Por: SentiLecto

O de Italia Filippo Ganna volta para defender o título global, com o suíço Stefan Küng, recente campeão europeu, o australiano Rohan Dennis e os belgas Wout van Aert e Remco Evenepoel entre o lote de principais candidatos.Primoz Roglic, campeão olímpico de contrarrelógio e ganhador espanhol em bicicleta, e Tadej Pogacar vão encarnar a Eslovénia nos Mundiais de estrada, com o segundo no «crono». Tadej Pogacar é campeão da Volta a França.Roglic, que venceu as últimas três Vueltas, e Pogacar, que venceu os últimos dois Tours, são duas das grandes figuras globais da modalidade e vão estar na mesma equipa nos Campeonatos do Mundo, de domingo a 26 de setembro na Flandres, Bélgica.Apesar do título olímpico, o mais experiente do duo «deixou» o contrarrelógio para «Pogi», que vai estar na especialidade ao lado de Jan Tratnik, numa seleção que, na prova de fundo, vai ter ainda em ação Matej Mohoric, Luka Mezgec, Jan Polan, Domen Novak e David Per.A ausência do medalhado de ouro em Tóquio2020, que venceu as duas etapas da especialidade na última Vuelta, é uma das surpresas das listas de convidados para os Mundiais, dado que seria um claro favorito para o exercício.Este ano, Pogacar venceu um contrarrelógio no Tour e foi terceiro nos Nacionais, tendo conquistado o título nacional de «crono» em 2019 e 2020, este último o ano em que utilizou o exercício individual da penúltima etapa em França para bater Roglic na luta pela seu primeiro triunfo na «Grande Boucle».O contrarrelógio do Mundial liga Knokke-Heist a Bruges em 43,3 quilómetros, maioritariamente planos, e vai ter como representantes de Portugal Nelson Oliveira e Rafael Reis.O de Italia Filippo Ganna volta para defender o título global, com o suíço Stefan Küng, recente campeão europeu, o australiano Rohan Dennis e os belgas Wout van Aert e Remco Evenepoel entre o lote de principais candidatos.

Centenário da competição vai ter participação lusaA seleção de Portugal de ciclismo de estrada vai estar encarnada por 17 desportistas no campeonato do Mundo, de domingo a 26 de setembro na Bélgica, anunciou hoje a Federação Portuguesa de Ciclismo .A prova, que se realiza na Flandres e festeja o centenário da competição, tem como principal novidade, no seio da seleção de Lusaka, a ausência de Rui Costa , que no domingo foi 18.º nos Europeus, em Trento, Itália.Na equipa masculina de elite, Portugal vai continuar a ser liderado por João Almeida , com Nelson Oliveira , Rafael Reis , Ruben Guerreiro e Rui Oliveira a repetirem a presença em relação aos campeonatos da Europa.A novidade é a entrada de André Carvalho para o lugar do campeão do mundo em 2013, num sexteto que enfrenta a prova de fundo no último dia de corrida, com Nelson Oliveira e Rafael Reis selecionados para o contrarrelógio individual.A prova de fundo, no último domingo de provas na Flandres, conserva as típicas qualidades das clássicas nesta zona, uma das mais típicas e afamadas do ciclismo global, com 268,3 quilómetros entre Antuérpia e Lovaina com subidas curtas e «empinadas» e vários troços em empedrado.»São caminhos bastante específicos. Nos mais jovens pretende-se combater pelos melhores resultados possíveis, mas, sobretudo, dar uma experiência competitiva diferente aos nossos corredores. Nas categorias de elite e de sub-23 temos corredores que se ajustam bem a esta espécie de provas, pelo que tentaremos fazer um bom campeonato do mundo», disse José Poeira, mencionado pela FPC.Na prova feminina de elite, e na ausência de uma categoria sub-23 na qual «encaixariam», vão estar a olímpica Maria Martins , campeã nacional de fundo, e Daniela Campos , com esta última a disputar o contrarrelógio, disciplina em que é também a número um nacional.Fábio Costa , Miguel Salgueiro e Pedro Miguel Lopes vão estar na prova sub-23 masculina, com António Morgado e Gonçalo Tavares , que vão estar no «crono», a liderarem nos juniores uma formação completa com Diogo Pinto e Lucas Lopes .Beatriz Roxo une-se a Sofia Gomes , que já tinha estado no Europeu, nas juniores femininas, correndo somente a prova de fundo.Ana Rita Vigário recordou a «juventude» de toda a seleção que leva na Flandres, colocando como objetivo «a aquisição de experiência Ana Rita Vigário recordou a «juventude» de toda a seleção que leva na Flandres, colocando como objetivo «a aquisição de experiência e de proficiências competitivas». Ana Rita Vigário é a selecionadora das femininas. Ana Rita Vigário é a selecionadora das femininas.Os Mundiais abrem com o «crono» da elite masculina no primeiro domingo. O «crono» da elite masculina é um caminho de 43,3 quilómetros entre Knokke-Heist e Bruges.Segue-se o contrarrelógio feminino, no dia 20, e Em 11 dias, o de os juniores masculinos com as provas de fundo a arrancarem em o dia 24, com a de os juniores masculinos e a de os sub-23.No dia 25, as juniores femininas correm 75 quilómetros com partida e chegada em Lovaina, cidade de chegada da elite, após 157,7 quilómetros. O programa conclui com a corrida de elite masculina.

