Por: SentiLecto

Cerca de 5,8 milhões de brasileiros foram atingidos por links maliciosos exclusivamente no mês passado e mais de 3 milhões já foram vítimas do golpe de clonagem de WhatsApp só neste ano. O cálculo é do laboratório especializado em segurança digital da PSafe , que realizou um novo levantamento sobre o panorama da cibersegurança no Brasil com base em registros de julho.

O estudo identificou 40 mil links de golpes ativos no fase. Para ter acesso ao WhatsApp clonado da vítima, os fraudadores se apropriam do código de ativação do mensageiro, mandado por mensagem de SMS ao celular do usuário. Um dos procedimentos mais utilizados pelos criminosos para clonar as contas do aplicativo de mensagens consiste em acessar ilegalmente as conversas da vítima e se passar por ela para pedir dinheiro a parentes e amigos, que são instruídos a fazer depósitos em contas de terceiros.

Ela não sabia que o usuário teve sua conta do Whatsapp clonada e que um estelionatário estava mandando o pedido de dinheiro. A autora recorreu à Justiça para restituição do valor e srequereuuma indenização por dprejuízosmorais. A juíza Viviane Silva de Moraes Azevêdo concedeu a devolução de valores e uma indenização, com pagamento de prejuízo moral de R$ 4 mil. A resolução é em segunda instância após apresentação de recursos.

Na terça-feira 04 de agosto o WhatsApp ganhou uma nova ferramenta que permitia que o usuário pesquise em páginas da internet para saber se uma notícia recebida e encaminhada por um contato era verdadeira ou não. O aplicativo já estava restringindo o encaminhamento de mensagens que não foram instituídas por quem as mandou.

Outras maneiras de aplicar esses golpes envolvem o roubo de dados em sites de vendas, a utilização de nomes de artistas ou de marcas famosas e a clonagem de números junto às operadoras de telefonia. Os criminosos também têm usado como mote uma falsa pesquisa sobre a Covid-19. Eles entram em contato, se identificando como pesquisadores de um instituto conhecido e perguntam se a vítima ou algum conhecido já teve os sintomas do coronavírus. Ao fim da ligação, o criminoso pede um código PIN de seis dígitos enviado por SMS ao celular da vítima, que supostamente seria utilizado para validar a pesquisa. De posse desse código, o criminoso consegue invadir o WhatsApp.

A operadora de telefonia OI informou, por meio, que a companhia não comenta resoluções judiciais. Procurado, o Facebook não se pronunciou.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Faz 1 mês, quase 6 milhões de brasileiros foram atingidos por links maliciosos em o WhatsApp
>>>>>Justiça condena Facebook e a OI a pagar indenização a vítima de golpe no Whatsapp – August 12, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Vítimas clonagem de WhatsApp já são mais de 3 milhões no Brasil em 2020; Veja como se proteger – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 criminoso 0 200 NONE 2 o criminoso: 2
2 WhatsApp 0 32 ORGANIZATION 2 o WhatsApp: 2
3 contato 80 0 NONE 2 um contato era: 1, contato: 1
4 eu 0 0 NONE 2 (tacit) eu: 2
5 ferramenta 0 0 NONE 2 uma nova ferramenta: 2
6 usuário 0 0 NONE 2 o usuário: 2
7 os criminosos 0 160 NONE 1 Os criminosos: 1
8 links maliciosos 0 80 NONE 1 links maliciosos: 1
9 uma falsa pesquisa 0 80 NONE 1 uma falsa pesquisa: 1
10 a vítima ou algum conhecido 0 60 NONE 1 a vítima ou algum conhecido: 1