Por: SentiLecto

– Os custos médios da gasolina e do diesel nos postos de Brasil subiram nesta semana, no 11° enquanto o etanol também progrediu depois de uma queda na semana anterior, ampliação consecutiva, mostraram dados da reguladora ANP nesta sexta-feira. Faz 4 meses, a elevação de os valores praticados em as bombas seguiu uma série de ampliações de a Petrobras em as refinarias desde meados, e depois que a estatal anunciou, não arrefeceu nem um corte de 4% na gasolina na sexta-feira passada. O preço médio para o consumidor final do diesel, combustível mais utilizado no Brasil, concluiu a semana em 3,339 reais por litro, com elevação de 0,5% no fase, segundo os números da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis . 4,216 reais comercializaram em média a gasolina por litro em os postos , com progressão semanal de %0,3 , de acordo com a agência. O repasse de reajustes nas refinarias aos postos não é automático e nem compulsório e depende de uma série de fatores, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição compulsória de biodiesel. Já o etanol hidratado concluiu a semana vendido em média por 2,759 reais por litro, valor %0,66 superior ao da semana anterior. O etanol hidratado é concorrente da gasolina nas bombas.

– Faz 2 meses, as vendas de combustíveis por as distribuidoras brasileiras tiveram nova melhora mensal, mas ainda assim concluíram o primeiro semestre de 2020 com queda acumulada de 8,7% em relação a igual fase do ano passado, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis . Faz 2 meses, a comercialização total de os produtos atingiu 10,2 bilhões de litros, alta de %7,17 em a comparação com o mês anterior, mas Faz 1 ano, queda de cerca de %8 ante mesmo mostraram os dados atualizados por a agência reguladora em esta semana. O resultado mensal é o mais alto desde março. Faz 4 meses, quando o país teve o pior resultado de o ano em vendas, tiveram seu ápice em o país, com a limitação em as circulações gerando uma derrocada em o consumo de combustíveis, em abril com 8,87 bilhões de litros as medidas de isolamento social para contenção de a Covid-19.Por outro lado, o dado encarna o menor nível para um mês de junho desde 2010, ainda impactado pelos conseqüência da pandemia. No semestre, as vendas totalizaram 61,6 bilhões de litros. Faz 2 meses, combustível mais usado de o Brasil, o diesel registrou vendas de 4,7 bilhões de litros, chegando a superar o nível de junho de 2019 segundo a ANP que apurou altas de %7,6 ante maio e de %1 versus mesmo mês de o ano passado,,. No acumulado do semestre, a comercialização do diesel ainda registra queda de 2,6% no ano a ano, a 26,7 bilhões de litros. Uma pesquisa da NTC&Logística assinala que a procura por transportes rodoviários de cargas no Brasil concluiu junho perto dos níveis de março, quando os primeiros conseqüência econômicos mais graves da Covid-19 começaram a ser sentidos. Desde então, o índice aumentou sua recuperação e tem se aproximado ainda mais dos níveis pré-pandemia. Faz 2 meses, as vendas de gasolina também progrediram ante o mês anterior, mas exibem resultados mais tímidos que os do diesel. Faz 2 meses, de acordo com a ANP, a comercialização de gasolina em o Brasil adicionou 2,72 bilhões de litros. Faz 3 meses, enquanto em junho de o ano passado totalizaram 2,95 bilhões de litros, as vendas foram de 2,5 bilhões de litros, em maio. No semestre, o levantamento da agência reguladora assinala para uma queda de 11% frente aos seis primeiros meses de 2019. Ainda segundo a ANP, as vendas de etanol hidratado pelas distribuidoras de Brasil adicionaram 1,3 bilhão de litros, progressão de mais de 5% frente ao mês anterior, mas recuo de cerca de 23% no ano a ano. No semestre, a comercialização do biocombustível apurou queda de 16,7% ante o ano passado. Mesmo assim, a União da Indústria de Cana-de-Açúcar festejou o segundo mês consecutivo com crescimento da ordem de 5% em relação ao prévio. «Esse resultado decorre da aumentada competitividade do etanol nos principais centros consumidores frente o concorrente fóssil. O consumidor conserva sua escolha por um combustível menos poluente e mais barato», declarou em nota o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues. A partir desta segunda-feira, a gasolina vendida no Brasil terá que seguir novas especificações. Com as mudanças, ela vai estar mais próxima da norma europeia e do estadunidense. Embora mais cara, a expectativa é que o consumo seja menor, compensando a alta no custo.- A estatal norueguesa Equinor e a Repsol Sinopec pretendem viabilizar a negociação em conjunto de parte das reservas de gás natural do bloco BM-C-33 no Brasil, segundo documentos das companhias ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica . O órgão antitruste que não viu riscos em a concorrência em o mercado de gás , entre a Equinor e a joint venture de a espanhola Repsol com a de China Sinopec aprovou sem limitações um contrato associativo , de acordo com publicação em o Diário Oficial da União de esta segunda-feira.As petroleiras informaram ao Cade que o bloco na Bacia de Campos encontra-se em estágio de avaliação de comercialidade e que o desenvolvimento futuro do ativo depende diretamente da identificação de opções economicamente viáveis para a venda da produção de gás. «A operação engloba a prospecção e avaliação conjunta de potenciais clientes, bem como o estabelecimento de condições comerciais a serem observadas para a negociação em conjunto, o que poderá resultar na formalização de contratos de fornecimento de gás de longo prazo , individuais para cada requerente», explicaram as empresas, em parecer disponibilizado pelo Cade. O bloco BM-C-33, atualmente no período de exploração, ainda tem a Petrobras como sócia, com 30% de participação, contra 35% de Repsol Sinopec e 35% da Equinor. Faz 15 anos, o ativo foi licitado por a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis em rodada realizada. Ao avaliar a associação entre as petroleiras, o Cade defendeu que não há preocupações sobre efeitos na concorrência, dadas «as diminutas participações de mercado na produção de gás natural do Grupo Repsol e Grupo Equinor no Brasil». As companhias declararam ao órgão estatal que a comercialização de longo prazo das reservas de gás do bloco vai ter «efeito direto» em sua habilidade de viabilizar os investimentos substanciais exigidos para desenvolvimento de descobrimentos comerciais no ativo.

