Por: SentiLecto

— O Senado pretende incluir nominalmente, nesta quarta-feira, pelo menos nove categorias como beneficiárias do auxílio emergencial de R$ 600 mensais a serem pagos pelo governo federal por três meses para minimizar os efeitos econômicos da pandemia do coronavírus. Atenda-se mais pessoas chamado por senadores de » pacotão social «, o texto ainda está em elaboração e inclui outras mudanças que abrem percurso para que . O projeto faz parte de acordo entre senadores que viabilizou a aprovação do «coronavoucher» na última segunda-feira. Para que a proposta seguisse depressa para a sanção do presidente Jair Bolsonaro, os parlamentares combinaram de não fazer mudanças e exibi um novo texto com o que gostariam de ter incluído no projeto original sobre a ajudinha. Esperidião Amin relata o novo projeto. O senador aguarda a sanção de Bolsonaro do texto aprovado ontem para concluir seu parecer sobre a nova proposta. Cheque ainda: Equipe econômica pede veto a trecho de projeto que cria ajudinha de R$ 600 Veja ainda: Senado tem que votar nesta quarta-feira proposta para renda mínima de até R$ 1.500 por família; compreenda Se o presidente vetar trechos do projeto que cria a ajudinha, Amin pode fazer ajustes no seu relatório. O senador já tem uma minuta do que pretende exibi, enquanto aguarda Bolsonaro. Amin deseja incluir nominalmente entre os beneficiários: o pescador artesanal profissional e o aquicultor; o colaborado ou associado em cooperativa da agricultura familiar; o colaborado ou associado em cooperativa ou associação de catadores e catadoras de materiais reutilizáveis. Leia mais: Senado vai votar projeto que calcula suspensão de pagamento de aluguel na sexta-feira Também devem ser incluídos o taxista e o motorista de aplicativo; o motorista de transporte escolar; o caminhoneiro; os trabalhadores das artes e da cultura, entre eles, os autores e artistas, de qualquer área, setor ou linguagem artística, incluindo intérpretes e executantes, e os técnicos em espetáculos de diversões; e algumas comunidades indígenas. O relatório elaborado por Amin também tem que incluir a licença para a suspensão das parcelas de empréstimos contratados pelo Fundo de Financiamento ao Estudante da Educação Superior , para contratos adimplentes ou inadimplentes. O texto ainda tem que incluir como beneficiários pais que comandam família sozinhos. O texto aprovado pelo Senado na última segunda calculava essa chance somente para mães nessa condição. O relatório de Amin deve também autorizar que mães adolescentes — com menos de 18 anos — recebam a vantagem. Viu isso? FGTS: pagamento do saque-aniversário inicia nesta quarta-feira; cheque as normas O parecer de Amin deve ainda aumentar a ajudinha para quem recebe o Benefício de Prestação Continuada . Hoje, ele atende famílias com renda per capita menor que meio salário mínimo. A previsão do senador é que a vantagem seja recebido também por família com renda igual a meio salário mínimo. Por fim, Amin pretende criar o «Programa de Auxílio Emprego», que autoriza o Poder Executivo a firmar acordos com pessoa jurídica ou física empregadora, durante a o estado de tragédia pública, para auxiliar no pagamento dos trabalhadores formais em até três salários mínimos por trabalhador, mediante a condição de não demissão pelo fase de 12 meses após o fim da ajudinha. Mande acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra

– O Senado tem que votar na próxima segunda-feira projeto que concede R$ 600 mensais aos trabalhadores informais durante a crise do coronavírus. O primeiro vice-presidente comanda a articulação de a Casa , Antonio Anastasia. O chamado » a Câmara » aprovou coronavoucher em esta quinta-feira. A vantagem inicialmente proposta pelo governo era de R$ 200. Durante a semana, líderes da Câmara chegaram a um consenso para modificar o valor para R$ 500. No último momento, para evitar uma derrota política, o presidente Jair Bolsonaro orientou o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo , a sugeri um valor de R$ 600. Nastasia, no Twitter screveu: «Bastante importante nesse momento de obstáculos a aprovação pela Câmara de pagamento de ajudinha emergencial de R$ 600 às pessoas que tiveram sua renda comprometida, especialmente os informais, por causa do coronavírus»,.Veja também: Mulheres chefes de família vão receber ajudinha emergencial de R$ 1.200 Anastasia comanda o Senado na ausência do presidente Davi Alcolumbre , diagnosticado com coronavírus. Alcolumbre também tem participado das articulações. A eleição deve acontecer por meio de sessão remota. No texto aprovado pela Câmara dos Deputados também há a previsão de ajudinha emergencial de R$ 1,2 mil para mulheres chefes de família. Quem já recebe vantagem previdenciário e assistencial, como Benefício de Prestação Continuada , seguro-desemprego e Bolsa Família não poderá receber o coronavoucher. Mas no caso do Bolsa Família vai ser possível optar pelo voucher, que é mais positivo. Leia mais: Câmara aprova ‘coronavoucher’ de R$ 600 para