Por: SentiLecto

– A Advocacia-Geral da União declarou em manifestação encaminhada ao Supremo Tribunal Federal no fim de semana que o presidente Jair Bolsonaro e seu governo chancelam a orientação do Ministério da Saúde pelo isolamento social para conter a disseminação do coronavírus, apesar das críticas públicas do presidente às medidas de rlimitaçãode circulação. No documento, em resposta a uma ação movida pela Ordem dos Advogados do Brasil que pede que o Supremo proíba Bolsonaro de adotar medidas que contrariem o isolamento social defendido pela pasta comandada por Luiz Henrique Mandetta e pela Organização Mundial da Saúde, a AGU pede que a ação da OAB não seja recebida pela corte. «Ao contrário do que afirma o autor, todas as medidas adotadas visam garantir as orientações não só do Ministério da Saúde, mas também da Organização Mundial da Saúde. Tais medidas também visam garantir o isolamento social necessário para evitar a rápida disseminação do novo coronavírus», alega o órgão responsável pela defesa jurídica da União. «Vale recordar que o Presidente da República exerce o Poder Executivo , ajudado por os ministros de Estado; assim, todas as orientações do Ministério da Saúde advêm, e por isso encontram a chancela, do próprio Governo Federal.» Bolsonaro tem criticado fortemente o chamado isolamento horizontal e defendido que apenas os integrantes do grupo de risco fiquem em casa para evitar serem contaminados pelo coronavírus. Mandetta, por sua vez, defende o isolamento horizontal e recomendou à população que sigas as orientações dos governadores, que determinaram o fencerramentode comércio não eimprescindívelentre outras medidas de rlimitaçãoà circulação. Essas decisões dos chefes dos governos estaduais foram duramente criticadas por Bolsonaro, que acusou os governadores de serem «exterminadores de empregos». Uma vez que poderia editar um decreto determinando a volta das pessoas ao trabalho, o presidente já declarou mais de contrariando as resoluções dos governadores, mas até o momento não o fez. No domingo, sem mencionar Mandetta, Bolsonaro declarou que alguns de seus ministros estão «se achando», viraram estrelas e advertiu que «a hora deles chegará», pois não tem medo de utilizar sua caneta. [nL1N2BU07C]

– O presidente Jair Bolsonaro alegou nesta quarta-feira que avalia a execução de uma reunião com governadores para debater a volta paulatina das atividades nos Estados que adotaram medidas de isolamento social para conter a progressão do novo coronavírus. Em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, da TV Band, Bolsonaro declarou que há interesse de sentar-se à mesa com governadores para decidir como sse rvai realizaressa volta.Mais uma vez, o presidente defendeu que é preciso tratar da saúde e da vida, mas não se pode esquecer do emprego. Ele avaliou que a atual situação leva a uma perda de receita dos Estados e provocou na entrevista. Declarou: «Duvido que os governadores possam pagar a folha de maio». DESCULPAS O presidente pediu desculpas por ter republicado em uma rede social um vídeo que um homem falava de desabastecimento de uma central de alimentos em Belo Horizonte. O presidente posteriormente apagou a postagem. Declarou que não houve a «devida checagem do acontecimento» e adicionou que parece que aquela central de fornecimento do vídeo estava em manutenção. Ainda assim, Bolsonaro alegou que tem caído o fluxo de entrada de alimentos e espera que não caia mais ainda. Avaliou: «Se chegar a um ponto de interrupção da produção, pode levar de 60 a 90 dias para regressar a produção de hortifrutigranjeiros». O presidente ainda cutucou o fato de a Ordem dos Advogados do Brasil ter recorrido ao Supremo Tribunal Federal para obrigá-lo a seguir as recomendações da Organização Mundial da Saúde . O apresentador indicou durante a entrevista que ministro Alexandre de Moraes havia dado um prazo de 48 horas para o governo responder antes de tomar uma resolução. Ministro Alexandre de Moraes é o relator da ação. Se a OAB está achando, bolsonaro respondeu que que todo mundo deve ir para o isolamento horizontal, «me desculpe OAB, nós vamos morrer juntos». Quando todas as medidas atingem pessoas de limitação de locomoção, o isolamento horizontal é , ao contrário do isolamento vertical que tem , que tem sido defendido por Bolsonaro, em que somente idosos e portadores de enfermidades pré-existentes, ficariam isolados. «Não adianta colocar a faca no meu pescoço. Isso é democracia», declarou ele, para quem o Supremo não seria o foro adaptado para buscar uma