Por: SentiLecto

As três listas exibiram programas que se centram em assuntos semelhantes, mas com objetivos diferentes, sobretudo nas questões ligadas ao futebol, à requalificação do Complexo do Restelo, aos sócios e às modalidades.Os sócios do Belenenses decidem no sábado o futuro do clube, numas votações com três candidatos de visões distintas, que contrapõem na permanência do percurso de retorno aos escalões profissionais de futebol ou na recompra da SAD.O advogado e atual presidente Patrick Morais de Carvalho lidera a lista A, sob o lema Belenenses com Futuro, conservando Pedro Pestana Bastos e João Morão como presidentes da Mesa da Assembleia-Geral e do Conselho Fiscal e Disciplinar , respetivamente.Na lista B, exibe-se ao sufrágio o economista Carlos Canhoto Fernandes, que, perante o lema Erguer os Belenenses, tem Fernando Veiga Gomes como presidente da MAG e Jorge Gomes Pedro a liderar o CFD.O gestor Luís Figueiredo candidata-se à direção do clube, João Tarrana à MAG e Luís Filipe Pinto ao CFD, pela lista C, tendo como lema Respeitar a História.As três listas exibiram programas que se centram em assuntos semelhantes, mas com objetivos diferentes, sobretudo nas questões ligadas ao futebol, à requalificação do Complexo do Restelo, aos sócios e às modalidades. Quando o protocolo de uso do Restelo concluiu, após o litígio com a SAD, que enquanto a atual tiver existência legal», contrariando as ideias da lista de Patrick Morais de Carvalho, que mudou a equipa profissional para o Estádio Nacional, em Oeiras no começo da temporada 2018/19, o clube inscreveu uma equipa de futebol sénior na última divisão distrital de Lisboa, com o objetivo de percorrer todos os escalões até regressar aos campeonatos profissionais. Já Carlos Canhoto Fernandes lembra que, em 2012, foi «dos poucos a votar contra a abertura do capital social da SAD», e deixa críticas à atual direção pela «ausência de um verdadeiro projeto desportivo, psugerindose a «tornar o Belenenses novamente num clube desportivode referência a nível nacional e aquele com maior implantação de prática desportiva em Lisboa.A requalificação do Complexo do Restelo é uma das principais críticas assinaladas pelos inimigos à direção de Patrick Morais de Carvalho, sobretudo pela lista C, que considera ter sido «completamente ndescuidado, aexibindoum projeto que permita aprogredircom «as obras cadmiradasno PIP [Pedido Prévio de Intervenção]», aprovado em 2016.Carlos Canhoto Fernandes defende a criação de «um grupo de trabalho totalmente dedicado à requalificação do Complexo», ao passo que Patrick Morais de Carvalho ecompreendeque o processo «deverá ser concretizado de fmaneiraprogressiva, parcela a parcela, de fmaneiraautónoma».Enquanto Carlos Canhoto Fernandes sugere a criação, as três listas desejam ampliar o número de sócios do Belenenses, sendo «prioridade diária e permanente» de Patrick Morais de Carvalho de «campanhas de angariação e recuperação» e Luís Figueiredo justifica a diminuição do número de associados por «não se reverem nos últimos anos da administração do clube e desesperarem por não terem futebol profissional no Restelo».No que concerne às modalidades do clube, é prioridade das candidaturas promover a competitividade das mesmas, com os oinimigosà atual direção a defenderem novos modelos de geadministração sufrágio decorre entre as 10:00 e as 19:00 horas de sábado, no Polidesportivo Dr. Ramos Lopes, ao ar livre, junto ao pavilhão Acácio Rosa, devido à situação atual da pandemia de covid-19, no qual os sócios do clube da Cruz de Cristo poderão eselecionarquem pretendem ver a comandar o clube no triénio 2020-2023.

