é «incerto e deve ser pequeno». Ainda que qualquer possível ajuste ao estímulo monetário vai ser residual, campos Neto repetiu. – Roberto Campos Neto declarou nesta quinta-feira que a autoridade monetária não acredita que a recuperação econômica brasileira vai ser em um formato de «V inteiro» Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central., mas frisou que a avaliação de que a projeção oficial de retração de 6,4% para o PIB este ano tem um viés de melhora ficou mais clara nas últimas duas semanas. Faz 8 meses, em acontecimento virtual de o banco Itaú, Campos Neto realçou que há um consumo represado que deve ocorrer em as próximas semanas por a recomposição de renda em a família, com os pagamentos de a ajudinha emergencial que vão ir, até o finalO presidente do BC também frisou que muitos programas de crédito arremessados pelo governo começam a entrar em forcita ao mesmo tempo. – Faz 2 meses, a atividade econômica de Brasil voltou a aumentar, depois de dois meses de contração lembre como consequência das medidas de contenção contra o coronavírus, mencionando que abril foi o pior mês para a economia do país. O Índice de Atividade Econômica do Banco Central , considerado sinalizador do Produto Interno Bruto , registrou alta de 1,31% em maio sobre abril, em dados dessazonalizados informados pelo BC nesta terça-feira. Faz 3 meses, o índice recuou %9,45, em dado revisado por o BC ante queda de %9,73 informada antes, em um resultado lembre negativo em a série histórica de o IBC-Br começada em 2003, em abril. Faz 4 meses, a queda de o IBC-br foi de %6,14, em março. Na comparação com maio de 2019, o IBC-Br exibiu queda de 14,24% e, no acumulado em 12 meses, teve perdas de 2,08%, segundo números observados. O economista do Goldman Sachs Alberto Ramos alegou: «A ampliação da atividade real em maio deveu-se ao relaxamento gradual dos protocolos de distanciamento social e medidas para limitar a atividade e movimento». «Propõem que a atividade atingiu o fundo do poço, embora a pandemia ainda precise ser controlada, dados recentes e algumas de nossas métricas e chegou a um ponto de inflexão em algum momento em meados de abril», completou. A epidemia de coronavírus fechou companhias, lojas e produção e ainda conservou pessoas em isolamento social, levando a perspectivas de contração histórica para a economia de Brasil neste ano. Faz 2 meses, embora ainda em níveis insuficientes para recuperar as perdas anteriores, conforme as medidas de isolamento social começaram a ser gradualmente, já registrou algum regresso de a produção econômica flexibilizadas, o mês de maio. No mês, a produção industrial brasileira ampliou 7%, mas Faz 3 meses, ficou. Faz 2020 anos, as vendas em o varejo registraram ampliação lembre, mas também recuperaram somente parte das perdas dos dois meses anteriores. Por sua vez o setor de serviços continuou registrando perdas. O Ministério da Economia tem que divulgar nesta semana novas estimativas para a economia, mas por enquanto a projeção oficial segue de retração de 4,7% para o PIB este ano, enquanto o BC calcula queda de 6,4%. Já o Fundo Monetário Internacional passou a ver uma contração de 9,1% para a economia brasileira neste ano. A pesquisa Focus mais recente do Banco Central mostra que o mercado estima contração de 6,10% para a economia em 2020, com crescimento de 3,5% em 2021.

