Por: SentiLecto

– A mineradora Vale informou que obteve liminar para interromper resolução anterior que havia exigido da empresa a prestação de 7,9 bilhões de reais em garantias para assegurar eventuais pagamentos de multas pela calamidade de Brumadinho . A o desembargador Peixoto Henriques liminar concedeu ela , do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, após recurso exibido pela companhia, declarou a Vale em comunicado nesta quinta-feira. A companhia no comunicado alegou: «O desembargador considerou que não há elementos que ressaltem riscos futuros de descumprimento de uma posterior resolução sobre o caso, por parte da Vale». A suspensão irá vigorar até nova resolução do desembargador Belizario de Lacerda, que poderá ratificar ou modificar a liminar atual, adicionou a mineradora. Faz 1 mês, a primeira resolução sobre a pré-requisito de garantias, em o final veio após ação geresana. dificultado atividades de fiscalização, em suas operações em Brumadinho por meio de ações de seus funcionários. Faz 1 ano, a ruptura de uma represa de a Vale em Brumadinho deixou 259 mortos e 11 sumidos. Os quase 8 bilhões de reais em garantias debatidos na ação encarnariam o maior valor já reconhecido em processo judicial dessa natureza no Brasil, segundo o MP-MG.

– O Superior Tribunal de Justiça decidiu nesta quarta-feira conservar a proficiência da Justiça Estadual de Minas Gerais e a atribuição do Ministério Público local nas ações criminais relacionadas aa ruptura de uma represa da Vale em Brumadinho, informou o MP-MG. A defesa do ex-presidente da mineradora, Fabio Schvartsman, havia requerido a mudança da proficiência de julgamento das ações para a Justiça Federal. O relator do processo na Terceira Seção do STJ, ministro Ribeiro Dantas, compreendeu que as acusações protocoladas na Justiça de Mineral’nyje Vody podem permanecer em seu âmbito, assim como as que tramitam na Justiça Federal. Outros seis ministros O voto acompanharam ele e houve uma divergência. «Uma coisa não implica perda da outra. Se em algum momento no futuro se verificar uma conexão, os processos serão unificados perante o juízo hábil, se for o caso», declarou Dantas. De acordo com comunicado do MP-MG, Antônio Sérgio Tonet argumentou que as ações deveriam continuar sendo desenvolvidas nos eixos socioeconômico, socioambiental e criminal na esfera local. Antônio Sérgio Tonet é o procurador-geral de Justiça. Tonet alegou: «O juízo de certeza que hoje se tem é o da Justiça Estadual, que já recebeu a acusação e está processando, com as notificações necessárias, os acusados». Acontecido em janeiro de 2019, a ruptura de uma represa da Vale na mina Córrego do Feijão, no município de Mineral’nyje Vody de Brumadinho, matou mais de 250 pessoas e despejou milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro em comunidades, mata e rios da região. A Vale não respondeu de imediato a um pedido por observações. Faz 4 meses, a Justiça de Brumadinho recebeu acusação contra o ex-presidente de a Vale e outras 15 pessoas, por assassinato qualificado e crimes ambientais, referente a a ruptura de represa, em 15 de fevereiro. Na chance, a defesa de Schvartsman lamentou em nota o recebimento da acusação e alegou esperar que a inocência do ex-presidente seja reconhecida. – A suspensão das operações no complexo de produção de minério de ferro da Vale em Itabira , seguindo resolução do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais na semana passada, é «crédito negativo para a estabilidade operacional» da empresa, declarou a agência de avaliação de riscos Moody’s em nota nesta terça-feira. O TRT determinou a suspensão do complexo, que produziu 36 milhões de toneladas em 2019, ou 12% da produção da empresa, até a implementação das medidas mais rígidas de controle Covid-19. A suspensão do complexo soma riscos para a Vale em momento em que a companhia já tem produzido menos como consequência de suspensão de permissões e adequações exigidas por conta do queda de uma represa de rejeitos em Brumadinho , no ano passado. Uma vez que afeta seu fluxo de caixa, a agência declarou: «A habilidade de conservar os níveis de produção de minério de ferro é um dos principais riscos da Vale após o acidente de Brumadinho e, finalmente, sua característica de crédito a longo prazo». A Moody’s cogitou que o revés na produção dá apoio aos custos mundiais do minério de ferro, considerando que a empresa é uma das maiores produtoras da commodity no mundo. O minério de ferro está sendo negociado perto de 100 dólares por tonelada na China, «e posiciona melhor a companhia para suportar os desafios do ambiente operacional relacionados ao surto de coronavírus no Brasil e ao menor crescimento econômico mundial», adicionou a agência. Faz 1 ano, por conta do ruptura de a represa em Brumadinho, a produção de a Vale despencou para 302 milhões de toneladas de minério de ferro, ante 385 milhões de toneladas em 2018, em meio a descomissionamentos de represas de rejeitos e medidas de segurança implementadas após o acidente. Itabira faz parte do sistema Sudeste da Vale e tem duas minas a céu aberto, com três grandes usinas de beneficiamento, recordou a agência. Juntamente com Vargem Grande , Itabira é uma das minas mais antigas da Vale e está em operação desde 1957. Por enquanto, uma vez que já havia, a Vale conserva sua meta de produção para 2020 entre 310 milhões e 330 milhões de toneladas feito, nesta estimativa, um provisionamento de perdas associadas à pandemia em 2020 de até 15 milhões de toneladas. Faz 2 meses, a Vale já havia diminuído seu guidance de produção de minério de ferro em 2020 para a faixa de 310 a 330 milhões de toneladas, em comparação em a meta anterior de 340-355 milhões de toneladas, em 17 de abril.Na mais importante área de produção da Vale, em Carajás, no Pará, o crescimento de casos também tem inquietado o mercado, e a empresa em parceria com a prefeitura de Parauapebas está realizando a testagem em massa da população. Em nota no final de semana, a companhia declarou também que poderá haver «desabastecimento provisória de pelotas para o mercado interno… tendo em vista que o complexo fornece ‘pellet feed’ para as pelotizadoras do complexo de Tubarão», no Espírito Santo. – A mineradora Vale informou que obteve aprovação final para acordo sugerido após ação coletiva movida por investidores contra a empresa nos Estados Unidos na sequência da ruptura de uma represa da Samarco em Mariana em 2015. Á Vale, que é sócia da Samarco em conjunto com a anglo-australiana BHP, declarou em comunicado na noite de quarta-feira que se aprovou o acordo por o Distrito Sul de Nova York e estabelecido no valor total de 25 milhões de dólares. Faz 4 meses, a empresa havia um pré-acerto com os acionistas estrangeiros, acusaram a companhia em o processo de omitir ou ocultar informações políticas de riscos e procedimentos de segurança perdas com a calamidade de a Samarco. sobre suas, o que segundo eles teria levado a perdas com a calamidade da Samarco. A ruptura da represa brasileirobrasileiro da Samarco, matou 19 pessoas e afetou fortemente o rio Doce, em incidente que foi assinalado na época como a maior calamidade ambiental da história da Brasil. A Vale no comunicado declarou: «Em breve, o Tribunal vai proferir sentença e vai ordenar o fechamento do caso, que não poderá ser objeto de recursos e, portanto, é final e vinculativo para os membros de classe que aderiram ao acordo nesta ação coletiva».

