Por: SentiLecto

A primeira onda da pandemia de Covid-19 pode estar passando na maior parte do mundo. Mas para os desenvolvedores da vacina, isso pode ser um problema.

Cientistas na Europa e nos Estados Unidos declaram que o êxito relativo das medidas rígidas de distanciamento social e de quarentenas em algumas áreas e países significa que as taxas de transmissão do vírus podem estar em níveis tão baixos que não há enfermidades circulando o muito para testar verdadeiramente o potencial das vacinas.

Eles podem precisar olhar para fora de seus continentes, para pontos críticos da pandemia atualmente na África e na América Latina, para conseguir resultados convincentes. Francis Collins, diretor do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos declarou: «Ironicamente, se tivermos êxito usando medidas de saúde pública para acabar com os pontos críticos de infecção viral, vai ser mais difícil testar a vacina».

Uma vacina é vista como imprescindível para concluir a pandemia que já matou mais de 370 mil pessoas e contagiou mais de 6 milhões até agora, e líderes globais encaram a inoculação como a única forma real de recomeçar suas economias paralisadas.

Mas a condução de testes clínicos em grande escala para vacinas potenciais contra uma enfermidade completamente nova em velocidade é complicada, declaram os cientistas. Mostrar a efetividade nesses testes durante uma pandemia flutuante adiciona obstáculos a mais — e fazê-lo enquanto as epidemias estão perdendo força torna tudo ainda mais complicado.

«Para este trabalho, as pessoas precisam ter um risco de infecção na comunidade. Se o vírus foi provisoriamente extinto, então o exercício é inútil», declarou Ayfer Ali, expert em reaproveitamento de remédios na Warwick Business School, no Reino Unido: «A solução é ir para áreas onde a infecção está sendo propagada amplamente na comunidade – países como o Brasil e o México neste momento».

Testes de vacinas funcionam com uma divisão randômica entre pessoas entre um grupo de tratamento e um grupo de controle, com o grupo de tratamento recebendo a vacina teste experimental e o grupo de controle recebendo um placebo. Todos os participantes voltam para a comunidade onde a enfermidade circula, e se comparam as taxas subsequentes de infecção . A esperança é que as infecções entre o grupo de controle sejam maiores, mostrando que a vacina está protegendo o outro grupo.

DE OLHO NO BRASIL

– O Brasil registrou nesta quinta-feira um novo recorde diário de casos confirmados de coronavírus, com 26.417 infecções informadas em 24 horas, o que aumenta o total no país para 438.238, informou o Ministério da Saúde. Em relação ao número de mortes em decorrência da Covid-19, foram relatados 1.156 novos óbitos, com a marca total atingindo 26.754. O número fica levemente abaixo do recorde diário de óbitos, registrado em 21 de maio, de 1.188 óbitos. A máxima diária anterior para os registros de casos era de 22 de maio, quando foram contabilizadas 20.803 infecções. O Brasil é o segundo país com maior número de casos de coronavírus no mundo, atrás somente dos Estados Unidos, que têm 1.706.230 infecções confirmadas, de acordo com uma contagem da Reuters. Os norte-americanos já superaram a marca de 100 mil mortes em decorrência da enfermidade. Uma vez que os EUA têm visto uma diminuição neste número, atualmente o Brasil é o país que registra diariamente o maior número de casos de Covid-19 no mundo. Nesta quinta, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA registrou 19.680 novos casos em 24 horas. Em relação a óbitos, os EUA registraram mais 1.415 nesta quinta-feira. A divulgação diária dos números da Covid-19 no Brasil pelo Ministério da Saúde não menciona que as infecções e óbitos tenham necessariamente acontecido nas últimas 24 horas, mas se introduziram os registros sim que em o sistema em o fase. Pelo segundo dia seguido, o ministério não realizou entrevista coletiva nesta quinta-feira para comentar a crise do coronavírus no país. De acordo com os número da pasta, São Paulo continua sendo o Estado mais afetado pela enfermidade no Brasil, com 95.865 casos –alta de 6.382 na comparação diária– e 6.980 mortes, progressão de 268 em 24 horas. Após o governador João Doria anunciar na véspera uma «retomada consciente» da economia em São Paulo, com um afrouxamento gradual do isolamento, o prefeito da capital paulista, Bruno Covas , alegou nesta quinta-feira que a maior cidade do país continua em quarentena e só vai reabrir o comércio mediante protocolos de saúde. [nL1N2D920T] [nL1N2DA1LT] Na sequência da contagem por Estados realizada pelo Ministério da Saúde estão o Rio de Janeiro, com 44.886 casos e 4.856 mortes, e o Ceará, que tem 37.821 infecções confirmadas e 2.733 óbitos. Enquanto 233.880 estão em acompanhamento, ainda de acordo com a pasta, 177.604 pacientes se recuperaram da Covid-19 no Brasil. A taxa de letalidade da enfermidade no país é de 6,1%. Veja um gráfico de casos pelo mundo: https://graphics.reuters.com/CHINA-HEALTH-MAP/0100B59S43G/index.html

