Por: SentiLecto

A agência de classificação de risco S&P modificou a perspectiva de nota de crédito mundial da Petrobras de «positiva» para «estável» e conservou o nível de risco da dívida corporativa em «BB-«, informou a petroleira estatal em comunicado ao mercado nesta terça-feira.

O movimento acontece como resultado de movimento na véspera da S&P, que revisou a perspectiva de nota de crédito mundial brasileira para estável, mencionando os conseqüência econômicos e fiscais da pandemia do coronavírus.

– A agência de classificação de risco Standard and Poor’s revisou para «estável», de «positiva», a perspectiva para o rating soberano brasileiro, mencionando os conseqüência econômicos e fiscais da pandemia do coronavírus. A S&P conservou a nota de crédito soberano de longo prazo em moeda estrangeira em «BB-«. Em entrevista recente à Reuters, a agência havia ddeclaradoque estava avaliando a nota do país e que não necessariamente a ddanificaçãodo clima econômico significaria que areduziriam-se as perspectivas positivas dbrasileirasA S&P calculou que o crescimento da economia vai ser «severamente golpeado» pela crise do Covid-19 e calculou que o déficit fiscal do governo vai bater os 12% do PIB em 2020, ante 6% em 2020. A agência declarou que a vulnerabilidade fiscal brasileira impõe desafio ao governo de esboçar medidas para diminuir os conseqüência da pandemia. A S&P alegou ainda esperar queda na arrecadação devido à contração econômica. Ao Brasil, a agência Moody’s classifica o país como «Ba2», com perspectiva «estável», enquanto a S&P atribui nota «BB-«, e a Fitch dá ao país a nota «BB-«. O «rating» por S&P e Fitch está três degraus abaixo do mínimo para grau de investimento . Pela Moody’s, o Brasil está dois graus aquém do piso de «Baa3″. Faz 4 anos, as três agências cortaram o Brasil em os ativos locais. – Ainda é mais provável que o próximo movimento sobre a classificação de crédito soberano brasileira seja uma elevação do que um rebaixamento, declarou na segunda-feira a principal analista de crédito soberano da agência para o pais, depois que diminuiu-se a perspectiva de o Brasil para » estável «, em relação em a perspectiva » positiva » anterior.A S&P ainda espera que o governo recomece com forcita a sua consolidação fiscal assim que a crise do coronavírus concluir, declarou Livia Honsel à Reuters, embora algumas reformas importantes do governo, como as reformas tributária e administrativa, possam ser aproteladaspor alguns anos.- Os custos mundiais do petróleo vão ficar baixos pela queda acentuada da procura decorrente da crise do coronavírus, e não por disputas entre a Arábia Saudita e a Rússia no âmbito da chamada Opep+, declarou nesta quinta-feira o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco. Ainda que a crise atual vai mostrar, o executivo opinou que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo não tem mais a mesma pertinência na resolução de custos da commodity. Nesta quinta-feira, contudo, os custos do petróleo registraram os maiores ganhos diários da história, depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, alegar que espera que Rússia e Arábia Saudita anunciem um grande corte de produção, e de o jornalismo estatal saudita noticiar que o reino convidou uma reunião emergencial de produtores para lidar com o atual cenário do mercado. Castello Branco mencionou projeções de queda de procura ao argumentar sobre o tema, durante webinar realizado pela XP Investimentos. A procura mundial por petróleo pode cair em 20%, à medida que 3 bilhões de pessoas estão sob isolamento devido à pandemia, segundo avaliação da Agência Internacional de Energia . Ainda que a anunciada diminuição na produção de petróleo da Petrobras nesta semana se deu, o executivo declarou porque, de outra maneira, a companhia teria problemas de formação de estoques em um ambiente de consumo menor. Se a companhia não diminuísse a produção em um ambiente de incertezas, segundo ele deveria passar a armazenar o produto até mesmo em navios. Na véspera, diante dos desafios impostos pela crise do coronavírus, a Petrobras anunciou que a produção de petróleo da estatal vai passar a padecer cortes de 200 mil barris diários, em volume que incluiu uma diminuição anunciada em 26 de março, de 100 mil barris por dia, antes calculada para durar até o final do mês. Ainda em função da crise, Castello Branco reiterou que a estatal está operando com menor taxa de uso das refinarias, diante da queda do consumo de derivados de petróleo, e que isso redundará em uma leve diminuição da produção de GLP , cujos compras estouraram recentemente diante de temores de carência. Em relação a isso, ele tranquilizou a população, recordando que a Petrobras está importando o produto. O executivo alegou também que a estatal viu queda de cerca de 60% na procura por gasolina no mercado interno e uma diminuição profunda no consumo de querosene de aviação. Adicionou que o Brasil tem escoado uma grande colheita, o que tem garantido vendas de diesel, que auxiliam a compensar em parte o recuo na procura por outros combustíveis. No lado externo, ele declarou que a China voltou a adquiri com mais intensidade petróleo da estatal, na medida em que o país asíatico está recomeçando atividades após a crise do coronavírus.

