Por: SentiLecto

– Rodrigo Maia alegou nesta quarta-feira que o presidente Jair Bolsonaro teria que ter um cuidado maior em relação ao que posta no Twitter, referindo-se a vídeo, posteriormente apagado do perfil presidencial, de autoria desconhecida em que um homem reclama de desabastecimento em Belo Horizonte. Rodrigo Maia é o presidente da Câmara dos Deputados. Para o presidente da Câmara, os tuítes de Bolsonaro –havia ainda críticas a governadores–, com «informações desencontradas» podem gerar «preocupação» na sociedade. «É claro que o… presidente teria que ter cuidado maior em relação ao que posta. Ele hoje não é somente proprietário de uma conta, um endereço no Twitter. Hoje ele é o presidente da República, e ele fala como presidente», declarou Maia em entrevista ao chegar à Câmara «Então, eu acho que um cuidado maior com os posts aassistência porque vindo do presidente, certamente passa, num primeiro momento, como uma informação verdadeira e que pode gerar preocupação e, quando ele fala pelo Twitterum pânico maior na sociedade.» Na noite de terça-feira, Bolsonaro fez um pronunciamento em que em que diminuiu o tom e sugeriu um convênio contra o coronavírus. Mas na manhã desta quarta, o presidente voltou à carga contra governadores e publicou o vídeo no qual um homem defende a postura de Bolsonaro nas últimas semanas contra o isolamento horizontal como instrumento de cguerrazinhaà disseminação do novo vírus. No final da manhã, após questionamentos sobre a veracidade da gravação, Bolsonaro apagou o vídeo tanto do Twitter quanto do Facebook. «Faz 1 mês, o presidente fez um discurso, ontem… que foi elogiado por muitos, muitas pessoas que defendem o presidente elogiaram o discurso. Significa que tem uma parte importante da sociedade que deseja o entendimento, deseja o diálogo, deseja a união, não deseja os conflitos», avaliou Maia. «Faz 1 mês, então ele foi em essa linha. Hoje, no Twitter, vai contra o que colocou ontem. Acho que essas informações desencontradas é que podem, têm que gerar preocupação em toda a sociedade.»

– Rodrigo Maia declarou nesta sexta-feira que a linha de crédito emergencial para pequenas e médias companhias anunciada pelo governo federal é «tímida» e «não resolve nada». Rodrigo Maia é o presidente da Câmara dos Deputados. Em teleconferência com mais de 1.000 empresários do Grupo de Líderes Empresariais , Maia declarou o governo precisa ter um esforço maior para atender a vários setores. Roberto Campos Neto anunciou nesta sexta-feira a medida para que as companhias consigam quitar suas folhas de pagamento durante dois meses. Roberto Campos Neto é o presidente do Banco Central. Ao todo, a linha de crédito vai ser de R$ 40 bilhões, durante dois meses. Desse total, 85% serão subvencionados pelo Tesouro Nacional. A subvenção era uma procura dos bancos privados para instituírem essa linha de crédito. — Acho que essa do financiamento, que eu não acho ruim, porque, pela informação que eu tenho, a taxa de captação é a mesma do empréstimo. uma escassez, um prazo para pagar, a garantia majoritária do governo, ainda é tímida, R$ 20 bilhões por mês, não resolverá nada — alegou Maia.Ao ser questionado sobre a relação entre os poderes, Maia declarou que o governo está frear e não conseguiu elaborar agilmente medidas para lutar a pandemia do coronavírus. Se o governo federal já tivesse focado em medidas contra o desemprego, ele argumenta que postergado o pagamento de impostos e exibido uma solução para pagamento de aluguéis, não haveria conflito. Maia sublinhou que o país deveria «estar juntado sob a coordenação do presidente»: — Se o governo tivesse garantido uma previsibilidade nos próximos dois meses, não aconteceria esse conflito nas redes sociais entre liberar ou não liberar . A Itália testou, liberou e se arrependeu. Ainda que todos os governos impactados pela pandemia estão despejando dinheiro na economia, maia declarou , uma ação empreendida em cenário de «combate». Mande acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, , criticou nesta quarta-feira em conferência com investidores as relações do governo com o Congresso, ao mesmo tempo que advertiu que ela não infectará o Parlamento no curto prazo. Maia alegou ainda que, na terça-feira, Paulo Guedes cobrou do Legislativo a aprovação de uma Proposta de Emenda na Constituição para permitir o pagamento da ajudinha aprovada pelos parlamentares a informais durante a pandemia do coronavírus sem que sequer tivesse encaminhado tal proposta ao Congresso. Paulo Guedes é o ministro da Economia.Maia durante videoconferência promovida pelo Bradesco BBI declarou: «Na coletiva de ontem, o Paulo Guedes me cobrou uma PEC que ele não sabe nem qual é, porque ele não encaminhou para mim». O presidente da Câmara fez ainda a avaliação de que não é necessária uma mudança constitucional para permitir o pagamento da ajudinha aos informais. Para ele, com a suspensão das dificuldades impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal, concedido em liminar pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, o governo tem condições de editar uma medida provisória que abra crédito para o pagamento desta vantagem emergencial. Segundo Maia, o Congresso aprovaria a abertura deste crédito «em dois minutos». Ele criticou ainda a demora do envio de alguns projetos pelo governo, como o que interrompe o contrato de trabalho, e declarou que algumas resoluções anunciadas pelo Executivo e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social não estão chegando a lugar nenhum. Maia também fez críticas ao modelo de assistência às cempresasaéreas psugeridopelo BNDES que, segundo ele, fvai fazercom que o banco de fomento se torne dproprietáriode todas as ecompanhiasdo setor no país. Alegou: «Acho que essa não é a intenção de um governo liberal».- O Twitter apagou duas publicações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro na rede social no domingo, nas quais ele divulgou vídeos que fez em cidades-satélites no Distrito Federal em que conversava com um vendedor ambulante e outro em que visitou um supermercado, provocando aglomerações e contrariando orientações de autoridades de saúde para conter a disseminação do coronavírus. Em nota, a rede social informou que recentemente aumentou suas normas para abranger conteúdos opostos à saúde pública. Embora os estudos sobre sua efetividade estejam em estágios iniciais, nos vídeos, Bolsonaro defende que as pessoas voltem ao trabalho e volta a mencionar o remédio hidroxicloroquina como um tratamento para o Covid-19, enfermidade provocada pelo coronavírus. «O Twitter anunciou recentemente em todo o mundo a expansão de suas regras para abranger conteúdos que forem eventualmente contra informações de saúde pública orientadas por fontes oficiais e possam colocar as pessoas em maior risco de transmitir Covid-19», afirmou a rede social em nota quando indagada sobre a decisão de apagar as publicações do presidente. Procurado, o Palácio do Planalto não respondeu imediatamente aos pedidos por observações. Bolsonaro tem contrariado as orientações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde e defendido o fim do isolamento social, que tem sido utilizado para conter a propagação do coronavírus. O presidente também tem criticado medidas de limitação à circulação adotadas por governadores e prefeitos e aalegadoque os gestores locais são «exterminadores de empregos», trabalham com oacconcepçãode «terra arrasado» e estão cometendo «um crime» contra a economia do país. Ainda no domingo, após o passeio que fez pelas cidades-satélite, Bolsonaro declarou que estava «com vontade» de editar um decreto nesta segunda-feira que libera a volta das pessoas ao trabalho, medida que contraria o que tem preconizado o Ministério da Saúde e o titular da pasta, Luiz Henrique Mandetta. [nL1N2
BM097] Bolsonaro também tem diminuído a pandemia, referindo-se por mais de uma vez ao Covid-19 como uma «gripezinha». Segundo dados do Ministério da Saúde, a enfermidade já matou 136 pessoas até o domingo e o Brasil tem 4.256 casos confirmados de infecção pelo coronavírus. No mundo, de acordo com a OMS, o Covid-19 já matou mais de 30 mil pessoas e existem mais de 638 mil casos confirmados em 202 países.

