Por: SentiLecto

– A produção de Brasil de soja tem que atingir 132,5 milhões de toneladas na colheita 2020/21, estimou a consultoria IHS Markit, com uma diminuição de 1 milhão de toneladas em relação à expectativa anterior e admitindo ainda a pchancede novos cortes decorrentes da seca. Revisou-se a área de plantio também para baixo, em 300 mil hectares, para 38,5 milhões de hectares, após registros de desistências de produtores de a oleaginosa que migraram para culturas de segunda colheita, como o algodão e o milho. «Em Mato Grosso, regiões como Sapezal, teve um pessoal que semeou ‘no pó’ a chuva não veio… Houve casos de replantio e desistência, com produtores indo direto para o algodão que será semeado agora em dezembro», declarou o analista da IHS Aedson Pereira. Se viram episódios semelhantes segundo ele, em o Paraná, mas com o agricultor migrando para o milho, cuja lucratividade está em platô bastante elevados. «Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás também padeceram com a falta de água», adicionou. Pereira ainda considerou provável a chance de novos cortes na estimativa de produção de soja da consultoria, porque a seca também deixou perdas no potencial produtivo da cultura. «Existe, sim, a possibilidade de novo corte. Não é mais uma possibilidade remota… ainda não podemos falar em quebra, mas vai afetar-se o potencial produtivo certamente.»

– A produção de soja brasileira tem que alcançar 129,5 milhões de toneladas na colheita 2020/21, estimou a consultoria Céleres nesta quinta-feira, diminuindo sua projeção ante as 133,95 milhões de toneladas vistas anteriormente, em função da seca acontecida em diversas regiões produtivas. A área de plantio, em contrapartida, teve um leve ajuste positivo para 38,87 milhões de hectares, ante 38,47 milhões. «Estamos enfrentando um fase de anormalidade no volume de chuvas no centro-sul… Em Estados como Paraná e Rio Grande do Sul, as lavouras entraram em estágio de enchimento de grãos com clima desfavorável, com isso, diminuímo nossa estimativa de produtividade nesses Estados», declarou a analista da Céleres Daniely Santos. Ela adicionou que em Mato Grosso, Goiás e Mato Grosso do Sul também houve corte na projeção de produtividade, mas em menor intensidade que nos Estados do Sul. Com isso, na média nacional, a produtividade caiu para 3,33 toneladas por hectare, ante 3,48 toneladas por hectare na projeção anterior. – O plantio de soja seguiu forte na região do Matopiba na última semana, auxiliando a aumentar a taxa de semeadura no Brasil, que atingiu 87% da área semeada. Após um atraso inicial devido à ianormalidadedas chuvas, o plantio aprogrediuseis pontos percentuais na última semana, eigualandose ao índice do mesmo pfasedo ano passado. «Com os trabalhos virtualmente concluídos no Centro-Oeste e já nos talhões finais no Sudeste, Paraná e Rondônia, a semeadura agora segue concentrada no Matopiba, que tem ritmo mais forte que o da média histórica devido à boa umidade na região…», declarou a AgRural em nota. Rio Grande do Sul e Santa Catarina, onde o plantio continua atrasado por conta da anormalidade das chuvas, também registraram progressões na última semana. Comentou: «O regresso A semana passada marcou ela bastante bem-vindo de as chuvas a o Rio Grande do Sul». Outras importantes áreas produtoras voltaram a inquietar, notou a consultoria. «No resto do país, porémFaz 1 mês,, a combinação de tempo seco e temperaturas em elevação voltou a predominar de novembro. Isso acendeu novamente o sinal amarelo em algumas áreas com umidade do solo mais ajustada, especialmente em Mato Grosso e no Paraná», declarou. De acordo com a AgRural, «a preocupação com esse fase mais seco só não é maior porque, como o plantio foi feito com atraso, quando o efeito do clima desfavorável sobre o potencial produtivo é menor, a maior parte das lavouras ainda está em fase vegetativo ou no começo do período reprodutivo do que na formação de vagens e enchimento de grãos». Por ora, a AgRural conserva sua estimativa a produção de soja brasileira em recorde de 132,2 milhões de toneladas, com base em linhas de tendência de produtividade, que serão trocadas por estimativas com resultados do campo a partir de dezembro. «Embora a colheita 2020/21 tenha problemas gerados pela extrema anormalidade das chuvas no plantio e desenvolvimento inicial, cortes na estimativa de produtividade durante o período vegetativo da colheita não são recomendados.» MILHO A consultoria informou que o Brasil plantou 94% das áreas com milho primeira colheita, deve cooperar para um novo corte na projeção de colheita, enquanto o clima seco anteriormente no Rio Grande. Alegou: «Apesar do regresso das chuvas ao Rio Grande do Sul, o Estado já tem perdas de produtividade consolidadas e tem que passar por um terceiro corte na estimativa de colheita que a AgRural vai divulgar no começo de dezembro». Faz 2 meses, devido a cortes em os três Estados do Sul, a AgRural estimou a produção de o centro-sul brasileira em 20,7 milhões de toneladas, contra 21,9 milhões em outubro e 19,7 milhões de toneladas em a colheita 2019-20, em novembro. – A produção de Brasil de soja tem que atingir 134,98 milhões de toneladas na colheita 2020/21, estimou a consultoria Datagro nesta terça-feira, aumentando sua projeção em 540 mil toneladas na esteira de um incremento em área de plantio. Segundo a Datagro, o resultado também encarna uma progressão de cerca de 6% em relação às 127,45 milhões de toneladas colhidas em 2019/20. A área semeada também teve atualização para 38,79 milhões de hectares, sobre 38,68 milhões de hectares na última projeção e 3% acima da temporada passada, confirmando o 14º ano consecutivo de incremento. «Os fatores de estímulo ao cultivo da soja dominaram a resolução dos produtores a novamente aumentarem a área nesta colheita, já que os custos médios estiveram acima do norma, houve alta produtividade média, positiva rentabilidade bruta da colheita atual, oferta de crédito…», alegou a Datagro. O clima, contudo, uma vez que a colheita está agora em desenvolvimento, segue como fator de atenção , com a conclusão do plantio na maioria das áreas.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Brazil, Argentina