informais. Veja quem pode receber Envie acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra — Para fazer com que o voucher no valor de R$ 600 chegue aos segmentos da população que mais precisam, o governo repassou aa Instituto Nacional do Seguro Social a tarefa de identificar quem serão os trabalhadores informais que vão ter direito ao ajudinha. Segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, a base de dados do INSS é mais extensa porque abrange um universo de pessoas que estão fora dos cadastros do Bolsa Família e do seguro-desemprego, dois programas já operados pelo banco. Ele declarou também que a Caixa vai fazer a maior parte do pagamento do voucher, mas precisa aguardar a aprovação do projeto pelo Senado e a sanção do presidente Jair Bolsonaro, além da edição de um decreto sobre a operacionalização da medida, a partir da próxima semana. Veja também: Mulheres chefes de família vão receber ajudinha emergencial de R$ 1.200 Para Guimarães, o maior desafio vai ser fazer com que o dinheiro chegue às mãos de quem não tem conta em banco, aparelho celular ou internet . De acordo com o projeto, o governo considerará o Cadastro Único de Programas Sociais do Governo Federal , do Ministério da Cidadania, base de dados do Bolsa Família. Mas quem não está inscrito neste cadastro pode fazer uma auto-declaração via plataforma digital. Viu isso? Dono do Giraffas demite o filho após declaração contra isolamento. Veja vídeo O projeto que assegura o pagamento do voucher aos trabalhadores informais, batizado de «coronavoucher», a Câmara dos Deputados aprovou ele em essa quinta-feira. A ajudinha vai ser pago por três meses a até duas pessoas de uma mesma família que estejam no mercado informal de trabalho, com renda mensal familiar per capita de até meio salário mínimo ou renda mensal familiar total de até três salários . Leia mais: Câmara aprova ‘coronavoucher’ de R$ 600 para informais. Veja quem pode receber Envie acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra – O presidente Jair Bolsonaro declarou ao sair do Palácio da Alvorada que vai sancionar ainda hoje o projeto que concede R$ 600 mensais aos trabalhadores informais e intermitentes durante a pandemia do coronavírus, chamado de «coronavoucher». Aprovou-se o texto em esta segunda-feira em o Senado e seguiu para a sanção presidencial. Bolsonaro voltou a defender que a retomada ao trabalho de pessoas que não estão em grupo de risco. — Não tem por que não deixar quem tem abaixo de 40 anos. Leia mais: Senado aprova e ‘coronavoucher’ segue para sanção de Bolsonaro; Veja as exigências para receber o recurso O projeto inicial do governo calculava vantagem de R$ 200, mas pressão aumentou ele de deputados que insistiram para o Planalto bancar uma fatura maior que agora terá que custar R 45 bilhões a os cofres públic
os . , , $ 45 bilhões aos cofres públicos. O texto tinha sido aprovado na Câmara na semana passada. Pela proposta, a ajudinha poderá ser pago a até duas pessoas de uma mesma família, com renda de até três salários mínimos , por três meses. Vai beneficiar-se todos os trabalhadores que não têm carteira assinada e portanto, não têm direito a o seguro-desemprego, incluindo autônomos, microempreendedores individuais e contribuintes individuais para a Previdência Social. – Trabalhadores por conta própria sem vínculo de emprego formal, ou seja, sem carteira assinada – No caso, precisam ter mais de 18 anos e ter o nome no Cadastro Único , do Ministério da Cidadania. Precisam ter renda mensal de até meio salário mínimo ou renda mensal familiar de até três salários . A ajudinha vai ser pago a até duas pessoas da mesma família. – Trabalhadores intermitentes, ou seja, aqueles que prestam serviço por horas, dias ou meses para mais de um empregador – Também precisam ser maiores de idade e estarem inscritos no Cadastro Nacional de Informações Sociais da Previdência Social, seguindo os critérios de renda acima. – Sem risco de desabastecimento: Com baixa do petróleo, Petrobras diminui custo do gás residencial em 10% – Estas vão ganhar duas cotas da vantagem, chegando a R$ 1.200. Para fazer jus aa ajudinha financeira emergencial, ela também deverá seguir os critérios de renda. – Precisam ser maiores de idade e estarem inscritos na Previdência Social como contribuintes individuais e atenderem as exigências de renda. – Microempreendedores individuais , que fazem parte de um regime tributário distinguido com faturamento anual de R$ 81 mil. Para receber a ajudinha é preciso atender o critério da renda estabelecido no projeto, além de estar inscrito na Previdência Social como contribuinte individual. – Demais trabalhadores informais que não estão inscritos no cadastros do governo e não contribuem para a Previdência Social. Estão nesse grupo vendedores ambulantes, diaristas, manicures, cabeleireiros e outras profissões. Neste caso, sera preciso fazer uma autodeclaração junto à Caixa Econômica Federal. – Quem recebe a vantagem do Bolsa Família se ele for mais positivo, vai receber a ajudinha