O atual presidente do símbolo do Restelo concorre a um terceiro mandato e explicou a O JOGO porque pretende continuarNa presidência do Belenenses desde 2014, Patrick Morais de Carvalho candidata-se a um terceiro mandato. Nas votações estão marcadas para sábado, o atual presidente dirige a lista A e tem como oponentes Carlos Canhoto Fernandes e Luís Figueiredo .Em entrevista a O JOGO, publicada esta quarta-feira na edição impressa, o líder dos azuis do Restelo explicou as razões da recandidatura: «Em primeiro lugar, progressão por um imperativo de consciência. Não podia ficar bem comigo próprio senão me exibisse como solução. Fomos nós que começamo este percurso, que é quase como um refundação do clube», vincou o dirigente, recordando que «a equipa sénior iniciou na III Divisão distrital e agora está na primeira» e que «as questões com a SAD estão longe de estar resolvidas».O advogado, de 50 anos, declara que a sua recandidatura se prende em quatro vetores. O primeiro passa pelo retorno da equipa de futebol sénior às ligas profissionais. «É algo prioritário, para que isso ocorra devemo subir de divisão em divisão. Já estamos na I Divisão da AF Lisboa e para o ano podemos marcar presença no Campeonato de Portugal e na Taça de Portugal», destacou, adiantando que o clube pretende instituir uma no Sociedade Desportiva em breve: «Pode ser amanhã, daqui a um mês ou um ano. Desde logo, deverá ficar em aberto que esta futura SAD ou SDUQ tem de ser detida maioritariamente pelo clube.»O segundo vetor do atual presidente e candidato da lista A está relacionado com a requalificação do Restelo e das Salésias, enquanto o terceiro passa pela ecletismo e o quarto passa por uma política cada vez mais próximas dos sócios.»Último cartucho da SAD»Há alguns anos que as relações entre o clube e a SAD, liderada pela Rui Pedro Soares, estão tensas. Quando a SAD deixou o Restelo, o ponto alto das divergências entre as duas entidades ocorreu no verão de 2018 e foi jogar para o Estádio Nacional, isto depois de o clube ter feito a acusação do protocolo. «Aquela equipa já não estava no coração de nenhum belenense. Os jogos não tinham mais do que 100 pessoas a assistir e acabou por ser um favor que nos fizeram. Apesar de não esperarmos essa situação, porque desejávamo negociar um novo protocolo. Uma coisa era 10 por cento na Sociedade, a outra era ter 51 por cento. Se negou isso a partir do momento em que , o protocolo devia ser diferente. Qualquer pessoa percebia isso», criticou Patrick Morais de Carvalho.O presidente do Belenenses declara que ainda que, a aquando da saída do Restelo, «a SAD atuou com a prepotência e sobranceria habitual e que pensou que os sócios iam todos a correr para o Jamor». «Só pensaram isso porque não conhecem a essência do Belenenses, porque jamais conheceram, nem desejaram conhecer. Estamos no distrital, mas temos milhares de pessoas nos nossos jogos. Já no Jamor estão 50 ou 100 pessoas que não sabemos quem são», adicionou.Para o dirigente, a Sociedade, ao qual chama de B-SAD, joga «o último cartucho nestas votações através da lista C». «Se vencermos as votações, acredito que vão deixar de usar o nome Belenenses e vão para Grândola, unindo-se uma outra associação de futebol», atirou.As dívidas do TotonegócioPatrick Morais de Carvalho tem sido acusado pelo homólogo da SAD, Rui Pedro Soares, de aproveitar receitas da Sociedade para pagar a dívida relativa ao Totonegócio. O presidente do símbolo do Restelo explica por que razão retém esses valores. «Essas dívidas eram da SADs, mas os clubes é que ficaram como titulares da mesma. É verdade que foram cativas vários protagonismos à SAD como também foram ao clube para alocar ao pagamento do Totonegócio. Agora, não aceito que a SAD declare que está a pagar dívidas do clube. Enquanto o protocolo esteve em forcita, cujo saldo, existia uma conta corrente foi sempre favorável ao clube. Agora também declaro que, a partir do momento em que se deixarem de chamar Belenenses e passarem a ser o Grândola, já não ficará cativa nenhum protagonismo à FPF», ressalvou.Desilusão com a LigaO presidente do Belenenses confessa-se decepcionado com o facto de a Liga continuar a deixar que a SAD use o nome do clube. «Estava assegurado que o nome Belenenses SAD não ia constar, mas chegou à primeira jornada e ainda lá estava. Sei que isso só ocorreu por causa das votações», lamentou.Por outro lado, Patrick Morais de Carvalho congratula a Federação Portuguesa de Futebol «por ter começado a usar o termo B-SAD nas suas competições».O projeto admira ainda um hospital de melhora, um centro de estágio e um colégio.Clube estável financeiramentePatrick Morais de Carvalho não tem dúvidas de que o Belenenses está melhor agora do que em 2014, ano em que assumiu a presidência. Lembra: «Nessa altura, havia só 400 euros em todas as contas e um PER que parecia inimaginável de satisfazer com as receitas que o clube tinha».Além do PER, o clube ainda tinha uma dívida à Oitante, que jse a liquidou já .»A venda da parcela do Lidl permitiu para pagar a dívida à Oitante e conseguimos lerguera penhora que havia do Complexo do Restelo. Neste momento, já conseguimos também liquidar as nossas dívidas à Autoridade Tributária e à Segurança Social», acadicionaatrick Morais de Carvalho.O dirigente enfatiza ainda que «desde há quatros os funcionários têm os salários em dia» e realça a determinação do problema da bingo. «Apesar de termos fechado durante a pandemia, está numa situação estável. Faz 1 ano, conseguimos obter uma permissão de 20 anos é o segundo bingo de o país com mais lucro destacou Patrick Morais de Carvalho, em 2019 e.O economista pretende fazer várias parcerias com autarquias da zona metropolitana de Lisboa, como Oeiras, Cascais e Sintra ou até mesmo, se for eleito com municípios da Margem Sul do Tejo. «Somos um clube nacional e uma marca bastante forte. Em qualquer sítio do país há um belenense. Mas parece que este momento o nosso crescimento está mitigado e precisamos de marcar o alargamento, porque somos uma marca forte. Por exemplo, dada a proximidade do Restelo, vejo com bons olhos a criação de um centro de estágios em Oeiras», assinala.As votações do Belenenses são no sábado. Carlos Canhoto Fernandes concorre contra o atual presidente Patrick Morais de Carvalho e Luís Figueiredo .