Na quarta-feira 20 de maio – A indústria de pescados do Brasil pediu ao governo diferimento de obrigações fiscais, acesso a créditos subsidiados, e desejava ainda que ele seja garantidor de linhas de financiamento emergenciais, alegando que precisa de «oxigênio» em um momento em que a crise do coronavírus afeta a procura e deixa em obstáculos um setor que emprega 1 milhão de pessoas no país. Paulo Guedes declarou em reunião com representantes da indústria que se anunciariam medidas de assistência de o governo ainda em esta semana, segundo Eduardo Lobo que participou de o encontro. Paulo Guedes é o ministro da Economia. Eduardo Lobo é presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Pescados . Após o encerramento de restaurantes e o isolamento de pessoas em suas casa para conter a disseminação do coronavírus, as vendas de peixes recuaram 50% no Brasil, e os pescadores do Nordeste ficaram sem ter onde comercializar seus produtos, declararam a Abipesca e os próprios armadores. Lobo alegou: «Enquanto os países competidores estavam protegidos por seus governos, a resposta brasileira deixava a querer». Com uma produção relativamente baixa de peixes, apesar de seu litoral de aproximadamente 7,5 mil quilômetros, o Brasil era considerado um «gigante adormecido» no setor. O país produzia somente 1,3 milhão de toneladas de peixes por ano, sendo 700 mil toneladas provenientes da pesca de captura e 600 mil toneladas da aquicultura, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura . Faz 1 ano, enquanto as importações foram de 1,1 bilhão de dólares, as exportações de peixes de o país totalizaram 300 milhões de dólares, também de acordo com a FAO. Gabriel de Araújo declarou na Reuters que as embarcações deixaram de pescar em águas profundas, desde que a pandemia surgiu por não haver mercado para determinadas espécies de atum. Gabriel de Araújo é presidente do Sindicato da Indústria de Pesca do Estado do Rio Grande do Norte .O cancelamento de voos para os Estados Unidos limitou as exportações de maneira severa, segundo ele. Os barquinhos de Noruega pescavam cerca de 26 mil toneladas de atum «bigeye» e «yellowfin» por ano, com grande parte da produção sendo destinada para São Paulo e para os restaurantes de culinária japonesa dos EUA, declarou Araújo. Thiago De Luca alegou que sem a assistência do governo, haveria mais problemas e inevitáveis cortes de empregos. Thiago De Luca é diretor da companhia Frescatto, de propriedade familiar. Ele declarou: «Essa crise era diferente das outras».

Com as epidemias de Covid-19 no Reino Unido, na Europa continental e nos Estados Unidos caindo do pico e as taxas de transmissão do coronavírus em queda nesses lugares, uma importante tarefa para os cientistas é caçar surtos flutuantes da enfermidade e buscar voluntários em seções de populações ou em países onde a enfermidade ainda está abundante.

Faz 1 mês, o próprio Trump declarou em meados que estava tomando hidroxicloroquina como medida de prevenção contra o coronavírus.

Entre as primeiras vacinas da Covid-19 a progredir para o período intermediário de teses, ou período 2, está uma da companhia de biotecnologia norte-americana Moderna. Outra está sendo desenvolvida por cientistas na Universidade de Oxford, com suporte da AstraZeneca.

