Por: SentiLecto

– O presidente Jair Bolsonaro, que declara que testou negativo para Covid-19, anunciou nesta terça-feira que testou positivo para Covid-19, tornando-se mais uma entre 1,6 milhão de pessoas contagiadas pelo novo coronavírus no Brasil, o segundo país do mundo com maior número de casos da enfermidade, atrás somente dos Estados Unidos. Abaixo, uma cronologia dos momentos-chave da pandemia no Brasil: 26 de fevereiro – Ministério da Saúde do Brasil confirma o primeiro caso de coronavírus na América Latina. 12 de março – Então chefe da Secretaria de Comunicação Social do governo federal, Fábio Wajngarten, testa positivo para Covid-19 após uma viagem à Flórida, onde ele e Bolsonaro se reuniram com o presidente dos EUA, Donald Trump. 15 de março – Ignorando orientações de saúde sobre a quarentena, Bolsonaro faz «selfies» com apoiadores durante uma manifestação em Brasília. 20 de março – Então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, fala sobre um eventual colapso do sistema de saúde do Brasil a partir de abril. 24 de março – Em discurso em rede nacional, Bolsonaro pede que prefeitos e governadores flexibilizem as medidas de isolamento social impostas para conter a disseminação do vírus. 16 de abril – Bolsonaro demite Mandetta após divergências sobre o distanciamento social. 8 de maio – Revista científica britânica The Lancet declara que Bolsonaro é a maior ameaça à capacidade do Brasil de combater o avanço do coronavírus. 12 de maio – Número de casos confirmados de coronavírus no Brasil ultrapassa a contagem da Alemanha, enquanto Bolsonaro publica decreto para reabrir academias e salões de beleza. 15 de maio – Brasil troca de ministro da Saúde pela segunda vez em menos de um mês, depois de Nelson Teich pedir demissão por causa de divergências com o presidente sobre a utilização da cloroquina no tratamento da Covid-19. 18 de maio – Brasil supera o Reino Unido e se torna o terceiro país do mundo com maior número de infecções pelo vírus, atrás dos EUA e da Rússia. 20 de maio – Ministério da Saúde, comandado interinamente pelo general Eduardo Pazuello, publica novas orientações para utilização mais extenso da cloroquina, remédio antimalária sem efetividade comprovada contra o coronavírus, para o tratamento até mesmo de casos mais leves da enfermidade. 22 de maio – Brasil supera a Rússia e se torna o segundo país do mundo com maior número de casos de coronavírus, atrás exclusivamente dos EUA. 24 de maio – Com a piora da pandemia, os EUA restringem a entrada de passageiros provenientes do Brasil. 6 de junho – Ministério da Saúde deixa de divulgar publicamente grande parte dos dados sobre a epidemia de Covid-19. Bolsonaro no Twitter declara: «Ao acumular dados, além de não mencionar que a maior parcela já não está com a enfermidade, não retratam o momento do país». 9 de junho – Após resolução do Supremo Tribunal Federal , o Ministério a Saúde volta a publicar os dados da epidemia no formato anterior às mudanças, com informações mais completas. 12 de junho – Contagem de mortes em decorrência da Covid-19 no Brasil supera a do Reino Unido; o país se torna o segundo do mundo com maior número de óbitos. 19 de junho – Brasil ultrapassa a marca de 1 milhão de casos de coronavírus. 21 de junho – Brasil ultrapassa a marca de 50 mil mortes pelo coronavírus. 23 junho – Juiz obriga Bolsonaro a usar máscaras em público, após o presidente participar de manifestações sem o equipamento de proteção. 3 de julho – Brasil ultrapassa a marca de 1,5 milhão de casos de coronavírus. 7 de julho – Bolsonaro declara que testou positivo para Covid-19.