Na quinta-feira 09 de julho – Em meio a avaliações recentes de que a economia começou sua recomeçada a um ritmo forte, o Banco Central precisa compreender o efeito do crescimento na inflação para avaliar se ainda há espaço para corte residual nos juros básicos, alegou à Reuters o presidente da autoridade monetária, Roberto Campos Neto, complementando que dados na margem mostram inflação acima das expectativas. Campos Neto alegou, em entrevista à Reuters de quarta-feira, que a avaliação do BC é eraque a projeção para o crescimento da economia t tendea melhorar, sob o iefeitodas medidas de enfrentamento à pandemia, e a perspectiva era que a inflação possa ir na mesma direção. Se ainda haveria espaço para nova diminuição na Selic, ele, após ser questionado alegou: «O que eu tenho declarado era que a gente devia compreender o efeito do crescimento na inflação». Campos Neto avaliou: «Essas duas coisas tendiam a ir na mesma direção, ainda que compreendendo que nós temos um hiato tão grande que era capaz de o crescimento voltar mais rápido sem gerar muita inflação». Em junho, quando levou a taxa básica de juros a 2,25% ao ano, o BC mencionou que o espaço ainda restante para mais estímulo monetário era incerto e devia ser pequeno, mesmo com as expectativas de inflação comodamente abaixo da meta de 4% para este ano e de 3,75% no ano que vem –o que foi visto como um contrassenso por parte do mercado. «A gente já tem alguns dados de inflação na margem que vão, ainda que muito residual, mostrando pela primeira vez que está um pouco acima das expectativas», destacou Campos Neto. Ainda assim, ele frisou ter «mais convicção de que o crescimento está assimétrico do que a inflação». «A minha confiança era maior no crescimento.» Em sua visão, a diferença entre o grande volume já pago em ajudinha emergencial e o que foi efetivamente gasto mencionava que há um consumo represado que continuará esquentando a economia. Campos Neto declarou: «Isso continuará fortalecendo os números de varejo durante um tempo porque foi um volume de dinheiro que foi pagava que foi bastante grande para uma classe que terá uma tendência de gastar, de pagar dívidas, finalmente, uma classe que não tinha poupança». Segundo o presidente do BC, a influência da ajudinha emergencial sobre a economia devia durar pelo menos até o final do ano, uma vez que os saques não têm sido feitos todos de uma vez e, com a resolução do governo de estender o pagamento de 600 reais a informais e vulneráveis por mais dois meses, há um fluxo pela frente que ainda estava por vir. Em outra ponta, Campos Neto avaliou que a assistência a pequenas e médias companhias, que irá engatar de vez no segundo semestre, também poderia encarnar um impulso para a atividade, levando a um crescimento com prosseguimento de melhora, «ainda que não seja totalmente em V, mas pelo menos com uma tendência melhor». Ele realçou que ainda o governo devia mandar ao Congresso uma Medida Provisória que amparará ações anunciadas pelo BC no seu último pacote para destravar o crédito. Com isso, passariam a valer medidas importantes, como a que incentivava os bancos a emprestarem para pequenos negócios em troca da otimização do seu utilização de capital. A MP também abriria a porta para que o mutuário utilize parte do que já foi pago no seu financiamento imobiliário, podendo tomar esse dinheiro emprestado da instituição financeira ao mesmo preço acertado no contrato original. Campos Neto declarou que além do Pronampe, que já estava operacional, o Congresso tinha que aprovar em breve as garantias do Tesouro para financiamentos a pequenas e médias companhias por meio do Fundo Garantidor para Investimentos , gerenciar pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social . Os parlamentares também tinham que apreciar as mudanças no programa de financiamento à folha de pagamento, que p passariaa cadmirarmais ecompanhias lrecordouo presidente do BC. Ele citou essas iniciativas como programas que estavam atrasando um pouco, mas que estavam agora saindo todos mais ou menos ao mesmo tempo. Declarou: «Basicamente o que a gente conseguia declarar era que teve uma queda bastante súbita, o início da recuperação tem sido em V. Se ele continuará em V, ou fazer aquele emblema da Nike, que chamava swoosh, aí dependerá de outros parâmetros». Faz 1 mês, o BC projetou uma retração de %6,4 para o PIB este ano, em junho, mas alegou que o viés era de alta. Perguntado sobre exatamente a que o BC estava atencioso em relação à pandemia de coronavírus, Campos Neto aalegouque um aprendizado