emergencial. Essas pessoas já estão inscritas no Cadastro Único e não precisarão pedir a troca provisória da vantagem. Mas não vai ser possível acumular os dois. – Pessoas com deficiência de baixa renda que estão na fila do INSS para receber o Benefício de Prestação Continuada – O projeto permite antecipação da ajudinha para zerar a fila do INSS. – Aposentados e pensionistas do INSS. Se o vai permitir não acumular a ajudinha com renda de a aposentadoria. Aposentados não se enquadram no grupo mais vulnerável à crise. – Trabalhadores que estejam recebendo outros de espécies de vantagens previdenciários, como ajudinha enfermidade, salário-maternidade, ajudinha acidente de trabalho. – Desempregados que estejam recebendo seguro-desemprego. – Idosos e deficientes da baixa renda que recebem o Benefício de Prestação Continuada . – Beneficiários do Bolsa Família. Mas neste caso, vai ser possível trocar a vantagem pela ajudinha se ele for mais positivo. – Estudantes e talentos de casa que fazem parte da população economicamente inativa. Mande acusações, informações, vídeos e imagens para o WhatsApp do Extra

Na terça-feira 10 de março deputados e senadores voltavam a se reunir , às 14h, para votar vetos pendentes e três projetos de lei do Congresso Nacional que m mudavama divisão da erealizaçãodo Orçamento da União. Entre os vetos do presidente Jair Bolsonaro que podiam ser conservados ou derrubados pelos parlamentares estava o do projeto de lei que aumentava o limite de renda per capita familiar de quem tem direito ao Benefício de Prestação Continuada .

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Senado tem que votar hoje projeto que aumenta categorias que receberão ajudinha de R$ 600. Veja quais são
>>>>>Senado deve votar ‘coronavoucher’ na próxima segunda-feira – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Câmara aprova ‘coronavoucher’ de R$ 600 para informais. Veja quem pode receber – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>Governo confirma repasse de R$ 3 bilhões para Bolsa Família – March 25, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo oficializa medidas para flexibilizar home office, antecipar férias e abono salarial – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo editará texto complementar ao da suspensão dos contratos de trabalho – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo vai complementar salário em caso de suspensão de contrato ou jornada, prevê nova MP – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Câmara aprova projeto que concede R$ 600 a trabalhadores informais durante a crise – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo e Congresso negociam valor de pagamento emergencial a trabalhadores informais – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo avalia aumentar para R$ 300 valor a ser pago a trabalhadores informais – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>Bolsonaro recua e diz que irá revogar artigo da MP 927 que permitia suspensão de contrato e salário – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Ministério Público: ‘extrema preocupação’ com proposta de suspensão de contratos de trabalho – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Nova MP criou pânico na sociedade, diz Maia, que propoe PEC de contratações para crise – March 23, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>Governo quer permitir redução de salário e jornada de trabalho em até 50% por vírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>>>>>Mulheres chefes de família receberão auxílio emergencial de R$ 1.200 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>INSS fará levantamento de trabalhadores informais que vão receber voucher de R$ 600 – March 27, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>Coronavírus: Bolsonaro diz que vai sancionar auxílio de R$ 600 nesta terça-feira – March 31, 2020 (EntretenimientoBit)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 eu 160 50 NONE 19 (tacit) eu: 19
2 projeto 80 0 NONE 14 o projeto original: 1, O novo projeto: 1, O projeto: 2, projeto: 7, o projeto: 3
3 trabalhadores 770 125 NONE 11 todos os trabalhadores: 2, Trabalhadores intermitentes: 1, trabalhadores informais: 2, os trabalhadores informais: 3, Trabalhadores: 3
4 auxílio 0 0 NONE 9 o auxílio: 5, auxílio doença: 1, o auxílio emergencial: 1, O auxílio: 2
5 Jair Bolsonaro 0 0 PERSON 8 (tacit) ele/ela (referent: O presidente Jair_Bolsonaro): 1, Bolsonaro: 2, o presidente Jair_Bolsonaro: 2, O presidente Jair_Bolsonaro: 1, (tacit) ele/ela (referent: Bolsonaro): 2
6 Senado 0 0 ORGANIZATION 8 (tacit) ele/ela (referent: Senado): 1, Senado: 3, o Senado: 3, O Senado: 1
7 renda 0 90 NONE 7 renda igual: 1, sua renda comprometida: 1, renda mínima: 1, renda mensal: 1, renda: 3
8 Câmara 0 0 ORGANIZATION 7 Câmara: 2, a Câmara de pagamento de auxílio emergencial de R: 1, a Câmara: 2, (tacit) ele/ela (referent: Câmara): 2
9 família 0 0 NONE 7 família sozinhos: 1, família: 6
10 Amin 0 0 PERSON 6 (tacit) ele/ela (referent: Amin): 2, Amin: 4