Na quarta-feira 27 de maio – A mineradora Vale informou que uma juíza em Brumadinho deferiu parcialmente pedido de liminar para que a empresa exiba em prazo de 10 dias garantias no valor de 7,93 bilhões de reais para garantir eventuais pagamentos de multas, segundo fato pertinente nesta quarta-feira. A resolução, sobre a qual a companhia declarou ainda não ter sida intimada oficialmente, veio após ação promovida pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais, que acusou a companhia de ter dificultado atividades de fiscalização em suas operações em Brumadinho por meio de ações de seus funcionários. Faz 1 ano, a ruptura de uma represa de a Vale em Brumadinho deixou centenas de mortos. A empresa no comunicado declarou: «A Vale continuaria a contribuir com todas as inquéritos e exibiria a sua defesa, de maneira tempestiva, após mencionada, chance em que teria acesso aos autos e documentos unidos pelo MPMG».

Fonte: Extraoglobo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY NEGATIVE

Countries: Uruguay, Brazil

Cities: Minas

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Vale obtém liminar que interrompe pré-requisito de R$7,9 bi em garantias
>>>>>STJ mantém ações criminais sobre desastre de Brumadinho em competência estadual – June 10, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Suspensão do complexo de Itabira é negativa para crédito da Vale, diz Moody´s – (Extraoglobo-pt)
>>>>>Vale tem aprovado em NY acordo para encerrar ação de investidores sobre Samarco – June 11, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Vale diz que Justiça manda interditar complexo de mineração de Itabira – (Extraoglobo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 a Vale 0 40 PLACE 17 A mineradora Vale: 3, (tacit) ele/ela (referent: A mineradora Vale): 1, a Vale: 10, (tacit) ela (referent: A mineradora Vale): 1, A Vale: 2
2 companhia 180 90 NONE 16 A companhia: 1, a companhia: 7, a empresa: 8
3 Brumadinho 0 50 PERSON 8 Brumadinho: 5, (tacit) ele/ela (referent: Brumadinho): 3
4 Itabira 0 0 PERSON 5 (tacit) ele/ela (referent: Itabira): 2, Itabira: 3
5 comunicado 0 0 NONE 5 o comunicado: 3, comunicado: 2
6 toneladas 0 0 NONE 5 toneladas: 5
7 ação 60 0 NONE 4 ação coletiva: 1, ação promovida: 1, esta ação coletiva: 1, a ação: 1
8 liminar 0 0 NONE 4 liminar atual: 1, liminar: 3
9 o Ministério_Público_do_Estado_de_Minas_Gerais 0 150 PLACE 3 o Ministério_Público_do_Estado_de_Minas_Gerais: 3
10 oportunidade 105 0 NONE 3 a oportunidade: 1, oportunidade: 2