solução sobre o tema. – O presidente Jair Bolsonaro alegou nesta quinta-feira que poderá editar na próxima semana uma regra para garantir a volta do comércio e outras atividades suspensas país afora, caso governadores e prefeitos que tomaram medidas drásticas de isolamento social não iniciem paulatinamente a rever suas resoluções. Ele em entrevista ao programa Pingo nos Is, da Rádio Jovem Pan declarou: «Se não começar a volta gradativa do emprego, na semana que vem eu vou ter que tomar uma resolução». «Para abrir o comércio, eu posso abrir uma canetada.» Desde a semana passada, Bolsonaro tem criticado duramente gestores regionais que adotaram medidas de isolamento social como quarentena. Tem declarado que eles não têm se inquietado com o efeito econômico para a medida que poderá ter um preço social bastante maior do que a guerrazinha aa progressão do vírus. Na entrevista, o presidente declarou que «alguns governadores» querem que ele tome essa espécie de resolução para trazer o problema para o seu colo. Defendeu novamente o direito das pessoas ao trabalho, mencionando que se deve isolar exclusivamente grupos de risco — o que contraria o protocolo preconizado pelo próprio Ministério da Saúde do seu governo. Bolsonaro declarou que as pessoas têm de se preparar para a volta ao trabalho e que isso vai acontecer, seja por resolução dos governadores ou do presidente. Ressalvou, contudo, que se for uma resolução dele obviamente ela passaria pelo crivo do Supremo Tribunal Federal ou do Congresso e que essas instituições podem barrar uma eventual resolução dessas. Segundo o presidente, governadores assumiram a dianteira nesse processo sem falar nem procurar o Executivo Federal. Para ele, embora tenha admitido que vai haver mais mortes, há um alarmismo dentro do que está acontecendo. – A avaliação negativa do governo do presidente Jair Bolsonaro passou para 42% em meio à pandemia de coronavírus, ao passo que a aprovação dos governadores teve um salto, para 44%, mostrou pesquisa do Ipespe para a XP Investimentos divulgada nesta sexta-feira. Especificamente sobre a atuação das autoridades na guerrazinha à pandemia de coronavírus, o levantamento mostrou que 68% avaliam como ótima ou boa a atuação do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, ao passo que asomente29% têm essa avaliação do papel que vem sendo desempenhado por Bolsonaro na crise. De acordo com o levantamento, a avaliação ruim ou péssima do governo Bolsonaro subiu 6 pontos em relação a levantamento feito no mês passado, chegando agora a 42%. Enquanto os que avaliam a administração como regular adicionam 27%, o percentual dos que veem o governo como ótimo ou bom oscilou 2 pontos para baixo, para 28% , ante 31%. Já nos casos dos governadores, a avaliação ótima ou boa dos governadores de Estado saltou de 26% no levantamento do mês passado, para 44% agora. Além disso, a avaliação ruim ou péssima caiu de 27%, para 15%. O percentual dos que veem os gestores estaduais como regulares foi de 43%, para 37%. Bolsonaro tem criticado publicamente os governadores pelas medidas de limitação que adotaram para conter a disseminação do coronavírus, que já matou mais de 300 pessoas no país. O presidente tem defendido a volta ao trabalho, a despeito das recomendações de experts pelo isolamento social. O presidente já acusou os governadores de s
erem «exterminadores de empregos», de trabalharem com o conceito de «terra arrasada» e de cometerem um «crime» com as medidas restritivas que, segundo ele, estão «arrebentando com o Brasil». MANDETTA BEM AVALIADO NA PANDEMIA De acordo com a pesquisa, o saldo da avaliação positiva dos governadores ocorreu em todas as regiões do país: de 22% para 37% no Sudeste, de 27% para 50% no Nordeste, de 18% para 54% no Sul e de 24% para 44% no Norte e Centro-Oeste. Especificamente sobre a pandemia de coronavírus, 44% avaliam como ruim ou péssima a atuação de Bolsonaro no enfrentamento da pandemia, 29% a veem como ótima ou boa e 21% como regular. Avalia-se Mandetta é bem avaliado em o guerrazinha em a pandemia por %68 de os entrevistados, enquanto %7 avaliam mal sua atuação e %21 a veem como regular.Bolsonaro também tem entrado em rota de colisão com Mandetta, que tem defendido a necessidade de isolamento social para conter o vírus, apesar da postura em oposto do presidente. Em entrevista à rádio Jovem Pan na quinta-feira, Bolsonaro ddeclarouque falta humildade a Mandetta e que o ministro deveria oescuteilo mais. Declarou ainda que o titular da Saúde «extrapolou». Já a atuação dos governadores na