ainda e estavaacontecendo em relação à crise, envolvendo aspectos como o fator medo no aocondutaas pessoas e o imefeitoo distanciamento social nas variáveis macroeconômicas. «Os dados têm mostrado que estava tendo uma adaptação construtiva. Algumas coisas estavam funcionando bem, tem alguns setores que estavam mais prejudicados, alguns vão ter que se reinventar. tem um movimento transformacional ocorrendo na sociedade e na economia», declarou. QUEBRANDO O TERMÔMETRO Campos Neto declarou que o Banco Central via com preocupação o fato de a volatilidade do real estar sempre acima das demais moedas, mas que ainda estudava as causas por trás desse fenômeno. «A volatilidade estar sempre maior que as outras moedas a gente via como preocupação, mas também a gente não desejava curar a febre quebrando o termômetro. Então era preciso compreender qual era a causa da volatilidade para agredi a causa e não a consequência», declarou. Segundo ele, o BC já detectou alguns fatores que auxiliavam a explicar esses movimentos. De um lado, ele reconheceu que o real estava sendo utilizado como hedge em operações. Ele cogitou que, sempre que a moeda tem juros mais baixos, tem uma tendência natural de ser um hedge mais barato. De outro, Campos Neto chamou atenção para o número de operações de curto prazo, de contratos pequenos, ter ampliado. Ainda assim, ele cogitou que o BC não tem uma explicação fechada da razão pela qual a volatilidade estava maior e que seguia com seu inquérito em curso. Questionado sobre o quão confortável estava o BC com a volatilidade da cotação hoje, ele recordou que as intervenções da autoridade monetária na cotação eram feitas quando há percepção de disfuncionalidade, seja por gaps de liquidez, seja por um fluxo bastante grande que esteja provocando conduta de manada. «Então quando tem uma volatilidade alta a primeira pergunta não é tentar enfrentar a volatilidade é tentar entender por que a volatilidade está um pouco mais alta», emendou. Faz 11 meses, AUTONOMIA Campos Neto declarou ainda que, após conversas com o presidente de o Senado, Davi Alcolumbre, tem expectativa de que a autonomia de o BC seja. Ao comentar a defesa feita pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia , de que o cartão de crédito passe por uma reformulação, Campos Neto declarou que a modalidade de fato tem anomalias no país, mas adicionou que o BC não estudava mudanças no instrumento. Ele realçou como principal anomalia a utilização do cartão para pagamentos parcelados sem a cobrança de juros, o que não teria paralelo em outros lugares no mundo. Mas cogitou que mudanças nessa sistemática demandavam estudos. Alegou: «Hoje a gente tem toda uma indústria de varejo que trabalhava com o parcelado sem juros».

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>BC segue acompanhando volatilidade da cotação, ainda não tem explicação sobre causas, declara Campos Neto
>>>>>Saídas de capital vão se acomodar e melhorar contas externas, diz Campos Neto – July 14, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Impacto do crescimento na inflação definirá se há espaço para mais corte nos juros, diz Campos Neto – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Recuperação econômica não deve ser um V completo, diz Campos Neto – July 16, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Atividade econômica no Brasil mostra retomada em maio com avanço de 1,31%, aponta BC – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Guedes diz que recuperação econômica ‘está vindo em um ritmo interessante’ – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Roberto Campos 320 0 PERSON 34 Ele (referent: Campos_Neto): 2, (tacit) ele/ela (referent: Campos_Neto): 10, (tacit) ele/ela (referent: Roberto_Campos_Neto): 3, ele (referent: Campos_Neto): 2, Campos_Neto: 13, Roberto_Campos_Neto (apposition: o presidente de a autoridade monetária): 1, Roberto_Campos_Neto (apposition: O presidente de o Banco_Central): 3
2 BC 125 70 ORGANIZATION 15 o BC: 12, Ele (referent: o BC): 1, (tacit) ele/ela (referent: o BC): 1, ele (referent: o BC): 1
3 eu 0 130 NONE 11 (tacit) eu: 10, eu: 1
4 economia 0 0 NONE 7 a economia: 6, a economia brasileira: 1
5 era 0 190 NONE 6 era incerto: 1, era: 5
6 volatilidade 0 220 NONE 5 volatilidade menor: 1, a volatilidade: 3, A volatilidade: 1
7 gente 0 10 NONE 5 gente: 1, a gente: 4
8 consumo 0 0 NONE 4 um consumo represado: 4
9 empresas 0 0 NONE 4 pequenas e médias empresas: 3, mais empresas: 1
10 espaço 0 0 NONE 4 o espaço remanescente: 1, o espaço ainda restante: 1, espaço: 2