Na sexta-feira 20 de março – A agência de classificação de risco Fitch anunciou o corte nos ratings empresas aéreas da América Latina, incluindo os de Gol e Azul, conservando-os em comentário negativo, o que pode implicar diminuições complementares. Em nota, a Fitch atribuiu a resolução ao atual cenário imposto pela pandemia do coronavírus, com forte queda esperada na procura devido a interdições de viagens, distanciamento social e atividade econômica mais lenta. Enquanto a da Gol teve diminuição de um nível, a nota de crédito da Azul caiu em dois degraus, de BB- para B também para B. «Os rebaixamentos refletiam a ampliação do risco de crédito como resultado da pandemia de coronavírus, que levaria a fluxo de caixa negativo, posições de liquidez reduzidas e balanços mais fracos», alegou a Fitch no relatório. A agência de Latam Airlines e de a Avianca também cortou as notas. As empresas aéreas da região responderam à crise com rdiminuiçõesde chabilidadeque v variavamde 30% a 50% nos mercados domésticos e até 95% nos mercados internacionais. Para a Fitch diminuições complementares de habilidade no Brasil podiam ocorrer à medida que o vírus se edisseminee sse imponham medidas mais restritivas que s sufocavama dprocuraAinda segundo a Fitch, os cortes de rating levavam em conta a expectativa de um fase de recuperação lento, a acentuada danificação da cotação e o descasamento entre os deveres de dívida e arrendamento e as receitas geradas pelas operações domésticas.

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Brazil

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>S&P revisa perspectiva da Petrobras de positiva para estável; conserva rating BB-
>>>>>S&P corta perspectiva de rating do Brasil para ‘estável’ por incertezas relacionadas ao Covid-19 – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Rating de crédito do Brasil ainda tem ser mais chance de ser elevado do que rebaixado, diz analista da S&P – April 07, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>S&P reavalia nota de crédito do Brasil diante de novo cenário de coronavírus – (Extraoglobo-pt)
>>>>>&gt
;>>>Coronavírus derruba venda de veículos novos no Brasil em março – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Petróleo ficará baixo por coronavírus e não por disputas na Opep+, diz CEO da Petrobras – April 03, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Trump diz esperar acordo entre Rússia e sauditas sobre petróleo em breve – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Preços do petróleo saltam 10% após Trump dizer que prevê acordo entre Rússia e sauditas – (Extraoglobo-pt)
>>>>>>>>>Arábia Saudita pede reunião urgente da Opep para revisar preços do petróleo – (EfeGeneric)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 SeP 0 75 ORGANIZATION 8 risco SeP: 1, A SeP: 3, a SeP: 3, (tacit) ele/ela (referent: A SeP): 1
2 o Brasil 25 0 PLACE 6 o Brasil: 5, (tacit) ele/ela (referent: o Brasil): 1
3 BB 0 0 ORGANIZATION 5 BB: 5
4 demanda 0 0 NONE 5 A demanda global: 1, a demanda: 2, demanda: 2
5 Fitch 80 0 ORGANIZATION 4 a Fitch: 4
6 o executivo 35 0 NONE 4 ele (referent: O executivo): 1, (tacit) ele/ela (referent: O executivo): 3
7 crise 0 0 NONE 4 crise: 1, a crise de o Covid-19: 1, a crise: 1, a crise atual: 1
8 redução 20 120 NONE 3 uma redução anunciada: 1, a anunciada redução: 1, uma redução profunda: 1
9 perspectiva 140 0 NONE 3 a perspectiva: 1, a perspectiva positiva: 1, perspectiva estável: 1
10 Roberto Castello Branco 0 0 PERSON 3 Castello_Branco: 2, Roberto_Castello_Branco: 1