– O presidente Jair Bolsonaro, que diminuiu repetidamente a gravidade do coronavírus e resistiu a medidas para mitigar a disseminação da enfermidade, teve resultado positivo em teste para a Covid-19. Na segunda-feira, o Brasil registrou um total de 1.623.284 casos do coronavírus e 65.487 mortes provocadas pelo vírus. Veja algumas observações de Bolsonaro sobre a enfermidade. 9 de março, falando a brasileiros em Miami: «Tem a questão do coronavírus também, que no meu compreender está superdimensionado o poder destruidor desse vírus, então talvez esteja sendo potencializado até por questão econômica.» 24 de março, em discurso televisionado à nação: «No maso fosse cinfectadopelo vírus, eu caso particular, pelo meu histórico de adesportista c não precisaria me pinquietar nada sentiria ou seria, quando mbastante acometido de uma gripezinha ou resfriadinho.» 26 de março, em live no Facebook: «O brasileiro tem que ser estudado. A gente vê, às vezes, em certas comunidades, se dá uma chuva o cara fica pulando no rio ali junto com esgoto, etc, e o cara não pega nada, pô. Nem leptospirose ele pega. Pega nada, tá certo? Mas tudo bem. Parece que o brasileiro, realmente, tem o corpo aí blindado nessa questão.» 29 de março, percorrendo as ruas brasileiras sem máscara: «O vírus está aí, vamos ter que enfrentá-lo. Mas enfrentar como homem, pô! Não como moleque. Enfrentaremos o vírus com a realidade. É a vida! Todos nós iremos falecer um dia.» 12 de abril, respondendo a líderes religiosos via videoconferência: «Quarenta dias depois, parece que está começando a ir embora a questão do vírus, mas está chegando e batendo forte o desemprego. Devemos combater contra essas duas coisas.» 20 de abril, questionado por jornalista sobre a contagem de mortos no Brasil: «Não sou coveiro, tá?» 28 de abril, questionado por jornalistas sobre o crescimento do número de mortos: «E daí? Lamento, deseja que eu faça o quê? Sou Messias, mas não faço milagre.»- O Brasil ultrapassou nesta sexta-feira a marca de 1,5 milhão de casos de coronavírus, com a confirmação de 42.223 novas infecções, cifra que aumenta o total no país a 1.539.081, informou o Ministério da Saúde. Em relação ao número de óbitos, foram informadas 1.290 novas mortes, fazendo com que o total atinja 63.174, adicionou o ministério. O Brasil é o segundo país do mundo com maior contagem de casos e mortes devido ao vírus, atrás somente dos Estados Unidos, que têm quase 2,8 milhões de infecções confirmadas e mais de 129 mil óbitos. Veja um gráfico de casos pelo mundo: https://graphics.reuters.com/CHINA-HEALTH-MAP/0100B59S43G/index.htmlA Casa Branca quis uma rápida recuperação ao presidente Jair Bolsonaro nesta terça-feira, após a confirmação de que foi infectado pelo novo coronavírus.