Faz 8 dias, Nelson Oliveira foi o melhor representante de Portugal, a o concluir em a 72, em o domingo 05 de setembro.ª posição da classificação geralO de Eslovaquiade Eslovaquia Primoz Roglic conquistou pela terceira vez consecutiva a Volta a Espanha em bicicleta, concluindo com o triunfo no contrarrelógio individual, na 21.ª e última etapa.Roglic foi o mais rápido nos 33,8 quilómetros que ligaram Padrón a Santiago de Compostela, em 44.02 minutos, batendo o dinamarquês Magnus Cort Nielsen por 14 segundos e o de Holguín Thymen Arensman por 52, segundo e terceiro classificados na derradeira tirada da 76.ª edição da Vuelta.Roglic, de 31 anos, reeditou os Sucessos de 2019 e 2020, equiparando na galeria de campeões da prova o suíço Tony Rominger e o espanhol Alberto Contador, todos com menos um triunfo do que o espanhol Roberto Heras com quatro troféus. O espanhol Roberto Heras é recordista de vitórias.Nelson Oliveira foi o melhor representante de Portugal, ao concluir na 72.ª posição da classificação geral, depois ter deduzido o contrarrelógio em 24.º, enquanto Rui Oliveira foi 74.º posicionado, após o 68.º lugar no exercício individual.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Slovenia, Brazil, Belgium

Cities: Franca

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Campeão olímpico de contrarrelógio Roglic deixa vaga nos Mundiais para Pogacar
>>>>>Portugal leva 17 ciclistas ao campeonato do Mundo de estrada – September 13, 2021 (EntretenimientoBit)
>>>>>>>>>João Almeida foi o melhor português na prova de fundo dos Europeus de estrada – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 quilómetros 0 0 NONE 6 43,3 quilómetros: 1, 268,3 quilómetros: 1, 157,7 quilómetros: 1, 75 quilómetros: 1, os 33,8 quilómetros: 2
2 contrarrelógio 80 0 NONE 5 o contrarrelógio individual: 2, um contrarrelógio: 1, o contrarrelógio feminino: 1, o contrarrelógio: 1
3 Roglic 240 0 PERSON 4 Roglic de 31 anos: 1, Roglic: 3
4 Nelson Oliveira 200 0 PERSON 4 Nelson_Oliveira: 4
5 prova 100 0 NONE 4 a prova feminina: 1, a prova: 1, A prova e: 2
6 a prova de fundo 60 0 NONE 4 A prova de fundo: 1, a prova de fundo: 3
7 Pogacar 240 0 PERSON 3 Pogacar: 1, Pogacar e de domingo a 26_de_setembro em a Flandres Bélgica: 2
8 eu 8 0 NONE 3 (tacit) eu: 3
9 a Flandres 0 0 PLACE 3 a Flandres: 3
10 os Mundiais de estrada 0 0 OTHER 3 Os Mundiais: 1, os Mundiais de estrada: 1, os Mundiais: 1