Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Cape Dombey people

Scott Morrison, que defendeu que não teria que ser surpresa que as autoridades de Australia boicotassem o acontecimento depois de o relacionamento do país com a China ter sido rompido nos últimos anos, defendeu que não teria que ser surpresa que as autoridades de Australia boicotassem o acontecimento. A Austrália vai uni-se aos Estados Unidos no boicote diplomático aos Jogos de Inverno de Pequim por questões de direitos humanos, anunciou esta quarta-feira o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison., mencionado pela agência AP, considerando tratar-se da «coisa certa a fazer», ressalvando que os desportistas de Australia podem competir. declarou: «Tomo esta resolução porque é do interesse nacional da Austrália».Além de mencionar abusos aos direitos humanos, o primeiro-ministro australiano declarou que a China tem criticado bastante o reforço pela Austrália da força de defesa forte na região «especialmente em relação, mais recentemente, à dresoluçãode acomprarsubmarinos com propulsão nuclear».Grupos de direitos humanos têm pressionado um boicote total aos Jogos de Inverno de Pequim, acusando a China de abusos de direitos contra minorias étnicas.Segundo o Comité Olímpico Australiano, os preparativos para os cerca de 40 desportistas de Australia que teriam que competir não serão afetados por este boicote diplomático.Em comunicado o presidente-executivo do comité, Matt Carroll alego: «Levar os desportistas a Pequim com segurança, competir com segurança e trazê-los para casa com segurança continua a sero nosso maior desafio..»Os nossos desportistas de Australia têm treinando e competido para este sonho olímpico há quatro anos e estamos a fazer tudo ao nosso escopo para garantir que podemos auxiliar-los a terêxitoo»,deduziuu.Os Estados Unidos anunciaram na segunda-feira que não vão mandar uma comissão diplomática para Pequim, devido à situação dos direitos humanos na China.