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: SLIGHTLY POSITIVE

Countries: Portugal

Cities: Oeiras, Lisbon

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Belenenses clube vai a votações no sábado: conheça as ideias dos candidatos
>>>>>Patrick Morais de Carvalho explica razões da recandidatura à presidência do Belenenses – October 14, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>Jogo em atraso entre Belenenses e Madeira SAD reagendado novamente – October 13, 2020 (ojogo-pt)
>>>>>Os planos de Patrick Carvalho para o Complexo do Restelo – October 14, 2020 (EntretenimientoBit)
>>>>>»Rui Pedro Soares teve atitudes de falta de respeito com os sócios» – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 nós 270 0 NONE 18 nos: 1, (tacit) nós: 15, nós: 2
2 eu 80 0 NONE 13 (tacit) eu: 12, me: 1
3 SAD 0 40 ORGANIZATION 12 a SAD: 11, (tacit) ele/ela (referent: a SAD): 1
4 Patrick Morais de Carvalho 32 0 PERSON 9 (tacit) ele/ela (referent: Patrick_Morais_de_Carvalho): 1, Patrick_Morais_de_Carvalho: 7, o atual presidente Patrick_Morais_de_Carvalho: 1
5 clube 40 0 NONE 7 Clube: 1, o clube: 6
6 Carlos Canhoto Fernandes 25 0 PERSON 7 o economista Carlos_Canhoto_Fernandes: 1, Carlos_Canhoto_Fernandes: 4, (tacit) ele/ela (referent: Carlos_Canhoto_Fernandes): 2
7 eleições 0 0 NONE 5 as eleições: 2, eleições: 1, umas eleições: 1, estas eleições: 1
8 o Restelo 0 0 PLACE 5 o Restelo: 5
9 Belenenses 100 0 ORGANIZATION 4 o nome Belenenses: 1, o Belenenses: 1, Belenenses: 1, o lema Belenenses: 1
10 Belenenses SAD 0 0 PERSON 4 o nome Belenenses_SAD: 1, (tacit) ele/ela (referent: o nome Belenenses_SAD): 3