Por: SentiLecto

Foto: Wikipedia – Diego Maradona Napoli

O velório público decorrerá esta quinta-feira, das 6h00 às 16h00 , imencionoua presidência ade Argentina O corpo da lenda do futebol Diego Maradona, que dos melhores futebolistas da história, faleceu na sua residência, na Argentina, aos 60 anos, anunciou o agente e amigo Matías Morla, chegou na madrugada desta quinta-feira ao palácio presidencial argentino em Buenos Aires, onde decorrerá o velório, de acordo com as imagens dos canais esportivos TyC e ESPN. Centenas de pessoas aguardavam, em fila, no exterior do palácio presidencial para se despedirem do campeão global de 1986, no velório público que decorrerá esta quinta-feira, das 6h00 às 16h00 , imencionoua presidência ade ArgentinaA ex-mulher do ídolo Claudia Villafañe e as duas filhas, Dalma e Gianinna, já se deslocaram à Casa Rosada, sede da presidência dargentinao presidente seguiu elas de a Associação de Futebol Argentino , Claudio Tapia, e por vários jogadores e ex-futebolistas, incluindo os companheiros de equipa de Maradona no Campeonato Mundial de 1986, que a «Albiceleste» ganhou no México.Segundo o jornalismo de Argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia y Esgrima, padeceu uma paragem cardíaca na sua vivenda na província de Buenos Aires.A sua carreira de futebolista, de 1976 a 2001, ficou marcada pela conquista, pela Argentina, do Mundial de 1986, no México, e os dois títulos italianos e a Taça UEFA ganhos ao serviço dos italianos do Nápoles.O Presidente da Argentina decretou três dias de luto nacional pela morte de Maradona. O Presidente da Argentina é alberto Fernández.