Cities: Rio Grande, Sao Paulo, Parana

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>IHS Markit diminui projeção para soja 20/21 do Brasil a 132,5 mi t, com viés de baixa
>>>>>Céleres reduz projeção para soja 20/21 do Brasil a 129,5 mi t por seca – December 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>StoneX eleva previsão de safra de soja do Brasil e reduz estimativa para milho – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Plantio de soja ganha ritmo no Matopiba; clima preocupa em MT e PR, diz AgRural – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Mourão prevê diálogo sem problemas com Biden, apesar de Brasil ainda não ter reconhecido presidente eleito – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Datagro eleva estimativa de produção de soja 20/21 do Brasil para 134,98 mi t – December 01, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Produção de soja 2020/21 do Brasil deve alcançar 133,2 mi t, diz Agroconsult – November 26, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 safra 0 0 NONE 9 esta safra: 1, safra: 1, primeira safra: 1, a safra: 6
2 toneladas 0 0 NONE 8 3,48 toneladas: 1, 540_mil toneladas: 1, toneladas: 5, 3,33 toneladas: 1
3 plantio 25 0 NONE 5 o plantio: 4, plantio: 1
4 hectares 0 0 NONE 5 hectares: 4, 300_mil hectares: 1
5 nós 0 0 NONE 5 nos: 1, (tacit) nós: 4
6 área 35 0 NONE 4 a área plantada: 1, a área: 1, A área plantada: 1, A área: 1
7 AgRural 0 0 ORGANIZATION 4 a AgRural: 4
8 Paraná 0 0 PLACE 4 o Paraná: 2, Ela (referent: Paraná): 1, Paraná: 1
9 chance 0 0 NONE 4 uma chance remota: 1, a possibilidade: 2, a chance: 1
10 corte 0 0 NONE 4 corte: 4