pandemia é vista de maneira positiva por 59%, negativa por 14% e regular por 25%. Na guerrazinha ao coronavírus, os mais bem avaliados são os profissionais de saúde, com 87%. Em linha com a melhora na performance dos governadores e com a boa avaliação de Mandetta, a XP/Ipespe assinalou que 80% dos entrevistados veem o isolamento social como a melhor maneira de tentar conter a disseminação do coronavírus, ao passo que 12% avaliam que essa medida está sendo exagerada, e 6% compreendem que não é o melhor percurso. O levantamento indagou sobre qual a maior preocupação das pessoas em relação ao coronavírus e 49% responderam que era o risco de se infectar ou de alguém da família ser contagiado, 25% alegaram que é a crise econômica que pode atingir o país em decorrência da pandemia, e 24% declararam ter essas duas preocupações. O Ipespe escutou 1.000 pessoas por telefone entre 30 de março e 1º de abril. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais.

Na sexta-feira 27 de março – O presidente Jair Bolsonaro alegou que avalia fazer um novo pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV de sábado após uma conversa que deve ter com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na qual vai defender o redirecionamento das ações de guerrazinha ao novo coronavírus. Em entrevista ao programa Brasil Urgente, do apresentador José Luiz Datena, Bolsonaro defendeu que tinha que haver uma mudança na estratégia para o chamado «isolamento vertical», em que somente grupos de risco, como idosos e portadores de enfermidades crônicas pré-existentes, tinham que ficar em confinamento. O «isolamento vertical» não era preconizado até o momento pelo Ministério da Saúde nem pelava Organização Mundial de Saúde como melhor maneira de conter a progressão da pandemia de coronavírus. Bolsonaro declarou que Mandetta estava fazendo um «bom trabalho» à frente da pasta e deu-lhe «parabéns». Mas avaliou que tinha que haver um redirecionamento das ações e mencionou o isolamento vertical. Ele afirmou que em seu governo cada ministro não fica «isolado» e «faz o que dá na cabeça». «Não era total liberdade para ele, eu tenho meu posicionamento», declarou. «Eu debatia com o ministro, não impunha a minha vontade», reforçou, ao adicionar que na maioria das vezes estava certo. » tenho o poder de interferir, interferirei sem problema nenhum. era presidente para isso, votaram em mim, não votaram em nenhum ministro», disse. Novamente, o presidente criticou medidas mais drásticas de confinamento social adotadas por governos estaduais e municipais. Defendeu que as pessoas recomecem suas atividades e declarou que essas iniciativas para conter o vírus podiam parar o país, levando a uma ampliação do desemprego, da fome e da violência. Faz 2 anos, Bolsonaro declarou que, a se perdurar essa quarentena além do natural, a paralisação de os caminhoneiros, o conseqüência para a economia de Brasil seria bastante maior do que. , ao ressalvar que Estados têm problema também declarou: «Economia estava parada no Brasil todo». Segundo ele, ao defender a retomada do trabalho, estava «faltando pão na mesa» do brasileiro que trabalhava na informalidade. Declarou: «A gente tinha que acabar com esse clima de histeria, de pânico». O presidente realçou que conseguiu se aprovar bilhões de reais na assistência para as possíveis consequências do vírus porque o Congresso aprovou o decreto do estado de tragédia pública. Embora não haja agora um telhado de gastos, cogitou que a «conta vinha». Declarou: » tínhamo que tomar providências para que quem tem emprego vá trabalhar, não podíamo comportar-se de forma irresponsável». «Você não podia simplesmente se esconder, se enclausurar, ficar de quarentena e tudo bem. Tudo bem, não!», exaltou-se. Bolsonaro classificou como erro e falta de bom senso confinamento determinado por parte de governadores e prefeitos. Considerou que o Brasil estava «decolando na economia», com a criação de 1 milhão de empregos no ano passado, mas «tudo foi perdido» em razão da pandemia do coronavírus. Em tom de alerta, o presidente avaliou que o vírus matava, mas a fome matará bastante mais pessoas.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: NEUTRAL

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Em manifestação ao STF, AGU declara que Bolsonaro chancela orientação de isolamento social do Ministério da Saúde
