Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Refederal fiscoBR

Na hora de preencher a declaração de Imposto de Renda , o contribuinte deve optar entre dois modelos: o inteiro ou o simplificado. Mas para muita gente não está claro qual é a alternativa mais positiva para diminuir o imposto a pagar ou até mesmo garantir uma restituição.

Experts explicam que a chave para encontrar a resposta para esse dilema nestá na quantidade de despesas feitas ao longo do ano que podem ser concluídas do imposto.

Baseado nesse valor, ao fim do preenchimento da documentos, o próprio sistema da Receita Federal sinalizará qual modelo é o mais positivo de acordo com a situação tributária do contribuinte.

A Receita Federal, ou Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil, é um órgão que tem como responsabilidade a gestão dos tributos federais e o controle aduaneiro, além de atuar na guerrazinha na evasão fiscal, contrabando, descaminho, contrafação e tráfico de drogas, armas e animais.

Mas muita gente já pode saber de antemão que nem vale a pena reuniar a papelada e ir direto na alternativa simplificada. Cheque a diferença entre as dois espécies de declaração e descubra qual pode ser a melhor escolha para o seu caso.

Para aqueles que não têm dependentes e muitos gastos dedutíveis do IR, a declaração simplificada acaba sendo uma alternativa melhor pois evita a necessidade de comprovação.

Por outro lado, isto quer dizer que estão isentos da declaração do IR aqueles que receberam em 2020 rendimentos tributáveis – como salários, pensões ou rendas por aluguel – de até R$ 28.559,70, ou rendimentos isentos de até R$ 40 mil.

Isso ocorre porque, na versão simplificada, a Receita Federal considera um abatimento único de 20%, ou de até 16.754,34 reais, sobre o cálculo do imposto.

A declaração completa torna-se a mais mencionada, caso o somatório das despesas dedutíveis ultrapasse esses limites do desconto único .

No modelo de declaração completa, a lei calcula com todas as inferências calculadas o Imposto de Renda. Dessa maneira, o somatório das despesas dedutíveis faz a base de cálculo reduzi e, portanto, o valor do imposto fica menor.

— Por mais que você tenha um rendimento menor que não tenha te levado a tributar, você pode comprovar que você tem uma renda que te permita fazer um crediário, por exemplo.

O presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Rio de Janeiro , Samir Nehme, explica que para quem tem vários dependentes, por exemplo, essa alternativa pode ser a mais mencionada.

— Se você tem filhos e gasta com planos de saúde, escolas, previdência privada, sem dúvidas a completa será a mais positiva.

Segundo a advogada tributarista do Kincaid Mendes Vianna Advogados, Patrícia Azevedo, se o contribuinte ter muitas despesas dedutíveis — como dependentes, escola particular, planos de saúde e previdência privada — o ideal é optar pelo modelo inteiro.

É filha do ator Percy Aires e de talento Nair, professora de Educação Física e que foi diretora de colégio,por muitos anos, no bairro das Perdizes, na capital paulista São Paulo.

Já para quem não tem muitos gastos que possam ser concluídos do Imposto de Renda, como despesas com consultas médicas e educação particular, a declaração simplificada é a melhor escolha.

— O contribuinte tem que verificar qual a quantidade de gastos dedutíveis para definir a melhor maneira de fazer a sua declaração, se é a completa ou a simplificada — explica Azevedo.

Para auxiliar a visualizar as diferenças entre as declarações, a professora da pós-graduação em Direito Tributário da FGV-Rio, Bianca Xavier, exemplifica dois cenários onde, apesar da mesma renda, os contribuintes têm que optar por declarações distintas:

— Eu recebo R$ 10 mil por mês e você também. Você tem filhos gastos com educação. Filhos são despesas médicas. Eu sou solteira e não tenho filhos. Você possivelmente terá várias despesas dedutíveis, então, para você, a completa será melhor. Para mim não, já que não tenho quase despesa nenhuma, é melhor pegar o desconto que a legislação me dá, que é uma despesa que não precisa ser comprovada.

— Preencha como se fosse a completa. Una todos os documentos, até porque essa é o dever do contribuinte. Aí, o próprio programa vai te mencionar qual é a melhor, se é a completa ou a simplificada, no canto inferior esquerdo da tela.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>IRPF 2021: Declaração completa ou simplificada? Veja a resposta para o seu caso
>>>>>IR 2021: quem não é obrigado pode conseguir restituição se fizer a declaração – February 19, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>IR 2021: Separe desde já os documentos necessário para fazer a declaração – February 17, 2021 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 0 20 NONE 11 (tacit) eu: 7, Eu: 2, mim: 1, me: 1
2 você 0 0 NONE 11 você: 6, te: 3, Você: 1, Você várias despesas dedutíveis: 1
3 Samir Nehme 160 0 PERSON 6 Samir_Nehme: 2, (tacit) ele/ela (referent: Samir_Nehme): 4
4 declaração 340 0 NONE 4 a declaração: 1, a declaração simplificada: 2, sua declaração: 1
5 opção 180 120 NONE 3 essa opção: 1, uma opção melhor: 1, a opção mais vantajosa: 1
6 aqueles 160 0 NONE 3 aqueles: 3
7 solteira 100 0 NONE 3 (tacit) ele/ela (referent: solteira): 3
8 r 80 0 NONE 3 R: 3
9 contribuinte 0 0 NONE 3 O contribuinte: 1, o contribuinte: 2
10 despesas 0 0 NONE 3 despesas dedutíveis: 3