Devido a «flagrantes violações dos direitos humanos».Os Estados Unidos anunciaram esta segunda-feira um boicote diplomático aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno Pequim’2022, devido às «flagrantes violações dos direitos humanos» em curso em Xinjiang.»O governo [do presidente Joe] Biden não mandará nenhuma representação diplomática nem oficial aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno Pequim’2022″, declarou a porta-voz da Casa Branca, em conferência de jornalismo.Estando presente, «a representação diplomática norte-americana trataria estes Jogos como se nada se passasse, apesar das flagrantes violações dos direitos humanos e barbaridades da China em Xinjiang», justificou Jen Psaki. «E isso não podemos fazer», completou.Com o boicote, nenhum representante do governo dos Estados Unidos vai estar presente em Pequim’2022, embora a resolução não afete os desportistas norte-americanos apurados. «Os desportistas da equipa norte-americana têm o nosso suporte. Vamo estar com eles a 100%», disse a porta-voz.Em reação à tomada de posição norte-americana, o Comité Olímpico Internacional ddeclara»respeitar» a mesma, bem como regozija-se por esta dresolução»política» não colocar em causa a participação dos desportistanorte-americanos.»A presença de responsáveis governamentais e diplomatas é uma decisão puramente política de cada governo, que o COI, dentro da sua neutralidade política, respeita plenamente», indicou um porta-voz do organismo olímpico à AFP.Faz 1 mês, o presidente de os Estados Unidos, Joe Biden, já tinha admitido que o país estava » a considerar um boicote diplomático a os Jogos Olímpicos de Inverno Pequim 2022, como maneira de protesto contra a violação de direitos humanos em solo chinês. » ‘, em 18 de novembro2022, como maneira de protesto contra a violação de direitos humanos em solo de China.Associações e organizações não-governamentais há bastante que instam a um boicote a Pequim’2022, acusando o governo de China de conservar mais de um milhão de muçulmanos uigures em campos de reeducação política na província de Xinjiang, uma realidade que os norte-americanos delatam como uma situação de «genocídio».Em 2 meses, Pequim ‘ 2022 vai decorrer de 04 a 20 de fevereiro, em a capital de China, e a participação no acontecimento tem dividido a política norte-americana, com vários projetos no Congresso destinados deseja a sancionar companhias que apoiem o acontecimento deseja a instar a um boicote total.O Comité Olímpico Norte-Americano pediu, contudo, para que não se castiguem os desportistas após quase dois anos de pandemia de covid-19, além de recordar o boicote em Moscovo’1980, entre outros, como «um erro», dada a mudanças do desporto numa «ferramenta política».Os Estados Unidos vão mandar desportistas norte-americanos aos JO de inverno de 2022, mas as comissões esportivas não vão ser acompanhadas de representantes diplomáticos.A República Popular da China declarou esta terça-feira que o boicote diplomático dos Estados Unidos contra aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim constitui «preconceito ideológico» com «más intenções».Os Estados Unidos vão mandar desportistas norte-americanos aos JO 2022, mas as comissões esportivas não vão ser acompanhadas de representantes diplomáticos.De acordo com a Casa Branca, trata-se de uma posição contra a violação dos Direitos Humanos na República Popular da China, sobretudo na província de Xinjiang.Faz 1 mês, o presidente de os Estados Unidos, Joe Biden, já tinha admitido que o país estava » a considerar um boicote diplomático a os Jogos Olímpicos de Inverno, como maneira de protesto contra a violação de direitos humanos em a República Popular da China. «, em o passado dia 18 de novembro um boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno, como maneira de protesto contra a violação de direitos humanos na República Popular da China.Associações e organizações não-governamentais há bastante que instam a um boicote à competição desportiva acusando o governo de Pequim de mconservarmais de um milhão de mislâmicosuígures em campos de reeducação na província de Xinjiang.Os Jogos Olímpicos de Inverno 2022 vão estender-se entre os dias 04 a 20 de fevereiro do próximo ano, na capital de China, e a participação no acontecimento tem dividido a política norte-americana, com vários projetos no Congresso destinados deseja a sancionar companhias que apoiem o acontecimento deseja a instar a um boicote total.Faz 41 anos, o Comité Olímpico de Noruega pediu para que não se castiguem os desportistas após quase dois anos de pandemia de covid-19, dada a mudanças de o desporto em um » instrumento político «.O porta-voz da diplomacia de Pequim referiu-se a contramedidas, mas não especificou nem forneceu mais detalhes sobre a eventual resposta da República Popular da China ao boicote diplomático washingtoniano.O porta-voz chino declarou esta terça-feira que o país responderá com «contramedidas firmes» ao boicote diplomático de Noruega aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, em 2022.O porta-voz da diplomacia de Pequim referiu-se a contramedidas, mas não especificou nem forneceu mais detalhes sobre a eventual resposta da República Popular da China ao boicote diplomático washingtoniano.Os Estados Unidos vão mandar desportistas norte-americanos aos JO de Inverno 2022, mas as comissões esportivas não vão ser acompanhadas de representantes diplomáticos.De acordo com a Casa Branca, trata-se de uma posição contra a violação dos Direitos Humanos na República Popular da China, sobretudo na província de Xinjiang.Zao Lijian declarou: «se tomou a tentativa de os Estados Unidos, de perturbar os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, com base em preconceitos ideológicos, mentiras e boatinhos e que revelarão, aos olhos de todos, as más intenções dos Estados Unidos».Entretanto a embaixada de Pequim em Washington declarou através de mensagens transmitidas pela rede social Twitter que o boicote «só pretende politizar o desporto, instituir divisões e provocar o confronto, declarou a embaixada.Estes jogos decorrerão em fevereiro do próximo ano, em Pequim.