No começo da tarde de hoje, o jornalismo de Argentina havia divulgado que ‘El Pibe’, como era conhecido no país de origem, havia padecido uma parada cardíaca, na residência onde vivia, em Buenos Aires.O argentino Diego Maradona, um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos, faleceu nesta quarta-feira, aos 60 anos, em casa, segundo confirmou o agente e amigo do antigo camisa 10 da ‘Albiceleste, Matías Morla.Selecionador de Portugal lamenta o adeus de três figuras do futebol.O selecionador de Portugal Fernando Santos alegou que a morte de Diego Maradona deixa uma «ferida enorme» no futebol global, enaltecendo que o argentino foi um dos maiores divulgadores da modalidade.»O desaparecimento de Maradona é uma ferida enorme que se abre para todo o futebol global. Foi um jogador lendário e de uma habilidade ímpar», alega Fernando Santos, mencionado pela Federação Portuguesa de Futebol .O escolher português recordou que se encontrou com Diego Armando Maradona diversas vezes e que este tinha uma «personalidade única e marcante».»Grande jogador de futebol, foi igualmente um dos maiores divulgadores da modalidade que tanto amamos. Descanse em paz», deduz.Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história, faleceu esta quarta-feira na sua residência, na Argentina, aos 60 anos, anunciou o seu agente e amigo Matías Morla.Segundo o jornalismo de Argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia y Esgrima, padeceu uma paragem cardíaca na sua vivenda na província de Buenos Aires.A sua carreira de futebolista, de 1976 a 2001, ficou marcada pela conquista, pela Argentina, do Mundial de 1986, no México, e os dois títulos italianos e a Taça UEFA arrebatada ao serviço dos italianos do Nápoles.Fernando Santos também lamentou as mortes de José Bastos, antigo guarda-redes do Benfica, e Reinaldo Teles, histórico dirigente do FC Porto. «As ultimas horas têm sido bastante duras pela perda de José Bastos e Reinaldo Teles, dois grandes amigos que fiz na vida. O José Bastos foi meu treinador no Estoril onde começámo uma amizade que perdurou até na sua partida. O José Bastos é enorme ídolo do futebol.Lembrarei com enorme saudade os três ou quatro almoços anuais que coordenava e onde sempre cozinhava para os amigos, com a generosidade que tão bem o careterizava, uma «paella». Foi um grande exemplo como homem e um enorme companheiro de vida», surge escrito no site oficial da FPF.»A morte de Reinaldo Teles é também para mim uma perda irreparável. Foi no convívio pessoal e entre famílias que cimentámos os laços que, mesmo depois da morte, nos vão continuar a ligar, se nos conhecemos no futebol. A sua vida, que aqui honro, foi um enorme depoimento de fidelidade a todos os que homenageou com a sua amizade. Nesta hora tão difícil, como já tive chance de fazer pessoalmente, deixo um vocábulo de conforto e de fé para as famílias de José Bastos e Reinaldo Teles», deduz.Antigo guardião leonino recorda uma célebre eliminatória com o Nápoles.O caminho de Diego Armando Maradona dentro e fora do futebol tem que inspirar as novas gerações, frisou o croata Tomislav Ivkovic celebrizado pelos dois penáltis negados ao antigo futebolista de Argentinade Argentina, que faleceu esta quarta-feira. O croata Tomislav Ivkovic é ex-guarda-redes do Sporting.»Ele deve ser um exemplo pela maneira como fez tudo para ser jogador. A partir da pobreza chegou ao regulamento de maior do mundo. Também deve ser um exemplo para mostrar às crianças de hoje aquilo que não podem ou dtêm que fazer O Maradona estragou completamente a vida dele», referiu à agência Lusa o ex-internacional pela antiga Jugoslávia.Diego Maradona, considerado um dos melhores futebolistas da história e com uma vida social marcada por diversos problemas de saúde e excessos, faleceu na sua residência, na Argentina, aos 60 anos, anunciou o seu agente e amigo Matías Morla.Segundo o jornalismo de Argentina, Maradona, que treinava os argentinos do Gimnasia y Esgrima, padeceu uma paragem cardíaca na se o operou sua vivenda em a província de Buenos Aires, cidade onde com êxito em o começo de novembro a um hematoma em a cabeça.»Recebi esta notícia com amargura e surpresa. Soube há duas ou três semanas que a operação tinha corrido bem, ele não tinha problemas e estava num bom percurso. Infelizmente, a vida é imprevisível e o grande Diego acabou hoje a vida dele», lamentou.A carreira do médio ofensivo, celebrizada entre 1976 e 2001, diferenciou-se pela conquista do Mundial1986, no México, com a Argentina, além dos dois campeonatos de Italia ganhos ao serviço napolitano, intercalados com a vitória na Taça UEFA de 1988/89.Quatro meses depois dessa triunfo transalpino sobre os alemães do Estugarda , Tomislav Ivkovic, que acabara de assinar pelo Sporting, atravessou-se com Maradona na primeira ronda da segunda prova europeia de clubes.O confronto originou dois nulos e se desempatou capítulo em o qual o guarda-redes de os leões se notabilizou só em defesa do Nápoles em as grandes penalidades, , a o frear uma conversão de o médio argentino, após ter parado o pontapé de Massimo Crippa.Esse «duelo inesquecível» e à distância de 11 metros permitiu que Tomislav Ivkovic vencesse uma célebre aposta com Diego Maradona e arrecadasse 100 dólares , embora sem evitar a eliminação do Sporting, treinado por Manuel José.»Foi especial tudo o que ocorreu, porque o Maradona era único. Tenho grandes jogos que podiam ficar na minha memória, mas este ficará na lembrança de todos os demais por causa do grande peso em torno do nome de Maradona. Era diferente de todos os outros. Vou-me lembrar da sua classe e da magia que tinha dentro dele», contou.Quase uma década antes do embate decorrido em 27 de setembro de 1989, no estádio San Paolo, em Nápoles, os dois jogadores conheceram-se no período de grupos do Mundial1979 de sub-20, no Japão, com a Argentina a impor-se à Jugoslávia .»Foi aí que começou a brincadeira. Temos a mesma idade e começámos a jogar futebol na mesma altura. Claro que olhámos todos para ele com uns olhos diferentes. Era com prazer, satisfação e concentração que jogávamos com ele. No meu caso, só ele estar dentro do campo dava-me maior motivação para estar a um nível bastante melhor», notou.Faz 30 anos, quando a Argentina afastou a Jugoslávia em os quartos de final de o Mundial, reeditou se o último capítulo de a história de Ivkovic com Maradona em Itália de o qual seria finalista vencido, a os pés de a Alemanha Ocidental.O guarda-redes voltou a impor-se ao médio de maneira inconsequente no desempate, desta vez sem aposta, no auge de uma carreira que ainda acumulou passagens por Estoril Praia, Vitória de Setúbal, Belenenses e Estrela da Amadora.