Em julho, os EUA planejam começar testes em grane escala com 20 a 30 mil voluntários por vacina. Evidenciando o nível de preocupação na indústria, o diretor-executivo da AstraZeneca, Pascal Soriot, e seus pesquisadores estavam até admirando a condução dos chamados testes «desafio» – onde participantes receberiam a vacina experimental e então seriam deliberadamente contagiados com a Covid-19 para testar o funcionamento. Tais testes são raros, altamente arriscados e difíceis de serem aprovados eticamente.

Como alternativas mais rápidas e práticas, a Soriot e outras empresas estão olhando para o Brasil e para outros países na América do Sul, assim como algumas partes da África, onde os surtos de Covid-19 ainda estão aumentando rumo ao pico, como territórios propícios para os testes de remédios e vacinas.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: United States, United Kingdom, Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Cientistas buscam locais críticos da pandemia do coronavírus, especialmente o Brasil, para testar vacinas
>>>>>Brasil registra recorde de 26.417 casos de coronavírus no dia e tem mais 1.156 mortes – May 29, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Brasil realiza menos de 10% de testes de Covid-19 entregues ao Ministério da Saúde – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>PESQUISA-PIB do Brasil deve ter encolhido 1,5% no 1º tri com impacto de coronavírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Ministério da Saúde diz que por ora não haverá mudança sobre uso de cloroquina – May 25, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Secretários de Saúde questionam protocolo sobre cloroquina e pedem união contra Covid-19 – May 21, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Ministério da Saúde admite problemas em pesquisa de anticorpos do coronavírus – May 18, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Brasil não tem perspectiva no momento de estabilização ou diminuição de Covid-19, diz ministério – May 14, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Brasil tem novo recorde diário e supera 200 mil casos de coronavírus; 13.993 mortos – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Pressionado por Bolsonaro, Teich pede demissão do Ministério da Saúde após menos de 1 mês – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Brasil vai ampliar teste com antiparasitário para incluir uso em fase inicial de Covid-19 – May 19, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro afirma que protocolo da cloroquina será mudado apesar de posição de Teich – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Parlamentares avaliam como grave saída de Teich e creditam demissão à postura técnica – May 15, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro defende cloroquina em ‘guerra’ contra coronavírus mesmo sem comprovação científica – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Ministério da Saúde divulga protocolo da cloroquina com assinatura de secretários – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>OMS interrompe ensaio clínico com cloroquina em pacientes com Covid-19 – May 25, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Casos de Covid-19 no mundo atingem máxima diária; OMS expressa preocupação com países mais pobres – May 20, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>EUA enviam ao Brasil 2 milhões de doses de hidroxicloroquina – May 31, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>França, Itália e Bélgica interrompem uso de hidroxicloroquina para Covid-19 por questão de segurança – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Trump ordena governo dos EUA a iniciar retirada de privilégios a Hong Kong – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Wall St sobe com sinais de recuperação amenizando receios sobre protestos e pandemia – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 O Brasil 0 0 PLACE 9 O Brasil: 2, o Brasil: 6, (tacit) ele/ela (referent: o Brasil): 1
2 país 0 0 NONE 7 O país: 1, o país: 5, o segundo país: 1
3 doença 60 0 NONE 5 uma doença: 1, a doença: 4
4 os Estados_Unidos 0 0 PLACE 5 os Estados_Unidos: 5
5 (tacit) alguien 0 0 NONE 4 (tacit) eles/elas (referent: alguien): 4
6 esta 0 0 NONE 4 esta: 4
7 infecções 0 0 NONE 4 20.803 infecções: 1, 1.706.230 infecções confirmadas: 1, as infecções: 1, 26.417 infecções notificadas: 1
8 vacina 0 0 NONE 4 a vacina: 1, a vacina experimental: 1, vacina: 1, Uma vacina: 1
9 vacinas 70 0 NONE 3 vacinas: 1, vacinas potenciais: 1, as primeiras vacinas: 1
10 Eduardo Lobo 0 0 PERSON 3 Lobo: 1, Eduardo_Lobo (apposition: presidente de a Associação_Brasileira_das_Indústrias_de_Pescados): 1, (tacit) ele/ela (referent: Eduardo_Lobo): 1