Na sexta-feira 31 de julho – Os preços médios da gasolina e do diesel nos postos brasileiros encerraram em alta, marcando a décima ampliação semanal consecutiva, mostraram dados da reguladora ANP nesta sexta-feira, enquanto o etanol teve leve baixa. Embora a estatal tenha, a elevação dos valores praticados nas bombas tem acompanhado uma série de ampliações praticadas pela Petrobras nas refinarias desde meados de abril anunciado para a partir da primeira diminuição no fase, com corte de 4% na gasolina. O preço médio para o consumidor final do diesel, combustível mais utilizado no Brasil, concluiu em 3,322 reais por litro, com elevação de 1,28% no fase, segundo os números da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis . 4,203 reais comercializaram em média a gasolina por litro em os postos , com progressão semanal de %0,67 , de acordo com a agência. Com isso, o valor do diesel nas bombas agora acumulava queda de 12% frente à primeirdo ano, enquanto a gasolina t temretração de 7,8% desde então. O movimento dos custos finais comparava-se com uma queda acumulada de cerca de 13,7% para a gasolina e 25% para o diesel nas refinarias da Petrobras ao longo de 2020. O repasse de reajustes nas refinarias aos postos não era automático e nem compulsório e dependia de uma série de fatores, como margem da distribuição e revenda, impostos e adição compulsória de biodiesel. Já o etanol hidratado concluiu vendido em média por 2,741 reais por litro, com queda de %0,18 ante anterior. O etanol hidratado é concorrente da gasolina nas bombas. No acumulado do ano, os custos do etanol nos postos têm baixa de 13,6%, segundo os dados da ANP.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Gasolina e diesel sobem nos postos pela 11ª semana, mostram dados da ANP
>>>>>Venda de combustível no Brasil recua 8,7% no semestre; diesel se recupera em junho – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Gasolina com novo padrão começa a valer nesta segunda. Entenda as mudanças – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Equinor e Repsol Sinopec buscam negociação conjunta de gás de bloco no Brasil – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 gasolina 0 0 NONE 7 a gasolina t: 1, a gasolina: 3, a gasolina vendida: 1, A gasolina: 2
2 litros 0 0 NONE 7 litros: 7
3 reais 480 0 NONE 6 4,216 reais: 1, 3,322 reais: 1, 2,741 reais: 1, 2,759 reais: 1, 4,203 reais: 1, 3,339 reais: 1
4 litro 0 0 NONE 6 litro: 6
5 postos 0 0 NONE 6 os postos brasileiros: 2, os postos: 4
6 queda 0 0 NONE 6 queda: 1, queda de %0,18: 1, queda acumulada de %8,7: 1, queda de %2,6: 1, uma queda acumulada: 1, queda de %16,7: 1
7 bombas 0 0 NONE 5 as bombas: 5
8 o Brasil 0 0 PLACE 5 o Brasil: 5
9 Gás_Natural e Biocombustíveis 0 0 PERSON 4 Gás_Natural e Biocombustíveis: 4
10 combustível 0 0 NONE 4 Combustível: 1, combustível: 2, um combustível: 1