Na segunda-feira 23 de março – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia , alegou que deve ser exibida entre esta segunda e a terça-feira uma Proposta de Emenda à Constituição para separar o Orçamento do governo os gastos com o enfrentamento da crise cprovocadapelo novo coronavírus. Em entrevista à CNN, Maia defendeu a medida como uma fmaneirade facilitar e aacelerara alocação de recursos emergenciais. Mais cedo, em discussão virtual com o BTG Pactual, Maia alegou que a medida irá estabelecer um regime extraordinário de contratações para o momento de crise por conta do novo coronavírus, separado do Orçamento principal.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

Cities: Belo Horizonte

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Bolsonaro não é somente proprietário de uma conta no Twitter e ter cuidado assistência, declara Maia
>>>>>Maia diz que ajuda a empresas anunciada pelo governo é ‘tímida’ e ‘não vai resolver nada’ – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Maia diz que MP que suspende contrato de trabalho é ‘capenga’ e precisa ser ‘retificada’ – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Governo quer permitir redução de salário e jornada de trabalho em até 50% por vírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Nova MP criou pânico na sociedade, diz Maia, que propoe PEC de contratações para crise – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo publica MP de apoio a setor aéreo e concessionários – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Governo avalia suspensão temporária de contratos de trabalho para evitar demissões – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Maia diz que não há espaço para aprovação de estado de sítio – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Maia volta a defender “orçamento de guerra” para enfrentar crise por coronavírus – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro recua e diz que irá revogar artigo da MP 927 que permitia suspensão de contrato e salário – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ministério Público: ‘extrema preocupação’ com proposta de suspensão de contratos de trabalho – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Maia critica relação do governo com Congresso e diz que Guedes cobrou PEC que sequer enviou – April 01, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Reformas podem ser retomadas se governo der previsibilidade para crise do coronavírus, diz Maia – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Medidas para coronavírus somam até 5% do PIB, mas governo volta às reformas depois, diz Guedes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Twitter apaga publicações de Bolsonaro por contrariarem recomendações de saúde – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Maia 20 0 PLACE 19 (tacit) ele/ela (referent: Maia): 6, Maia: 13
2 Jair Bolsonaro 0 130 PERSON 10 Bolsonaro: 6, o presidente Jair_Bolsonaro: 2, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 2
3 eu 0 90 NONE 9 eu: 3, (tacit) eu: 4, mim: 1, me: 1
4 governo 35 130 NONE 7 o governo: 5, o governo federal: 2
5 presidente 0 90 NONE 7 o presidente: 4, O presidente: 1, presidente: 2
6 Twitter 0 30 ORGANIZATION 6 O Twitter: 1, o Twitter: 5
7 medida 0 20 NONE 6 medida: 1, a medida: 4, uma medida provisória: 1
8 Congresso 0 0 ORGANIZATION 6 (tacit) ele/ela (referent: o Congresso): 2, o Congresso: 3, Ele (referent: o Congresso): 1
9 Rodrigo Maia 0 0 PERSON 6 Rodrigo_Maia (apposition: O presidente de a Câmara_dos_Deputados): 4, (tacit) ele/ela (referent: Rodrigo_Maia): 2
10 Paulo Guedes 0 0 PERSON 5 Paulo_Guedes (apposition: o ministro de a Economia): 1, o Paulo_Guedes: 1, ele (referent: o Paulo_Guedes): 1, ele (referent: Paulo_Guedes): 1, (tacit) ele/ela (referent: Paulo_Guedes): 1