Na quinta-feira 12 de novembro Diego Maradona recebeu alta hospitalar na tarde da última quarta-feira, oito dias após ser operado de um edema cerebral. O ídolo do futebol de Argentina deixou o hospital em Buenos Aires de ambulância, que foi cercada de de fãs.

Diego Armando Maradona Franco foi um futebolista e treinador de Argentina que atuava como meia e atacante.

Argentina, oficialmente República Argentina, é o segundo maior país da América do Sul em território e o terceiro em população, constituída como uma federação de 23 províncias e uma cidade autônoma, Buenos Aires, capital do país.

Fonte: ojogo-pt

Sentiment score: POSITIVE

Countries: Argentina, Mexico, Italy

Cities: Naples, Mexico, Buenos Aires

A história desta notícia a partir de notícias prévias:
>Corpo de Maradona já chegou ao palácio presidencial argentino
>>>>>Diego Maradona morre aos 60 anos – (EfeGeneric)
>>>>>Fernando Santos reage às mortes de Maradona, Reinaldo Teles e José Bastos – (ojogo-pt)
>>>>>Ivkovic, ex-Sporting, e o dia em que ganhou uma aposta a Maradona: «Inesquecível» – (ojogo-pt)

Entidades mais mencionadas e sua valorização na notícia:

Id Entity Positive Negative Named-Entity Total occurrences Occurrences (appearances)
1 Diego Maradona 135 724 PERSON 22 O Maradona: 1, a (referent: Maradona): 1, Diego_Maradona considerado um: 1, Diego_Armando_Maradona diversas: 1, Maradona: 7, O argentino Diego_Maradona um: 1, Diego_Maradona: 2, o Maradona: 1, (tacit) ele/ela (referent: Maradona considerado um): 1, Maradona considerado um: 1, (tacit) ele/ela (referent: o grande Diego): 2, o grande Diego: 1, (tacit) ele/ela (referent: Diego_Maradona considerado um): 1, (tacit) ele (referent: Maradona): 1
2 eu 278 90 NONE 16 (tacit) eu: 13, me: 2, mim: 1
3 nós 45 0 NONE 10 nos: 2, (tacit) nós: 8
4 a Argentina 0 0 PLACE 9 Argentina: 3, a Argentina: 6
5 vida 290 125 NONE 6 uma vida social: 1, sua vida: 3, a vida: 2
6 Nápoles 0 40 ORGANIZATION 5 (tacit) ele/ela (referent: Nápoles): 2, o Nápoles: 1, Nápoles: 2
7 Tomislav Ivkovic 80 0 PERSON 4 (tacit) ele/ela (referent: o croata Tomislav_Ivkovic): 1, o croata Tomislav_Ivkovic (apposition: ex-guarda-redes de o Sporting): 1, Ele (referent: o croata Tomislav_Ivkovic): 1, Tomislav_Ivkovic: 1
8 Buenos_Aires de ambulância 0 0 PLACE 4 Buenos_Aires: 3, Buenos_Aires de ambulância: 1
9 história 0 0 NONE 4 a história: 4
10 imprensa 0 0 NONE 4 a imprensa argentina: 4