>>>>>Bolsonaro diz que avalia reunião com governadores para volta paulatina de atividades – April 01, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Bolsonaro anuncia sanção de ajuda emergencial e crédito para manutenção de empregos – April 01, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro acredita que economia pode se recuperar em 1 ano após crise do coronavírus – March 31, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Guedes faz apelo para coronavírus não desorganizar economia brasileira – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Coronavírus: Bolsonaro promete pacote de R$ 85 bi de auxílio a estados e municipios – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Coronavírus: Guedes projeta retorno gradual da quarentena a partir de 7 de abril – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro acena com plano de R$85,8 bi para Estados por coronavírus – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro diz que pode fazer novo pronunciamento para redirecionar ações contra coronavírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Medidas para coronavírus somam até 5% do PIB, mas governo volta às reformas depois, diz Guedes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>BC anuncia financiamento subsidiado a folha de pagamento, estuda compra direta de crédito – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>
>>>>>>>>>BC tem arsenal para combater qualquer tipo de crise, diz Campos Neto – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ameaça à queda dos juros estruturais está por trás de corte de apenas 0,5 ponto na Selic, indica BC – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Dólar tem maior queda desde outubro de 2018 com esforços de BCs globais para acalmar ânimos – March 19, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo autoriza BC a conceder empréstimos a bancos com garantia em debêntures – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>BC prepara liberação de até R$670 bi retidos em operações de crédito – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Temos poder de intervenção muito amplo no câmbio, diz Campos Neto – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>BC da China pede intenstificação da coordenação global de políticas econômicas – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>BC não tem operacional para compra direta de dívida das empresas, diz Campos Neto – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>BC diz que linha de swap com Fed não implica condicionalidades de política econômica – March 19, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>MPF pede que União pague multa de R$100 mil após Bolsonaro estimular quebra de isolamento – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Witzel diz que atitude de Bolsonaro pode ser enquadrada como crime contra humanidade – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Bolsonaro diz que pode determinar na próxima semana volta de comércio e outras atividades no país – April 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Bolsonaro diz que não pretende demitir Mandetta ‘durante a guerra’ – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Avaliação de governo Bolsonaro piora e aprovação a governadores dispara, diz pesquisa XP/Ipespe – April 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Governo decide centralizar comunicação do coronavírus no Planalto para ‘unificar narrativa’ – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Chefe da OMS contraria Bolsonaro e diz que informais precisam de ajuda para cumprir isolamento – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 0 120 PERSON 35 (tacit) ele/ela (referent: O presidente Jair_Bolsonaro): 1, ela (referent: Bolsonaro): 1, o (referent: Bolsonaro): 1, ele (referent: O presidente Jair_Bolsonaro): 1, o governo Bolsonaro: 1, ele (referent: Bolsonaro): 2, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 9, Bolsonaro: 16, O presidente Jair_Bolsonaro: 3
2 eu 107 25 NONE 21 (tacit) eu: 15, me: 1, eu: 3, mim: 1, Eu: 1
3 presidente 0 0 NONE 13 O presidente: 5, o presidente: 7, presidente: 1
4 isolamento 320 550 NONE 10 o isolamento vertical: 1, isolamento vertical: 3, isolamento social: 1, o isolamento social: 2, o isolamento horizontal: 2, O isolamento horizontal: 1
5 Luiz Henrique Mandetta 80 60 PERSON 10 Mandetta por sua vez e não essencial entre outras medidas de restrição em a circulação: 1, Luiz_Henrique_Mandetta: 3, Mandetta: 6
6 entrevista 0 0 NONE 8 a entrevista: 4, entrevista: 4
7 governadores 0 0 NONE 6 os governadores: 3, governadores: 3
8 esta 0 0 NONE 5 esta: 5
9 pessoas 0 0 NONE 5 1.000 pessoas: 1, pessoas: 1, as pessoas: 2, mais pessoas: 1
10 você 0 32 NONE 4 (tacit) você: 3, Você: 1