Por: SentiLecto

– Roberto Campos Neto avaliou nesta quarta-feira que a liquidez que se a injetou já em a economia por meio das medidas de o governo para lutar conseqüência econômicos de o coronavírus é suficiente Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central., mas que a autoridade monetária tem mais iniciativas na manga caso seja necessário. , durante acontecimento virtual promovido pelo banco Credit Suisse alegou: «Estamos sempre olhando para ver o que precisa fazer». Sobre o programa de financiamento da folha de pagamento de pequenas e médias companhias, Campos Neto declarou que a alternativa por compartilhar riscos com o setor financeiro –responsável por uma parcela do financiamento– se deu porque o governo não sabe recuperar crédito e essa foi uma maneira de instituir um incentivo para que os bancos tivessem interesse na tarefa. Segundo o presidente do BC, inicialmente o governo pensou em um programa maior, mas compreendeu que adaptavam-se os 40 bilhões de reais efetivamente destinados a o plano . Destes, 34 bilhões de reais serão aportados pelo Tesouro e 6 bilhões de reais, pelos bancos.

– O Conselho Monetário Nacional divulgou nesta segunda-feira que vedou provisoriamente a ampliação do pagamento de dividendos e remuneração pelos bancos como parte do pacote de medidas que o Banco Central está adotando para enfrentar a crise do coronavírus. Segundo o BC, o objetivo é evitar «o consumo de recursos importantes para a manutenção do crédito e para a eventual absorção de perdas futuras». As vedações serão aplicadas aos pagamentos referentes às datas-bases compreendidas entre esta segunda-feira e 30 de setembro de 2020 e aos pagamentos a serem realizados durante a vigência da norma. Pela determinação, as instituições financeiras não vão poder pagar juros sobre o capital próprio e dividendos acima do mínimo compulsório estabelecido no regulamento social ou em lei. Também não poderão diminuir o capital social ou aumentar a remuneração, fixa ou variável, de diretores e membros do conselho de administração, no caso das sociedades anônimas, e dos gerentes, no caso de sociedades restringidas. Ficam bloqueados, portanto, a ampliação de bonificações, participação nos lucros e quaisquer parcelas de remuneração diferidas e outros incentivos remuneratórios associados aa performance. As instituições não vão poder antecipar o pagamento de nenhum desses itens. Em outra frente, a recompra de ações próprias só poderá acontecer quando autorizada pelo BC, «desde que por meio de bolsas ou de mercado de balcão coordenado, para continuidade em tesouraria e venda posterior, até o limite de 5% das ações emitidas, ali incluídas as ações contabilizadas em tesouraria». Ainda que os eventuais pagamentos referentes ao ano de 2019 não estão sujeitos à lrestrição o texto assinado pelo presidente do BC, Roberto Campos Neto, eelucidaCom a investida, o BC busca estabelecer uma espécie de contrapartida às ações que vêm implementando para injetar liquidez e dar folga de capital aos bancos em meio à pandemia do Covid-19. Nesta segunda-feira, por exemplo, o BC regulamentou os empréstimos a instituições financeiras mediante emissão de letras financeiras garantidas ao preço de 0,60% ao ano. Sozinha, a investida poderá liberar 670 bilhões de reais na economia. A autoridade monetária já estava exigindo que os bancos relatassem se pretendiam pagar aos acionistas dividendos acima dos níveis mínimos exigidos por normas ou regulamentos, o que aumentou especulações acerca da imposição de um limite para a prática. Em março, o Banco Central Europeu pediu aos credores da zona do euro que evitassem os pagamentos de dividendos e recompras de ações até outubro no mínimo, utilizando seus lucros para apoiar a economia. O banco Santander da Espanha cancelou seus dividendos na semana passada.- Roberto Campos Neto avaliou nesta terça-feira que o Brasil arremessou um pacote vultoso de medidas para lutar os conseqüência da disseminação do novo coronavírus e que os recursos chegarão rápido a companhias e famílias. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central. Em coletiva de jornalismo no Palácio do Planalto, Campos Neto também fez um pedido para que todos satisfaçam contratos em meio à crise, revidenciandoque qé, uando isso não acoocorrerecuperação econômica»muibastanteis lenta e dolorosa». «Sei que existe ansiedade bastante grande de todos para que recurso chegue rápido na ponta, mas se a gente comparar o Brasil com o resto do mundo, nós fomos rápidos, eficientes e grandes, gostaria de declarar que «, alegou ele. Nesse sentido, ele realçou que os recursos do Tesouro deverão ser transferidos hoje para o BNDES para operacionalização nesta semana do programa de financiamento à folha de pagamento de pequenas e médias ecompanhias O presidente Jair Bolsonaro vai assinar na noite desta sexta-feira a medida provisória que libera recursos da União para financiar salários de funcionários de pequenas e médias companhias durante a crise do coronavírus. A linha de crédito vai ser de R$ 40 bilhões, dos quais R$ 34 bilhões serão de recursos públicos.

Na sexta-feira 27 de março – O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, anunciou um programa de 40 bilhões de reais para financiamento subvencionado a folha de pagamento das companhias com recursos do Tesouro e dos bancos e declarou que o governo prepara medida para permitir que a autoridade monetária faça a compra direta de crédito, a exemplo do que feito por outros bancos centrais do mundo. Campos Neto sobre a compra direta de crédito, adicionando que a iniciativa demandava a aprovação de uma emenda constitucional alegou: «Hoje em dia BC brasileiro não tem essa habilidade, máximo que podia fazer era injetar liquidez no sistema». O programa de financiamento de folhas de pagamento teria prazo de dois meses e seria voltado a pequenas e médias companhias, declarou Campos Neto. A taxa seria de 3,75% ao ano, com zero de spread, alegou. O programa seria financiado pelo Tesouro, que entraria com 17 bilhões de reais por mês, e pelos bancos, que contribuiriam com 3 bilhões de reais. O BNDES seria culpado pela operacionalização.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>BC tem mais medidas para injetar liquidez na economia se necessário, declara Campos Neto
>>>>>BC veda aumento de dividendos e remuneração pelos bancos em meio à crise do coronavírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Brasil está sendo rápido em levar recursos de combate à crise para a ponta, diz Campos Neto – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro assina hoje MP para financiar R$ 40 bi em salários para pequenas e médias empresas – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Roberto Campos 50 130 PERSON 10 Roberto_Campos_Neto: 2, (tacit) ele/ela (referent: Campos_Neto): 2, Roberto_Campos_Neto (apposition: O presidente de o Banco_Central): 2, Campos_Neto: 4
2 eu 165 0 NONE 7 (tacit) eu: 7
3 bancos 160 0 NONE 6 os bancos: 6
4 BC 35 0 ORGANIZATION 5 o BC: 4, BC: 1
5 esta 0 0 NONE 5 esta: 5
6 ações 0 0 NONE 4 as ações contabilizadas: 1, as ações: 1, ações: 1, ações próprias: 1
7 autoridade 60 0 NONE 3 A autoridade monetária: 1, a autoridade monetária: 2
8 o programa de financiamento 0 0 NONE 3 O programa de financiamento: 1, o programa de financiamento: 2
9 Tesouro 0 0 ORGANIZATION 3 o Tesouro: 3
10 governo 0 0 NONE 3 o governo: 3