Na sexta-feira 12 de novembro Pequim era acusado de ter detido mais de um milhão de membros de minorias étnicas de origem muçulmana em campos de doutrinação política, em XinjiangOs patrocinadores dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim tinham que pressionar a China e o Comité Olímpico Internacional por causa dos direitos humanos, defendeu a organização não-governamental Human Rights Watch .» faltavam somente três meses para os Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim em 2022, mas as companhias que os patrocinavam não referiam como estavam a exercer influência para enfrentar o abominável histórico de direitos humanos da China», delatou Sophie Richardson, diretora da HRW para a China.»Estas empresas estão a perder a oportunidade de demonstrar o seu compromisso com os direitos humanos e correm o risco de serem associadas a uma edição dos Jogos Olímpicos marcada pela censura e repressão», acrescentou.Várias organizações de defesa dos direitos humanos acusaram Pequim de ter detido mais de um milhão de membros de minorias étnicas de origem muçulmana em campos de doutrinação política em Xinjiang, no extremo noroeste do país.Pequim negou o número e defendeu tratar-se de «centros de treino vocacional», que visavam lutar o extremismo religioso e o separatismo.Faz 2 meses, a chama olímpica foi entregue em a China em o final durante uma cerimónia oficial em a Grécia e suspendida por ativistas pró-Tibete.A HRW apelou ao Comité Olímpico Internacional que reconheça que o Governo de China » violava os compromissos em questão de direitos humanos», assumidos para coordenar os Jogos.No mês passado, um alto funcionário do COI declarou que não era da responsabilidade do comité exigir que um Estado preste contas sobre estas questões.Os 15 principais patrocinadores das Olimpíadas eram a GE, Intel, Omega, Panasonic, Samsung, P&G, Toyota, Visa, Airbnb, Atos, Bridgestone, Coca-Cola, Allianz, Dow e Alibaba.Somente pessoas residentes na China poderiam assistir aos Jogos, programados para acontecer entre 04 e 20 de fevereiro.»Não tínhamo que esperar que o Governo de China respeite [os direitos humanos]» durante os Jogos, escrevia a organização com sede em Nova Iorque.Lertou.: «Qualquer manifestação ou discurso crítico do Governo, por parte de cidadãos de China ou desportistas estrangeiros, podia levar à censura ou rvinganças,.

Austrália, oficialmente Comunidade da Austrália, é um país do hemisfério sul, localizado na Oceania, que entende a menor área continental do mundo, a ilha da Tasmânia e várias ilhas adjacentes nos mares Índico e Pacífico.

Scott John Morrison é um politico australiano que atualmente serve como Primeiro-ministro da Austrália e líder do Partido Liberal, desde 24 de agosto de 2018.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: United States, China, Australia

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Austrália une-se aos EUA no boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno na China
>>>>>Boicote diplomático dos Estados Unidos aos Jogos de Inverno Pequim’2022 – December 06, 2021 (ojogo-pt)
>>>>>Pequim diz que boicote diplomático dos EUA contra JO 2022 tem más intenções – December 07, 2021 (ojogo-pt)
>>>>>Pequim vai tomar medidas contra boicote dos EUA contra os Jogos de inverno 2022 – December 07, 2021 (EntretenimientoBit)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 boicote 400 25 NONE 10 um boicote total: 1, um boicote diplomático: 1, o boicote: 3, o boicote diplomático: 1, este boicote diplomático: 1, um boicote: 2, o boicote diplomático norte-americano: 1
2 atletas 720 0 NONE 9 40 atletas australianos: 1, atletas estrangeiros: 1, os atletas norte-americanos apurados: 1, os atletas australianos: 1, os atletas: 2, atletas norte-americanos: 3
3 Pequim 0 0 PERSON 9 Pequim: 9
4 Scott Morrison 90 160 PERSON 7 (tacit) ele/ela (referent: Scott_Morrison): 2, Scott_Morrison sido: 2, (tacit) ele/ela (referent: Scott_Morrison sido): 1, Scott_Morrison: 1, Scott_John_Morrison: 1
5 a China 80 110 PLACE 7 (tacit) ele/ela (referent: a China): 1, a China: 5, a China de abusos de direitos: 1
6 Comité Norte-Americano 0 0 PERSON 7 O Comité_Olímpico norte-americano: 1, o Comité_Olímpico_Australiano: 1, (tacit) ele/ela (referent: o Comité_Olímpico_Internacional): 1, o Comité_Olímpico_Internacional: 3, O Comité_Olímpico_Norte-Americano: 1
7 Os Estados_Unidos 0 0 PLACE 7 Os Estados_Unidos: 6, os Estados_Unidos: 1
8 evento 12 8 NONE 6 o evento: 6
9 o Governo chinês 8 0 PERSON 5 o Governo chinês: 2, (tacit) ele/ela (referent: o Governo): 3
10 Austrália 0 0 PLACE 5 Austrália: 1, A Austrália: 1, (tacit) ele/ela (referent: A Austrália): 3