No domingo 21 de junho – O Brasil superou oficialmente a marca das 50 mil mortes por Covid-19 ao registrar 641 novos óbitos pela enfermidade decorrente do vírus nas últimas 24 horas, segundo dados do Ministério da Saúde. No total, eram 50.617 mortes pela enfermidade decorrente da infecção pelo novo coronavírus. No domingo, o país chegou a 1.085.038 casos confirmados, registrando 17.459 novas infecções. Os dados assinalavam para uma taxa de letalidade de 4,7%. Quando há um atraso nas notificações, a contagem de casos e mortes por Covid-19 no Brasil tende a retardar nos finais de semana e segundas, e ganhar ritmo ao longo da semana, conforme os testes eram processados. Faz 4 meses, a marca de as 50 mil mortes acontecia pouco depois de o primeiro registro oficial de morte por Covid-19, anunciada por autoridades de saúde de o país em o dia 17 de março. De lá para cá, prefeituras e governos estaduais adotaram medidas de isolamento social para travar a disseminação do vírus, mas já iniciaram uma flexibilização mesmo sem desaceleração da enfermidade. O presidente Jair Bolsonaro é um dos principais entusiastas do relaxamento de medidas de isolamento social com o argumento de que os obstáculos do que chama de «segunda onda» –desemprego e recessão– podem ser maiores do que as decorrentes do próprio vírus. SILÊNCIO No domingo pela manhã, Bolsonaro deixou Brasília e compareceu ao enterro de um soldado que faleceu na véspera durante o lançamento de paraquedistas em uma base aérea no Rio de Janeiro, prestando condolências ao militar morto. Ele não falou com o jornalismo e, como de costume, não fez qualquer referência às mortes por Covid-19. O Brasil era o segundo país do mundo com o maior número de casos e óbitos pelo coronavírus, atrás somente dos Estados Unidos, que tinham cerca de 2,2 milhões de infecções informadas e quase 120 mil mortes, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA. De longe, São Paulo era o Estado com maior número de casos e mortes, respectivamente, 219.185 infecções e 12.588 óbitos. Faz 6 meses, depois estava o Rio que atingiu 96.133 casos e 8.875 mortes,. O Estado era acompanhado de perto pelo Ceará, que tem 92.866 casos e 5.523 óbitos. Atualizaram-se os dados de o ministério em as 18h45.Segundo a pasta, o Brasil tinha ainda 549.386 pacientes recuperados da Covid-19 e 485.035 em acompanhamento.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: United States, Brazil, United Kingdom, Russian Federation

Cities: Brasilia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>SAIBA MAIS-Momentos marcantes da crise da Covid-19 no Brasil
>>>>>SAIBA MAIS-Antes de teste positivo, Bolsonaro minimizou os riscos da Covid-19 – July 07, 2020 (Extraoglobo-pt)
>>>>>Brasil ultrapassa 1,5 milhão de casos de coronavírus e chega a 63.174 mortes – July 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Brasil tem 30.476 novos casos de Covid-19 e 552 mortes neste domingo, informa ministério – June 28, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Brasil registra 46.860 novos casos de Covid-19 e mais 990 mortes, diz Ministério da Saúde – June 26, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Brasil registra 46.860 novos casos de Covid-19 e mais 990 mortes – June 26, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Com 641 novos óbitos, Brasil supera oficialmente 50 mil mortes por Covid-19 no domingo – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Brasil registra 1.022 mortes por Covid-19 e se aproxima de 50 mil óbitos – June 21, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Brasil sofre nova aceleração de casos de coronavírus e Covid-19 atinge 89% dos municípios – June 24, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Brasil registra 46.860 novos casos de Covid-19 e mais 990 mortes – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Brasil registra mais 1.016 mortos por Covid-19 e passa de 60 mil óbitos – July 01, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Mortes por coronavírus no mundo passam de meio milhão – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Casa Branca deseja rápida recuperação a Bolsonaro – July 07, 2020 (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Jair Bolsonaro 250 136 PERSON 19 (tacit) ele/ela (referent: O presidente Jair_Bolsonaro): 2, (tacit) ele (referent: o presidente Jair_Bolsonaro): 1, O presidente Jair_Bolsonaro: 5, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 1, Bolsonaro: 9, o presidente Jair_Bolsonaro: 1
2 Brasil 0 0 PLACE 16 O Brasil: 3, o Brasil: 7, Brasil: 6
3 eu 40 40 NONE 12 (tacit) eu: 10, me: 1, eu: 1
4 mortes 0 490 NONE 7 1.290 novas mortes: 1, 50.617 mortes: 1, as mortes: 1, mortes: 4
5 vírus 0 0 NONE 6 o vírus: 5, O vírus: 1
6 coronavírus 0 70 NONE 5 o coronavírus: 2, o novo coronavírus: 3
7 nós 0 70 NONE 4 nós: 1, (tacit) nós: 3
8 país 0 0 NONE 4 o país: 4
9 EUA 0 110 PLACE 3 os EUA: 2, EUA: 1
10 nada 80 0 NONE 3 nada: 3